Apelo da Academia Pontifícia para a Vida

“Salvar a fraternidade” contra a violência do sistema técnico-económico

| 10 Jun 21

criancas irmaos fraternidade liberdade

“Devemos às gerações futuras esta aliança entre o pensamento sensível ao homem e a decifração salvífica do sagrado”, defendem os teólogos. Foto: Direitos reservados.

 

O apelo “Salvar a Fraternidade, juntos”, que denuncia a “violência anti-humanista” do sistema “técnico-económico” foi publicado por um grupo de dez teólogas e teólogos católicos, incluindo o português João Manuel Duque e Lucia Vantini, presidente da Coordenação Italiana das Mulheres Teólogas.

Apresentado na terça-feira, 8, pela Academia Pontifícia para a Vida, o apelo defende que “a suposta neutralidade do sistema técnico-económico encobre a sua violência anti-humanista e evita que seja comparado ao passado imperialista e colonialista do Ocidente”.

Na lista dos investigadores incluem-se ainda Kurt Appel, director do Centro de Pesquisa Interdisciplinar Religião e Transformação na Sociedade Contemporânea, da Universidade de Viena (Áustria); e Gemma Serrano, directora da licenciatura em Direito Canónico e do Departamento de Pesquisa entre Teologia e Digital, no Collège des Bernardins (Paris).

O documento, disponível na íntegra em espanhol, italiano e inglês na página da Academia Pontifícia, sublinha os efeitos “nocivos” do sistema tecnocrático sobre o meio ambiente e sobre uma sociedade “empobrecida em todo o mundo”.

Este “chamamento à fé e ao pensamento” parte da encíclica Fratelli Tutti, sobre a fraternidade humana, publicada em Outubro do ano passado pelo Papa Francisco. “A nossa proposta é recolher o sentido profundo desta provocação definitiva – dirigida a uma Igreja instada a abrir-se e a um mundo tentado a fechar-se – inaugurando o clima de uma ‘fraternidade intelectual’”, realça a nota de imprensa que acompanha o apelo, citada pela agência Ecclesia.

“A Teologia deve aceitar confrontar-se criticamente com as perversões do sagrado, por tentativa e erro, para que não gozem da cumplicidade da fé. Devemos às gerações futuras esta aliança entre o pensamento sensível ao homem e a decifração salvífica do sagrado”, acrescenta o texto.

Vincenzo Paglia

O arcebispo Vincenzo Paglia, presidente da Academia Pontifícia para a Vida, foi um dos responsáveis pela criação do grupo de teólogos. Foto: Direitos reservados.

 

O grupo foi convocado pelo presidente da Academia Pontifícia para a Vida, arcebispo Vincenzo Paglia, e pelo reitor do Instituto Teológico Pontifício João Paulo II para as Ciências do Casamento e Família, o teólogo Pierangelo Sequeri.

Os signatários desafiam teólogos e crentes a desconstruir o dualismo “comunidade eclesial e comunidade secular” ou “mundo criado e mundo salvo”.

“Propomos uma reversão de tendência no pensamento do tempo. Não desprezeis o Nome de Deus, ao qual todos os homens e mulheres do planeta dirigem a invocação dos crentes sinceros, e para o qual os próprios crentes se colocam à disposição para interceder por todos os pobres e abandonados.”

Os autores questionam um “individualismo libertário” no qual desapareceu qualquer “projecto de responsabilidade para a comunidade dos livres e iguais”.

“Não há nada que possa salvar as gerações futuras da dissolução técnico-económica do humanismo ético-político”, advertem.

O arcebispo Vincenzo Paglia justifica a iniciativa dizendo, no epílogo com que encerra o apelo, que “as instituições eclesiais são chamadas a desempenhar o seu papel, na promoção de um diálogo mais profundo e assíduo entre a inteligência da fé e o pensamento do homem”.

 

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

O outro sou eu

O outro sou eu novidade

Há tanto que me vem à cabeça quando penso em Jorge Sampaio. Tantas ocasiões em que o seu percurso afetou e inspirou o meu, quando era só mais uma adolescente portuguesa da primeira geração do pós-25 de Abril à procura de referências. Agora, que sou só uma adulta que recusa desprender-se delas, as memórias confundem-se com valores e os factos com aspirações.

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados

Líbano tem novo Governo

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados novidade

O novo Governo do Líbano, liderado pelo muçulmano sunita Najib Mikati, obteve nesta segunda-feira, 20 de setembro, o voto de confiança do Parlamento. A nova estrutura de Governo reflete na sua composição a variedade do “mosaico” libanês, nomeadamente do ponto de vista das diversas religiões e confissões religiosas, mas os siro-católicos dizem ter sido marginalizados.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This