Livro de oração

Silêncio: devolver à vida a sua beleza

| 5 Out 2022

Capa do Breviário do Silêncio

 

Será um passo paradoxal falar do silêncio: afinal, ele será rompido para que dele se fale. Mas sabemos, na nossa experiência quotidiana, como a ausência de reflexão pode ser sinónimo, não de silêncio, mas de um adormecimento nos ruídos, distrações e imagens que constantemente nos interpelam.

Capa do Breviário do Silêncio

Capa do Breviário do Silêncio

O caminho aqui desenvolvido com coragem por João Barrento – com um percurso invejável na área da tradução, da crítica literária e do ensino, dedicados de modo particular à poesia e à literatura alemãs – transporta o leitor, num registo de prosa muito próximo de uma poética da linguagem, para as diversas facetas com que o silêncio regista o humano. As imagens que acompanham o corpo do texto contêm um valor simbólico denso, ajudando a criar pausas na leitura. Da poesia de Echevarría à escrita de Llansol – de cuja obra o autor é um dos principais curadores –, da arte de Rui Chafes ao património literário de Paul Celan, de Holderlin e da poesia clássica chinesa – Barrento conduz-nos por um saborear este bem tão raro e tão gratuito como é o silêncio. Mas também o silêncio da natureza, da leitura ou da tradição monástica são aqui convocados para um exercício de atenção e de escuta. Porque o silêncio não é inimigo da palavra, mas sim do ruído, do excesso, da distração. Há leituras que se fazem devagar, que despertam a atenção, que deixam um travo de sabedoria que devolve à vida a sua beleza. Beleza que é um dom, como o silêncio. Palavra capaz de nos acompanhar.

“O silêncio não é explicável. Não só porque se furta aos princípios de articulação da linguagem, mas também porque ele é, em si e quando irrompe e se demarca do som, uma realidade e uma experiência auto-suficiente e autónoma. Qualquer tentativa de explicação da experiência (não do fenómeno!) do silêncio seria uma contradição. O silêncio propicia, em última análise, o acesso a uma ‘fala’ do mundo e das coisas na sua radicalidade ontológica, sem explicações. É a pura presença.”

 

Breviário do Silêncio, de João Barrento

Edição: Alambique, 2021, 160 pág.

 

(Este texto foi inicialmente publicado na revista Mensageiro de Santo António)

https://santoantonio.live/breviario-do-silencio/

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This