Amnistia Internacional

Seca afeta milhões em Angola, que fogem das suas casas

| 23 Jul 2021

SÓ USAR A FOTO NESTE TEMA

A seca severa e a criação comercial de gado tem afastado a população local das suas terras pastoris em Cunene e Huíla, sul de Angola. Foto © BwalaMidia.

 

Milhões de pessoas estão a enfrentar uma seca grave no sul de Angola, que ameaça as suas vidas e já provocou uma fuga de milhares, denunciou esta quinta-feira, 22, a Amnistia Internacional. É a pior seca em 40 anos.

A seca agravada pelas alterações climáticas continua a devastar esta extensa região, alertou a organização, que destacou o facto de herdades para a criação comercial de gado terem ocupado terras comunitárias, levando à expulsão de comunidades pastoris das suas terras, desde o final da guerra civil em 2002 – um facto que a Amnistia tinha já denunciado num relatório publicado em Outubro de 2019, conforme o 7MARGENS na altura noticiou.

Esta mudança deixou largos setores da população em insegurança alimentar, denuncia a Amnistia Internacional (AI), e abriu caminho a uma crise humanitária. À medida que a comida e a água se tornam cada vez mais escassas, milhares de pessoas deixaram as suas casas e procuraram refúgio na vizinha Namíbia.

“Milhões de pessoas no sul de Angola estão à beira da fome, presas entre os efeitos devastadores das mudanças climáticas e o desvio de terras para a pecuária comercial”, apontou Deprose Muchena, diretor da Amnistia Internacional para a África Oriental e Austral.

“Esta seca — a pior em 40 anos — atingiu comunidades tradicionais que lutavam para sobreviver desde que foram despojadas de vastas áreas de pastagem. O governo angolano deve assumir a responsabilidade pelo seu próprio papel nesta terrível situação, e garantir reparações às comunidades afetadas, e tomar medidas imediatas para resolver a insegurança alimentar nas áreas rurais das províncias do Cunene e Huíla.”

A Amnistia cita a Associação Construindo Comunidades (ACC), uma organização não-governamental local, segundo a qual há famílias de pastores tradicionais do município de Gambos, na província da Huíla, que estão a passar fome. A ACC relatou que dezenas de pessoas morreram de desnutrição desde 2019, sendo as pessoas mais velhas e crianças as mais particularmente vulneráveis. A ACC, que distribui cestas básicas na região, disse que as pessoas recorreram ao consumo de folhas para sobreviver.

De acordo com a AI, os angolanos das províncias do Cunene e Huíla foram especialmente atingidos pela persistente seca. A estação das chuvas de 2020/21 foi anormalmente seca, o que significa que a situação deve agravar-se muito nos próximos meses. Segundo o Programa Alimentar Mundial (PAM), a falta de chuvas no período de novembro de 2020 a janeiro de 2021 já causou a pior seca nos últimos 40 anos.

 

António Vaz Pinto (1942-2022): o padre dinamizador

Jesuíta morreu aos 80 anos

António Vaz Pinto (1942-2022): o padre dinamizador novidade

Por onde passou lançava projectos, dinamizava equipas, deixava-as a seguir para partir para outras aventuras, sempre com a mesma atitude. Poucos dias antes de completar 80 anos, no passado dia 2 de Junho, dizia na que seria a última entrevista que, se morresse daí a dias, morreria “de papo cheio”. Assim foi: o padre jesuíta António Vaz Pinto, nascido em 1942 em Arouca, 11º de 12 irmãos, morreu nesta sexta-feira, 1 de Julho, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde estava internado desde o dia 8, na sequência de um tumor pulmonar que foi diagnosticado nessa altura.

Abusos sexuais: senti que não acreditavam em mim

Testemunho de uma vítima

Abusos sexuais: senti que não acreditavam em mim novidade

Na conferência de imprensa da Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa, que decorreu quinta-feira, 30 de junho, em Lisboa, foram lidos três testemunhos de vítimas de abusos, cujo anonimato foi mantido. Num dos casos, uma mulher de 50 anos fala do trauma que os abusos sofridos lhe deixaram e de como decidiu contar a sua história a um bispo, sentindo ainda assim que a sua versão não era plenamente aceite como verdadeira.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Doação de ara romana reforça espólio do Museu D. Diogo de Sousa

Ocaere, divindade autóctone

Doação de ara romana reforça espólio do Museu D. Diogo de Sousa novidade

A doação de uma ara votiva romana guardada ao longo de várias décadas pela família Braga da Cruz, de Braga, enriquece desde esta sexta-feira, dia 1, o espólio do Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa (MADDS), estando já exposta para fruição do público. A peça, que passou a integrar a coleção permanente daquele Museu, foi encontrada num quintal particular no município de Terras de Bouro, pelo Dr. Manuel António Braga da Cruz (1897-1982), que viria, depois, a conseguir que o proprietário lha cedesse.

Capelania da Univ. Coimbra: Promover o encontro entre ciência e espiritualidade, entre crentes e não-crentes

Contributos para o Sínodo (25)

Capelania da Univ. Coimbra: Promover o encontro entre ciência e espiritualidade, entre crentes e não-crentes novidade

Organizar iniciativas de diálogo com não-crentes e crentes de outras religiões, abrindo a Igreja à sociedade e fazendo dela um motor do progresso social e da comunhão humana; assumir a dimensão da Sinodalidade como verdadeira abertura ao século XXI; e promover o encontro entre a ciência e a espiritualidade, sempre possível, cria pontes da Igreja com as instituições de Ensino Superior – estas são algumas das propostas da comunidade da Capelania da Universidade de Coimbra, em resposta à maior auscultação alguma vez feita à escala planetária, lançada pelo Papa Francisco, para preparar a assembleia do Sínodo dos Bispos de 2023.

Alter do Chão recebe recital de voz e piano

Festival Terras sem Sombra

Alter do Chão recebe recital de voz e piano novidade

O Cineteatro de Alter do Chão acolhe este sábado, 2 de julho, pelas 21h30, um recital da soprano Carla Caramujo e da pianista Lígia Madeira, no âmbito do Festival Terras sem Sombra (FTSS). Intitulado “O Triunfo da Primavera: Canções de Debussy, Poulenc, Fragoso, Lacerda, Schubert e Wolf”, o concerto promete levar o público a diferentes geografias musicais, do século XIX ao período contemporâneo.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This