Depois da assembleia na Alemanha

Representante do Conselho Mundial de Igrejas foi à Rússia pedir paz

| 18 Out 2022

_Ioan Sauca at the 11th Assembly of the World Council of Churches, held in Karlsruhe, Germany from 31 August to 8 September. Photo Albin HillertWCC (2)

Ioan Sauca a discursa durante a XI Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas que decorreu em Karlsruhe, na Alemanha, no início de setembro. Foto © Albin Hillert / WCC.

 

O secretário-geral interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Ioan Sauca, deslocou-se esta semana a Moscovo para “construir pontes de paz”. A visita incluiu um encontro com o patriarca Cirilo e outros representantes da Igreja Ortodoxa Russa, onde foram apresentadas as conclusões da XI Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas que ocorreu em Karlsruhe, na Alemanha, no início de setembro, em particular a declaração aprovada sobre a guerra na Ucrânia.

Nessa declaração, as igrejas presentes na assembleia definiram a guerra na Ucrânia como “ilegal e injustificada”, “incompatível com a própria natureza e a vontade de Deus para a humanidade” e contrária aos “princípios cristãos e ecuménicos fundamentais”. Apelavam assim aos “irmãos e irmãs cristãos e à liderança das Igrejas na Rússia e na Ucrânia para que elevem as suas vozes em oposição às mortes contínuas, destruições, deslocamentos e depredação do povo da Ucrânia”.

No comunicado divulgado pelo CMI esta segunda-feira, 17, a propósito do encontro na Rússia, não é feita qualquer referência a eventuais reações por parte do patriarca Cirilo ou de outros representantes da Igreja Ortodoxa Russa às conclusões expostas por Sauca, também ele padre ortodoxo – romeno, no caso.

O encontro aconteceu a pedido do Comitê Central do CMI e “faz parte de uma série de visitas que incluem o Médio Oriente, Líbano, Síria, Palestina, Israel, e Ucrânia”.

Presente no passado domingo na consagração da nova catedral de Arkhangelsk, no norte da Rússia, o patriarca Cirilo afirmou que “enquanto existir essa necessidade [de construir igrejas] para o nosso povo, a Rússia é invencível, porque é impossível comparar a força de espírito de um povo que crê em Deus e ama a sua pátria com a força condicional daqueles que relaxaram no comodismo e esqueceram o que é o amor à pátria, e se movem apenas por uma aspiração de conseguir mais dinheiro e gastá-lo melhor”.

 

A humildade do arcebispo

A humildade do arcebispo novidade

Chegou a estender a mão e a cumprimentar, olhos nos olhos, todos os presentes, um a um. É o líder da Igreja Anglicana, mas aqui apresentou-se com um ligeiro “Hi! I’m Justin” — “Olá, sou o Justin!” — deixando cair títulos e questões hierárquicas. [O texto de Margarida Rocha e Melo]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This