Apelo da Academia Pontifícia para a Vida

“Salvar a fraternidade” contra a violência do sistema técnico-económico

| 10 Jun 2021

criancas irmaos fraternidade liberdade

“Devemos às gerações futuras esta aliança entre o pensamento sensível ao homem e a decifração salvífica do sagrado”, defendem os teólogos. Foto: Direitos reservados.

 

O apelo “Salvar a Fraternidade, juntos”, que denuncia a “violência anti-humanista” do sistema “técnico-económico” foi publicado por um grupo de dez teólogas e teólogos católicos, incluindo o português João Manuel Duque e Lucia Vantini, presidente da Coordenação Italiana das Mulheres Teólogas.

Apresentado na terça-feira, 8, pela Academia Pontifícia para a Vida, o apelo defende que “a suposta neutralidade do sistema técnico-económico encobre a sua violência anti-humanista e evita que seja comparado ao passado imperialista e colonialista do Ocidente”.

Na lista dos investigadores incluem-se ainda Kurt Appel, director do Centro de Pesquisa Interdisciplinar Religião e Transformação na Sociedade Contemporânea, da Universidade de Viena (Áustria); e Gemma Serrano, directora da licenciatura em Direito Canónico e do Departamento de Pesquisa entre Teologia e Digital, no Collège des Bernardins (Paris).

O documento, disponível na íntegra em espanhol, italiano e inglês na página da Academia Pontifícia, sublinha os efeitos “nocivos” do sistema tecnocrático sobre o meio ambiente e sobre uma sociedade “empobrecida em todo o mundo”.

Este “chamamento à fé e ao pensamento” parte da encíclica Fratelli Tutti, sobre a fraternidade humana, publicada em Outubro do ano passado pelo Papa Francisco. “A nossa proposta é recolher o sentido profundo desta provocação definitiva – dirigida a uma Igreja instada a abrir-se e a um mundo tentado a fechar-se – inaugurando o clima de uma ‘fraternidade intelectual’”, realça a nota de imprensa que acompanha o apelo, citada pela agência Ecclesia.

“A Teologia deve aceitar confrontar-se criticamente com as perversões do sagrado, por tentativa e erro, para que não gozem da cumplicidade da fé. Devemos às gerações futuras esta aliança entre o pensamento sensível ao homem e a decifração salvífica do sagrado”, acrescenta o texto.

Vincenzo Paglia

O arcebispo Vincenzo Paglia, presidente da Academia Pontifícia para a Vida, foi um dos responsáveis pela criação do grupo de teólogos. Foto: Direitos reservados.

 

O grupo foi convocado pelo presidente da Academia Pontifícia para a Vida, arcebispo Vincenzo Paglia, e pelo reitor do Instituto Teológico Pontifício João Paulo II para as Ciências do Casamento e Família, o teólogo Pierangelo Sequeri.

Os signatários desafiam teólogos e crentes a desconstruir o dualismo “comunidade eclesial e comunidade secular” ou “mundo criado e mundo salvo”.

“Propomos uma reversão de tendência no pensamento do tempo. Não desprezeis o Nome de Deus, ao qual todos os homens e mulheres do planeta dirigem a invocação dos crentes sinceros, e para o qual os próprios crentes se colocam à disposição para interceder por todos os pobres e abandonados.”

Os autores questionam um “individualismo libertário” no qual desapareceu qualquer “projecto de responsabilidade para a comunidade dos livres e iguais”.

“Não há nada que possa salvar as gerações futuras da dissolução técnico-económica do humanismo ético-político”, advertem.

O arcebispo Vincenzo Paglia justifica a iniciativa dizendo, no epílogo com que encerra o apelo, que “as instituições eclesiais são chamadas a desempenhar o seu papel, na promoção de um diálogo mais profundo e assíduo entre a inteligência da fé e o pensamento do homem”.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

pode o desejo

pode o desejo novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This