Sínodo da Igreja Católica 2021-2024

Já disponível vídeo do debate sobre o Sínodo que contou com o testemunho do cardeal Tolentino

Iniciativa 7MARGENS

Já disponível vídeo do debate sobre o Sínodo que contou com o testemunho do cardeal Tolentino

O debate sobre os caminhos para a concretização do Sínodo em Portugal e na Igreja Católica em geral, promovido pelo  7MARGENS na passada quinta-feira, 15 de fevereiro, já está disponível no Youtube. Intitulado “Sínodo católico: promessa de futuro para pôr em prática”, conta com o testemunho do cardeal José Tolentino Mendonça sobre aquela que foi, para ele, a primeira experiência de participação num sínodo, como bispo.

Arcebispo de Cantuária: “A Igreja Católica precisa de ser muito mais aberta ao ministério das mulheres”

Entrevista ao 7MARGENS

Arcebispo de Cantuária: “A Igreja Católica precisa de ser muito mais aberta ao ministério das mulheres”

No final da sua primeira visita a Portugal, Justin Welby deu numa curta entrevista ao 7MARGENS, onde falou desta viagem que tanto o entusiasmou, mas também de outras não tão alegres, porém não menos importantes. E ainda da sua relação com o Papa Francisco, dos desafios que as Igrejas cristãs enfrentam… e das eleições legislativas que se aproximam.

Cardeal Tolentino abre debate sobre como pôr o Sínodo em prática

Esta quinta-feira, às 21h

Cardeal Tolentino abre debate sobre como pôr o Sínodo em prática

É já esta quinta-feira, 15, à noite, o debate sobre caminhos para a concretização do Sínodo em Portugal e na Igreja Católica em geral, uma iniciativa do 7MARGENS. Um testemunho em vídeo do cardeal José Tolentino Mendonça abre um painel de depoimentos que servirão como incentivo à participação dos presentes. As inscrições continuam abertas até às 17h de quinta-feira.

Atração pelo mesmo sexo – das feridas interiores a uma antropologia reinventada

Ensaio - Homossexualidades em perspetiva no sínodo II

Atração pelo mesmo sexo – das feridas interiores a uma antropologia reinventada

Após a publicação da primeira parte “ Gays e lésbicas Deus os criou”,  publica-se agora o texto em que a autora nos apresenta a segunda perspetiva do ensaio “Homossexualidades em perspetiva no Sínodo”. Este ensaio põe em confronto duas perspetivas sobre um dos temas em discussão neste caminho sinodal. [Texto de Liliana Verde]

Gays e lésbicas Deus os criou

Ensaio - Homossexualidades em perspetiva no sínodo I

Gays e lésbicas Deus os criou

Dos temas em discussão neste caminho sinodal, as questões do género, em particular a homossexualidade, é porventura uma das temáticas que mais reflete o conflito de sensibilidades dos tempos atuais, sobretudo no Ocidente. Liliana Verde no ensaio “Homossexualidades em perspetiva no Sínodo” propõe-nos uma abordagem de acordo com as duas perspetivas ou sensibilidades presentes na discussão sinodal.

Sinodalidade: uma outra forma de ser Igreja

Sinodalidade: uma outra forma de ser Igreja

Se a segunda sessão do Sínodo que atualmente decorre trouxer reformas substanciais à forma como a Igreja se organiza, talvez a questão da sinodalidade seja o maior contributo de Francisco para a reforma da instituição eclesial. Há, sem dúvida, assuntos prementes sobre os quais a Igreja tem de refletir e tomar decisões.[Texto de Jorge Paulo]

Patriarcado lança consulta com vista à próxima assembleia do Sínodo dos Bispos

Sábado, 13 de janeiro no Turcifal

Patriarcado lança consulta com vista à próxima assembleia do Sínodo dos Bispos

Lançar uma fase de consulta à diocese de Lisboa para preparar a segunda sessão da assembleia-geral do Sínodo dos Bispos que terá lugar em outubro deste ano é o tema principal do encontro que reúne no próximo sábado, 13 de janeiro, os representantes paroquiais, dos movimentos e obras envolvidos no processo do Sínodo sobre a sinodalidade no Centro Diocesano de Espiritualidade no Turcifal.

