Rede contra o Tráfico e Exploração

Religiosas europeias reúnem-se em Fátima por “um mundo livre de escravidão”

| 11 Nov 2022

2a asembleia renate em roma, nov 2016, foto FB

A última assembleia geral da RENATE realizou-se em Roma, em 2016. Foto © RENATE.

 

Começa este domingo, 13, e prolonga-se até à próxima sexta-feira a 3ª assembleia geral da Rede Europeia de Religiosas contra o Tráfico e Exploração (RENATE). O encontro terá lugar em Fátima e reunirá cerca de cem religiosas dos 31 países da Europa onde a RENATE está presente. “Juntas em direção a 2030 – Acabar com tráfico – A caminho – Realizando o sonho – Um mundo livre de escravidão” foi o tema escolhido para inspirar as apresentações e trabalhos que serão desenvolvidos ao longo da semana.

Se este sonho é, de facto, concretizável até 2030? A irmã Julieta Dias, religiosa do Sagrado Coração de Maria e membro do núcleo coordenador da CAVITP (Comissão de Apoio às Vitimas do Tráfico de Pessoas), tem sérias dúvidas. “Eu gostava de dizer que sim, mas não me atrevo”, confessa ao 7MARGENS, enquanto ultima os preparativos para a assembleia. “Sobretudo com o mundo como está agora, com cada vez mais pessoas pobres, desempregadas, com fome, vulneráveis… Essas pessoas têm o sonho de encontrar uma vida melhor e são facilmente aliciadas pelos traficantes”, refere.

“Desde 2007 que, com a criação da CAVITP [membro da RENATE], nós trabalhamos para ver se erradicamos do mundo esta escravatura, mas sobretudo com as guerras tem-se intensificado muito o tráfico de pessoas, por isso não posso dizer que ele acabará até 2030”, lamenta a irmã Julieta Dias. “No entanto, acredito em milagres e acredito que quanto mais pessoas houver que tomem consciência desta problemática e deste horror que é reduzir as pessoas a mercadoria, e que denunciem, sensibilizem e façam a prevenção, mais perto estaremos de concretizar o sonho”.

Nesse sentido, a assembleia da RENATE  tem um papel importante, considera a religiosa, “sobretudo porque nos permite partilhar e ficar a conhecer a situação de cada país e as respetivas formas de atuação”.

Para melhor dar a conhecer a realidade portuguesa, o programa do encontro prevê que, na quinta-feira, 17, os participantes vão até Lisboa visitar três instituições “que de alguma maneira estão ligadas à problemática do tráfico humano”, conta a irmã Julieta Dias. Serão elas a Associação O Ninho, a Obra Social das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor e o Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS).

De regresso a Fátima, a assembleia termina na sexta-feira com um balanço da semana e o levantamento de ideias, receios e expetativas para os próximos cinco anos da RENATE.

 

Vaticano não identificou “má conduta ou abuso” por parte de cardeal Lacroix

Investigação suspensa

Vaticano não identificou “má conduta ou abuso” por parte de cardeal Lacroix novidade

A Sala de Imprensa da Santa Sé anunciou esta terça-feira, 21 de maio, que a investigação canónica preliminar solicitada pelo Papa Francisco para averiguar as acusações de agressão sexual contra o cardeal canadiano Gérald Cyprien Lacroix não prosseguirá, visto que “não foi identificada qualquer ação como má conduta ou abuso” da parte do mesmo. O nome do prelado, que pertence ao Conselho dos Cardeais (C9), foi um dos apontados numa grande ação coletiva a decorrer no Canadá, listando supostas agressões sexuais que terão ocorrido na diocese do Quebeque, nos anos 1980.

Prémio de direitos humanos para marroquina Amina Bouayach é “instrumento de propaganda”

AAPSO denuncia

Prémio de direitos humanos para marroquina Amina Bouayach é “instrumento de propaganda” novidade

Amina Bouayach, Presidente do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) de Marrocos, recebeu esta terça-feira, 21 de maio, na Assembleia da República, em Lisboa, o Prémio de Direitos Humanos do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa 2023. Mas a Associação de Amizade Portugal – Sahara Ocidental (AAPSO) considera, no mínimo, “estranha” a atribuição do galardão à marroquina.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Senhora do Rosário: Que batalhas há para vencer?

Senhora do Rosário: Que batalhas há para vencer? novidade

A exposição, intitulada «Mês de Maio. Mês de Maria», que tem por curador o Prof. José Abílio Coelho, historiador, da Universidade do Minho, conta com as principais ‘apresentações’ de Nossa Senhora do Rosário, sobretudo em escultura e pintura, que se encontram dispersas por igrejas e capelas do arciprestado de Póvoa de Lanhoso. Divulgamos o texto, da autoria do Padre Joaquim Félix, publicado no catálogo da exposição  «A Senhora do Rosário no Arciprestado Povoense».

Igreja portuguesa precisa de “abertura de horizontes” no âmbito da evangelização

Bispos após encontro com Secretaria do Sínodo

Igreja portuguesa precisa de “abertura de horizontes” no âmbito da evangelização novidade

O vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, Virgílio Antunes, reconheceu que a Igreja Católica em Portugal tem necessidade de uma “abertura de horizontes” no âmbito da evangelização, nomeadamente no “acolhimento das pessoas”. Para o bispo de Coimbra, – que falou aos jornalistas após o encontro com a Secretaria Geral do Sínodo, que decorreu esta segunda-feira, 20 de maio, em Roma – é preciso fomentar “uma relação mais eficaz e mais eclesial entre os membros da hierarquia, a generalidade dos cristãos leigos, dos consagrados do povo de Deus”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This