Sinais dos tempos na Europa Central

| 11 Abr 2024

Fresco da Ressurreição, Igreja de Chora

“Portugueses, propriamente, éramos poucos, naquela atitude tão europeia clássica, hiper-composta, passando paulatinamente do basbaque para a abertura a uma realidade diferente, a liturgia marcada por uma cultura tão quente quanto espontânea, e sobretudo, tão condizente com o que estávamos a celebrar: a incrível novidade da ressurreição.” Fotografia: Fresco da Ressurreição, Igreja de Chora (Kariye Museum ) Istambul.

Uma vigília pascal celebrada na Igreja do Sagrado Coração de Jesus do Luxemburgo, destinada à “Comunidade Portuguesa”, escancarou-nos as portas para uma nova realidade prenunciada pelos últimos pontífices do século XX: a comunidade portuguesa era, antes, uma comunidade lusófona, vibrante, entusiasmada, comprometida e manifestamente transbordante da alegria da ressurreição.

Foi a todos os títulos surpreendente a celebração pascal deste ano: catecúmenos, adultos e crianças, da lusofonia, as suas famílias povoando a igreja, um coro com tambores e pandeiretas, muita cor passeando o recinto, o sacerdote português acomodando todo um novíssimo estilo, que encheu a Vigília de ritmo, som, cor, movimento e, até, riso.

Portugueses, propriamente, éramos poucos, naquela atitude tão europeia clássica, hiper-composta, passando paulatinamente do basbaque para a abertura a uma realidade diferente, a liturgia marcada por uma cultura tão quente quanto espontânea, e sobretudo, tão condizente com o que estávamos a celebrar: a incrível novidade da ressurreição.

E a compostura cedeu lugar à interação, e o movimento dos corpos ao som dos tambores chegou ao celebrante e, dele, à assembleia, a intervenção entusiasmada e inesperada dos catecúmenos durante a homilia tornou singular e tão entranhada uma cerimónia que, afinal, teve o condão de abrir à comunhão uma comunidade que à partida não o era.

O desafio de se tornarem “missionários pelo mundo inteiro” foi lançado aos povos de África no final do século XX [1] sublinhando como seus valores maiores a alegria, o amor pela vida, o forte sentido comunitário e de solidariedade, a memória dos antepassados e o profundo respeito pelas raízes.

Naquela Grande Vigília, tudo isso esteve ali tão patente, contrastando, numa quase estridência, com o lastro baço e a memória enfraquecida da Velha Europa, amornecida por um virulento individualismo, julgador, distante e cheio de coisas e confortos, afinal tão-só estorvos como a capa do cego Bartimeu (Mc 10:50).

Grande e inesperada bênção a desta noite, atordoada e brilhante no único anúncio relevante, mostrando-nos como crer e esperar são dons maiores revelados pela alegria, sempre contagiante e felizmente incompreensível no seu mistério divino. Aleluia.

[1] João Paulo II, Ecclesia in Africa, 14 de setembro de 1995.

 

Dina Matos Ferreira é consultora e docente universitária. Contacto: dina.matosferreira@gmail.com

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças

Este fim de semana, em Roma

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças novidade

Foi há pouco mais de cinco meses que, para surpresa de todos, o Papa anunciou a realização da I Jornada Mundial das Crianças. E talvez nem ele imaginasse que, neste curto espaço de tempo, tantos grupos e famílias conseguissem mobilizar-se para participar na iniciativa, que decorre já este fim de semana de 25 e 26 de maio, em Roma. Entre eles, estão alguns portugueses.

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral”

Susana Réfega, do Movimento Laudato Si'

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral” novidade

A encíclica Laudato Si’ foi “determinante para o compromisso e envolvimento de muitas organizações”, católicas e não só, no cuidado da Casa Comum. Quem o garante é Susana Réfega, portuguesa que desde janeiro deste ano assumiu o cargo de diretora-executiva do Movimento Laudato Si’ a nível internacional. Mas, apesar de esta encíclica ter sido publicada pelo Papa Francisco há precisamente nove anos (a 24 de maio de 2015), “continua a haver muito trabalho por fazer” e até “algumas resistências à sua mensagem”, mesmo dentro da Igreja, alerta a responsável.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja”

Terminou a visita “ad limina” dos bispos portugueses

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja” novidade

“Penso que estamos a mudar o paradigma da Igreja”, disse esta sexta-feira, 24 de maio, o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), numa conversa com alguns jornalistas, em plena Praça de S. Pedro, no Vaticano, em comentário ao que tinha acabado de se passar no encontro com o Papa Francisco e às visitas que os bispos lusos fizeram a vários dicastérios da Cúria Romana, no final de uma semana de visita ad limina.

O mundo precisa

O mundo precisa novidade

O mundo precisa, digo eu, de pessoas felizes para que possam dar o melhor de si mesmas aos outros. O mundo precisa de gente grande que não se empoleira em deslumbrados holofotes, mas constrói o próprio mérito na forma como, concretamente, dá e se dá. O mundo precisa de humanos que queiram, com lealdade e algum altruísmo, o bem de cada outro. – A reflexão da psicóloga Margarida Cordo, para ler no 7MARGENS.

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Testemunho de uma judia-americana que abandonou Biden

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Esta é a história-testemunho da jovem Lily Greenberg Call, uma judia americana que exercia funções na Administração Biden que se tornou há escassos dias a primeira figura de nomeação política a demitir-se de funções, em aberta discordância com a política do governo norte-americano relativamente a Gaza. Em declarações à comunicação social, conta como foi o seu processo interior e sublinha como os valores do judaísmo, em que cresceu, foram vitais para a decisão que tomou.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This