Bispos portugueses pedem às dioceses novos contributos para o Sínodo

Até março de 2024

Bispos portugueses pedem às dioceses novos contributos para o Sínodo

Na sequência do documento divulgado pela Secretaria-Geral do Sínodo, pedindo que os católicos do mundo inteiro voltem a mobilizar-se para a preparação da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) publicou esta quarta-feira, 13 de dezembro, orientações para a continuidade do processo sinodal nas comunidades católicas, pedindo às dioceses que enviem novos contributos até ao final de março de 2024.

Mobilizem-se e chamem outros, pede o Vaticano aos católicos para a segunda etapa do Sínodo

Documento orientador

Mobilizem-se e chamem outros, pede o Vaticano aos católicos para a segunda etapa do Sínodo

O Vaticano quer que os católicos se mobilizem para a segunda sessão do Sínodo dos Bispos e diz que cada diocese católica “é convidada a efectuar uma nova consulta”. Ao mesmo tempo, pede o envolvimento de peritos e instituições académicas, incluindo de “ciências humanas e sociais relevantes”, bem como de pobres, cristãos de outras confissões e crentes de outras religiões.

Católicos alemães desafiam advertências de Francisco

Aprovados estatutos do conselho sinodal

Católicos alemães desafiam advertências de Francisco

A assembleia geral do Comité Central dos Católicos Alemães (ZdK no acrónimo em língua germânica) que decorreu no fim de semana 24 e 25 de novembro aprovou por uma esmagadora maioria os estatutos do comité sinodal sobre o qual o Papa Francisco escreveu a 10 de novembro que ele “visa preparar a introdução de um órgão consultivo e de decisão o qual, na forma delineada no texto da resolução, não pode ser conciliado com a estrutura sacramental da Igreja Católica”.

O Sínodo? A Igreja? Qual a minha esperança?

O Sínodo? A Igreja? Qual a minha esperança?

Jesus foi uma contradição. Contrariou todas as expectativas desde o seu nascimento. Os judeus esperavam um messias à sua imagem e semelhança, todo-poderoso, rei dos judeus (rei deste mundo). Jesus começou por nascer como um sem-abrigo, nem casa teve, nem sequer um quarto. Foi perseguido e teve de fugir. Comeu com todos, era amigo dos mais frágeis, dos excluídos do seu tempo. Acolheu todos, começando pelos últimos, pelos rejeitados, pelos considerados impuros. (Isabel Viseu)

O Sínodo católico acabou em Portugal?

Editorial

O Sínodo católico acabou em Portugal?

A avaliar por aquilo que foi enunciado esta segunda-feira no início da assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) a propósito da continuação do processo sinodal da Igreja Católica, dir-se-ia que o Sínodo, em Portugal, será, nos próximos meses, assunto de “teólogos e especialistas”.

A sinodalidade em livro

Uma Igreja Transformada pelo Povo

A sinodalidade em livro

Quando a Igreja se reúne em Sínodo sobre a sinodalidade, pode parecer que está a olhar para o seu umbigo. Já muito foi escrito sobre o presente sínodo, desde as notícias que o 7Margens tem publicado até às múltiplas reflexões e referências sobre o mesmo. Nada melhor que o livro Uma Igreja Transformada pelo Povo, de Hervé Legrand e Michel Candessus (de 2020, ed. Paulinas, 2023) para iniciar ou dar continuidade a uma reflexão sobre o tema. (José Alves Jana)

Exigir e ousar no “caminhar juntos”

Exigir e ousar no “caminhar juntos”

O último mês de outubro de 2023 marcou uma nova etapa do processo sinodal em curso, depois da auscultação do Povo de Deus, dos encontros locais, diocesanos e nacionais e das assembleias continentais que reuniram e continuaram o discernimento em redor da problemática sinodal: como assumir a identidade sinodal que a Igreja já comporta desde os tempos primitivos?

“Não há como voltar atrás” quanto ao papel das mulheres, mas é preciso avançar mais

Reações ao Sínodo

“Não há como voltar atrás” quanto ao papel das mulheres, mas é preciso avançar mais

O documento que sintetiza os trabalhos da primeira sessão da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo “parece refletir um reconhecimento das feridas que as mulheres sofreram nas mãos da Igreja, mas não consegue envolver-se substancialmente na cura dessas feridas, optando, em vez disso, por deixar essas questões para cada vez mais estudos e comissões”, lamenta a Women’s Ordination Conference (WOC, ou Conferência pela Ordenação de Mulheres), em reação ao texto publicado no passado sábado pelo Vaticano.

