Visita às dioceses portuguesas

Símbolos da Jornada Mundial da Juventude percorrem o país até 2023

| 31 Out 21

A cruz da JMJ passou pelas 44 dioceses espanholas. Vai agora percorrer as portuguesas. Foto © Agência Ecclesia

 

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) iniciaram sexta-feira, dia 29, uma peregrinação de dois anos em Portugal, antecipando o encontro internacional promovido pela Igreja Católica que Lisboa acolhe de 1 a 6 de agosto de 2023.

A cruz e o ícone de Maria foram entregues a jovens de Portugal, na diocese do Algarve, numa travessia simbólica do rio Guadiana, após terem passado por 44 dioceses espanholas, sendo recebidos em Vila Real de Santo António. 

A peregrinação dos símbolos da JMJ pelas dioceses de Espanha terminou assim com a passagem da cruz e do ícone de Maria para a diocese algarvia, a caminho da edição internacional de Lisboa 2023. “Foi uma autêntica aventura”, disse à Agência Ecclesia o diretor da Subcomissão de Jovens e Crianças, da Conferência Episcopal Espanhola, o padre Raúl Tinajero.

O sacerdote considera que a iniciativa foi “uma bênção”, fazendo um balanço muito positivo desta peregrinação, que provocou uma grande participação dos jovens, rumo à JMJ 2023, mobilizando as comunidades após o momento de alguma paragem determinado pela pandemia.“Precisamos destes momentos para que os jovens sintam um protagonismo real, para sair e evangelizar”, acrescenta.

Já o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, afirmou à Ecclesia que é preciso recordar que a cruz das Jornadas já esteve em todos os continentes, carregando consigo “muitos olhares, muitos sonhos, muitas lágrimas, muitos sorrisos”, pedindo que os jovens sejam capazes de se “fazerem ouvir”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Onde menos se espera, aí está Deus

Onde menos se espera, aí está Deus novidade

Por vezes Deus descontrola as nossas continuidades, provoca roturas, para que possamos crescer, destruir em nós uma ideia de Deus que é sempre redutora e substituí-la pela abertura à vida, onde Deus se encontra total e misteriosamente. É Ele, o seu espírito, que nos mostra o nosso nada e é a partir do nosso nada que podemos intuir e abrir-nos à imensidão de Deus, também nas suas criaturas, todas elas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This