Instalação de um bispo

Santa Sé critica China por violação de acordo

| 26 Nov 2022

Igreja de Xishiku em Pequim, China. Foto © Gene Zhang no Flickr, via Wikimedia Commons https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/

Igreja de Xishiku em Pequim, China. Foto © Gene Zhang no Flickr, via Wikimedia Commons.

 

A Santa Sé tornou público este sábado um raro comunicado de crítica ao Governo da República Popular da China, motivado pela notícia da instalação de um bispo, na última quinta-feira, num quadro normativo fora do acordo estabelecido entre as duas partes há quatro anos e renovado há cerca de um mês.

No centro deste caso está o bispo João Peng Weizhao que, segundo escreve o jornal digital católico Crux, foi nomeado clandestinamente bispo da Diocese de Yujiang, pelo Papa Francisco em 2014. O prelado foi mais tarde preso durante seis meses pelo regime chinês. Acabou por ser libertado, mas a sua ação passou a ser controlada de perto pelas autoridades do país.

O que se passou foi que, em 24 de novembro, ele reapareceu a ser instituído bispo da diocese de Jiangxi, que Roma não reconhece, numa cerimónia com organizações católicas reconhecidas pelo lado chinês. 

Segundo o AsiaNews, cerca de 200 pessoas participaram na cerimónia, realizada em Nanchang, a qual foi presidida pelo bispo local, John Baptist Li Suguang, que é vice-presidente da Conferência Episcopal Católica Chinesa, que também não é reconhecida por Roma. 

No comunicado publicado este sábado pela sala de imprensa da Santa Sé, manifesta-se “surpresa e pesar” pela notícia da “cerimónia da instalação”, e afirma-se que “tal evento, de facto, não ocorreu de acordo com o espírito de diálogo existente entre a Parte Vaticana e a Parte Chinesa e conforme o estipulado no Acordo Provisório sobre a Nomeação de Bispos, [assinado] em 22 de setembro de 2018”.

“A Santa Sé espera que episódios semelhantes não se repitam, permanece na expetativa de comunicações credenciadas por parte das autoridades e reafirma a sua total disponibilidade para continuar o diálogo respeitoso sobre todos os assuntos de interesse comum”, acrescenta o comunicado.

Comentando esta situação, a jornalista Cindy Wooden, que acompanha assuntos do Vaticano refere, na peça do Crux, que é a primeira vez que o Vaticano vem a público criticar a China por causa de um acordo que tem causado polémica, dentro e fora da Igreja Católica.

 

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This