Poder, mulheres, ecumenismo, moral e ministérios, os temas para aprofundar no Sínodo

Palavra aos católicos até 2024

Poder, mulheres, ecumenismo, moral e ministérios, os temas para aprofundar no Sínodo

Poder e estruturas de governo da Igreja; papel das mulheres; diálogo ecuménico; questões de moral individual; renovação da linguagem litúrgica e reconhecimento de mais ministérios – em síntese, estes são os tópicos que menos consenso oferecem e que têm de continuar a ser debatidos até Outubro de 2024, quando decorrer a segunda sessão da XVI assembleia geral do Sínodo dos Bispos.

“Repudiar a loucura da guerra, que semeia morte e apaga o futuro”

O apelo do Papa na véspera da votação final no sínodo

“Repudiar a loucura da guerra, que semeia morte e apaga o futuro”

No horizonte de Francisco, esteve em primeiro lugar a nova guerra entre Israel e o Hamas, na Faixa de Gaza, iniciada com o ataque terrorista do Hamas no sul de Israel, no dia 7 de Outubro. Desde então, têm-se sucedido bombardeamentos de retaliação por parte de Israel na Faixa de Gaza e ataques do Hamas com rockets em Israel.

Carta do Sínodo pede escuta, muita escuta para 2024, “a começar pelos mais pobres”

Papa falou contra “machismo” e clericalismo

Carta do Sínodo pede escuta, muita escuta para 2024, “a começar pelos mais pobres”

A XVI assembleia do Sínodo dos Bispos, a primeira a incluir um quarto de participantes padres, religiosas e leigos, divulgou nesta tarde de quarta-feira a sua “carta ao povo de Deus” – que é como quem diz, a todos os católicos do mundo. “Para progredir no seu discernimento, a Igreja precisa absolutamente de escutar todos.

Sínodo: o melhor, o novato, o veterano, a Igreja ausente e o suspiro do economista

Assembleia a três dias úteis do fim

Sínodo: o melhor, o novato, o veterano, a Igreja ausente e o suspiro do economista

Num Sínodo em que se pediu silêncio aos participantes para tentar evitar a polarização, juntam-se um cardeal austríaco e outro mexicano, ambos veteranos, e um terceiro cardeal, francês, novato; e, à falta de notícias sobre o tom dos debates na assembleia, saem desabafos, lamentos, sentimentos… E até um suspiro de um economista liberal, desejando que o Conselho de Segurança das Nações Unidas funcionasse ao menos um pouco como o Sínodo dos Bispos católicos…

Aprender a percorrer caminhos de sinodalidade

Que espero do Sínodo católico? (17)

Aprender a percorrer caminhos de sinodalidade

Embora com atraso na escrita prometida, consegui finalmente alinhavar algumas ideias, partindo da Jornada Mundial da Juventude e dos caminhos da sinodalidade. Quero também lembrar que por estes dias vivi com entusiasmo a participação no acolhimento de dois jovens noruegueses e acompanhei intensamente tudo o que  foi acontecendo durante a visita do Papa Francisco a Portugal.

Sínodo escreve carta aos católicos e Papa pede rotas “seguras” para migrantes

Assembleia entrou na última fase

Sínodo escreve carta aos católicos e Papa pede rotas “seguras” para migrantes

O Papa Francisco pediu nesta quinta-feira que se redobrem os “esforços para combater as redes criminosas, que especulam com os sonhos dos migrantes” criando, ao mesmo tempo, rotas “mais seguras”. Entretanto, o Sínodo anunciou que irá dirigir uma mensagem a todo o povo de Deus, para mobilizar os que ainda não estão envolvidos no processo sinodal.

Sinodalidade, Liberdade e Co-responsabilidade

Que espero do Sínodo católico? (16)

Sinodalidade, Liberdade e Co-responsabilidade

No dia 5 de outubro de 2023 participei na Assembleia Diocesana da minha diocese do Algarve destinada à apresentação do plano pastoral para este ano. O tema “Renovar pela transformação do Espírito (Ef. 4,23)” enquadrava-se perfeitamente no tema desenvolvido pelo orador principal, o P. Sérgio Leal, do Porto, sobre a “Sinodalidade e co-responsabilidade pastoral”, bem como na temática a decorrer em Roma no Sínodo convocado pelo Papa Francisco.

