Senadores norte-americanos querem processar China por genocídio de uigures

| 29 Out 2020

uigures, China, Foto_ © Xinjiang Bureau of Justice WeChat Account

Uma imagem divulgada nas redes sociais do governo chinês mostra centenas de uigures detidos num campo de educação política em Xinjiang. Foto: © Xinjiang Bureau of Justice, através da HRW.

 

Um grupo de senadores norte-americanos apresentou na terça-feira, 27, uma resolução que visa declarar a China como culpada do genocídio de uigures e outras minorias muçulmanas na região de Xingiang, no extremo noroeste do país, noticiou o The Guardian.

A resolução foi apresentada por senadores eleitos dos partidos Republicano e Democrata, mas é improvável que avance rapidamente, dado que o Senado só voltará a reunir após as eleições presidenciais da próxima semana.

“Esta resolução é o primeiro passo para responsabilizar a China pelos seus atos monstruosos”, defende o senador republicano John Corbyn. O democrata Jeff Merkley reforça: “O ataque da China contra os uigures e outros grupos minoritários muçulmanos – a escalada de vigilância, a prisão, a tortura e os ‘campos de reeducação’ forçados – é puro e simples genocídio”.

A China reafirma, por seu lado, que estes campos são “centros de treino vocacional”, destinados a ajudar os uigures a encontrar empregos e a afastálos do extremismo religioso.

“Esses senadores norte-americanos estão empenhados em fabricar todos os tipos de mentiras para desacreditar a China e obter benefícios políticos”, disse Wang Wenbin, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, em conferência de imprensa esta quarta-feira.

“Na verdade, entre 2010 e 2018, a população uigur de Xinjiang aumentou de 10,17 milhões para 12,72 milhões (…) Em que se baseiam essas acusações de um alegado genocídio?”, questionou.

De acordo com uma investigação do serviço árabe da BBC, divulgada na semana passada, o governo chinês detém não apenas os uigures que residem no seu território como persegue aqueles que saíram da China, pressionando países como a Arábia Saudita e o Egito a deportá-los de volta à força.

No início de setembro, um grupo composto por 130 deputados britânicos assinou uma carta, enviada ao embaixador chinês no Reino Unido, condenando aquilo que descreviam como “um programa sistemático e calculado de limpeza étnica contra o povo uigur” na região de Xinjiang.

Três semanas mais tarde, era apresentado ao Conselho dos Direitos Humanos da ONU um relatório do Tribunal Penal Internacional (TPI), acusando a China de estar a matar membros de minorias religiosas para lhes retirar os órgãos e, com isso, alimentar o negócio dos transplantes.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

pode o desejo

pode o desejo novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This