Um dos "pais" da União Europeia

Robert Schuman: Vaticano reconhece “virtudes heroicas” para a beatificação

| 19 Jun 21

Robert Schuman

Robert Schuman. Foto: Direitos reservados.

 

O Papa Francisco deu este sábado, 16, luz verde ao processo de beatificação de Robert Schuman, um dos arquitetos da União Europeia. O decreto que a Congregação para a Causa dos Santos foi autorizada a assinar inclui também o nome da monja espanhola María Stella de Jesús (1889-1982).

Schuman, que nasceu no Luxemburgo mas viveu grande parte da vida em França, sonhou, juntamente com Jean Monet, com uma Europa sem fronteiras. Começou por confrontar-se com os inconvenientes das fronteiras no seu quotidiano, quando era jovem e tinha de submeter-se quase quotidianamente ao controlo para circular de bicicleta na zona em que habitava, como revelou o seu amigo Robert Muller, numa entrevista que o 7MARGENS publicou recentemente.

Pode dizer-se que “as virtudes heroicas” que foram tidas em conta para o processo de beatificação agora assumido pelo Vaticano são, neste caso, as inerentes à atividade e ao compromisso de Schuman no campo da política.

Segundo a Igreja Católica em França, que instruiu localmente o processo de beatificação em 2004, foi o bispo de Metz, um alemão, que, no final da Grande Guerra 1914-18, o convenceu a meter-se na vida política, marcada pelo anticlericalismo, ele que era um católico convicto.

Em 1940, Schuman foi deportado para a Alemanha, mas conseguiu escapar-se e regressar a França para se juntar à Resistência contra os nazis. Abraçou a atividade política, que passou por assumir o cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros, como se se tratasse de “um apostolado”. Dotado de uma profunda vida interior que iluminava a sua ação, ficou na memória de alguém com quem partilhou responsabilidades governamentais, como “o tipo de verdadeiro democrata, imaginativo e criador, combativo na sua doçura, sempre respeitoso da pessoa, fiel a uma vocação interior que dava sentido à vida”.

 

‘Caminho Minhoto Ribeiro’ reconhecido pelos arcebispos de Braga e Santiago

Em ano Xacobeo

‘Caminho Minhoto Ribeiro’ reconhecido pelos arcebispos de Braga e Santiago novidade

A cidade de Braga foi palco, nesta sexta-feira, 17, da declaração oficial de reconhecimento do Caminho Minhoto Ribeiro por parte dos arcebispos de Braga e de Santiago de Compostela, depois de esse processo ter decorrido já por parte das autarquias do lado português e galego. Na conferência que decorreu em Braga, cidade que é ponto de partida dos dois itinerários que compõem este Caminho, foi igualmente feita a apresentação da investigação documental que fundamenta este novo percurso, a cargo do professor e historiador galego Cástor Pérez Casal.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror novidade

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

A votar, a votar!

[Segunda leitura]

A votar, a votar! novidade

“Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro que ouvi isto na passada terça-feira, dia 14 de setembro. Assim mesmo, sem tirar nem pôr, na abertura de um noticiário na rádio: “Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This