Entre cristãos, muçulmanos e hindus

Santo António suscita grande devoção… no Bangladesh

| 7 Fev 2023

devocao a santo antonio em panjora, no bangladesh Foto © Carey Ashirbad

A peregrinação ao Santuário de Santo António, em Panjora (Bangladesh) costuma reunir cerca de 50 mil pessoas. Foto © Carey Ashirbad.

 

No Bangladesh, país de maioria muçulmana onde os seguidores de Jesus não representam sequer meio por cento, Santo António de Lisboa e de Pádua é um dos mais venerados e fator de união entre muçulmanos, cristãos e hindus. Na última sexta-feira, 3, os devotos realizaram a peregrinação anual ao seu Santuário, na vila de Panjora, na Arquidiocese de Dhaka.

Esta peregrinação é a maior manifestação de cristãos do Bangladesh, reunindo à volta de 50 mil pessoas. Mas isso não impede que sobretudo muçulmanos, mas também hindus, se incorporem para pedir as bênçãos do taumaturgo.

“Todos os anos, muitas pessoas se reúnem em nome de Santo António para expressar sua fé. Assim, Santo António tornou-se um símbolo de unidade entre nós”, disse na homilia da festa deste ano o arcebispo de Dhaka, Bejoy N. D’Cruz, citado pela Rádio Veritas Asia.

O arcebispo aproveitou a oportunidade para ligar esta manifestação ao caminho sinodal da Igreja Católica, ao observar: “Atualmente estamos na Igreja sinodal. A sinodalidade é como uma porta aberta para que todos possam entrar e construir uma sociedade de harmonia e unidade. Portanto, podemos dizer que a peregrinação de Santo António é o sinal da unidade de todas as fés”.

Não há memória de quando se iniciou esta devoção a Santo António no Bangladesh, acreditando os historiadores da Igreja que ocorrre há vários séculos. Segundo uma lenda local, referida pela notícia da Radio Veritas Ásia, terá tido início quando uma imagem do Santo “apareceu e reapareceu várias vezes no local onde hoje se encontra o Santuário, e as pessoas começaram a frequentá-lo para rezar” e pedir milagres.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Santa Eufémia: comer a marrã, pagar promessas e receber certificados

Lavandeira, Carrazeda de Ansiães

Santa Eufémia: comer a marrã, pagar promessas e receber certificados novidade

romaria em honra de Santa Eufémia, na aldeia de Lavandeira, em Carrazeda de Ansiães, carrega consigo inúmeros segredos. A festa só tem lugar em meados de setembro, mas foi agora objeto de um estudo publicado na Revista Memória Rural, do Museu da Memória Rural,  que recorda a tradição da carne de porco grelhada (a marrã), das promessas e dos certificados da missa celebrada pelo familiar defunto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This