Fora dos muros

Que espero do Sínodo católico? (15)

Fora dos muros

Seguindo as orientações do Papa Francisco, a coordenação do Sínodo orienta os participantes sinodais para a discrição e prudência sobre o que se discute dentro dos muros do Vaticano. É uma preocupação para evitar polêmicas e/ou criar falsas expectativas nos diferentes setores internos da Igreja. (…) E do lado de fora dos muros estão todas aquelas e aqueles que há anos denunciam ou solicitam do governo da Igreja Católica respostas e ações efetivas para superar feridas abertas e geradas por equívocos estruturais e pastorais. [A reflexão de Edson Silva, coordenador do Grupo Nós Somos a Igreja (We Are Church) em São Paulo (Brasil)]

O lugar das mulheres na Igreja está no centro da mesa no Sínodo católico

Assembleia enfrenta e debate temas “difíceis”

O lugar das mulheres na Igreja está no centro da mesa no Sínodo católico

O mote foi dado pelo relator-geral do Sínodo católico e sublinhado por outros três intervenientes: as mulheres devem sentir-se parte integrante da Igreja missionária, como conseguir isso? O tema é uma das “questões difíceis” que as três centenas e meia de participantes com direito a voto (entre os quais 54 mulheres) enfrentarão nos próximos dias, ainda em “círculos menores”, a designação dos grupos de trabalho.

Mulheres marcham pela ordenação junto ao Vaticano e dentro do sínodo esse é um dos temas urgentes

Sínodo: seminários são problema grave

Mulheres marcham pela ordenação junto ao Vaticano e dentro do sínodo esse é um dos temas urgentes

Roberta Fuller apresenta-se: canadiana de Toronto, é mulher e é padre na Igreja Católica. E isso é possível? Sim, diz; a sua ordenação é válida, porque foi um bispo legítimo que a fez, mas ela é “não conforme à lei canónica”, admite. Por isso as cerca de 40 mulheres e alguns homens que se manifestam nesta quente tarde de sexta-feira, 6, próximo do Vaticano, empunham cartazes que, entre outras coisas, dizem que as “mulheres padres estão aqui”.

Vaticano diz que o Sínodo é apenas um começo

Paolo Ruffini respondeu aos jornalistas

Vaticano diz que o Sínodo é apenas um começo

“Como jornalistas, é normal que tentemos imaginar o fim de qualquer coisa: pode ser uma partida de futebol ou uma eleição política”, disse esta quinta-feira o prefeito do Dicastério para a Comunicação do Vaticano, Paolo Ruffini, que desempenha também as funções de presidente da Comissão para a Informação do sínodo que se iniciou quarta-feira e se prolonga até dia 29.

Lei da Mordaça

Lei da Mordaça

Fico a saber da imposição da lei da mordaça aos delegados do Sínodo dos Bispos, pela reportagem de António Marujo, da abertura dos trabalhos sinodais. Recordou Marujo que o Papa já pedira “um certo jejum da palavra pública” e, a seguir, o nosso enviado especial brindou os leitores do 7MARGENS com um naco da prosa pardacenta, própria de regulamentos autoritários:

Seis expectativas principais

Que espero do Sínodo católico? (10)

Seis expectativas principais

Tenho grandes expectativas a respeito do Sínodo. Talvez seja ingenuidade minha, mas não deixo de acreditar que a Igreja é reformável, apesar da lentidão com que se vai renovando e do consequente desfasamento em relação à sociedade em que vive. Este facto revela um entorpecimento das estruturas e um conservadorismo excessivo que a impede de ser sinal profético no mundo.

Papa quer Igreja a olhar para a humanidade, respeitando diferenças e “sem batalhas ideológicas”

Participantes instados ao silêncio com jornalistas

Papa quer Igreja a olhar para a humanidade, respeitando diferenças e “sem batalhas ideológicas”

O Papa Francisco quer uma Igreja centrada em Deus e que olhe, “com misericórdia, para a humanidade”, não se preocupando com qualquer lógica “parlamentar” ou de “estratégias humanas, cálculos políticos ou batalhas ideológicas”. Por duas vezes – na homilia da missa da manhã e no discurso de abertura da assembleia sinodal, à tarde – o Papa insistiu na necessidade de respeitar as diferenças, caminhar juntos e fazer um exercício que dê “prioridade à escuta”.

Comunidades vivas de pessoas amadas

Que espero do Sínodo católico? (9)

Comunidades vivas de pessoas amadas

Sentimos a necessidade de comunidades capazes de saírem das vedações protegidas do hábito, para ir ao encontro do outro onde ele está, independentemente da sua condição socioeconómica, da origem, do status legal ou da orientação sexual. Uma Igreja que possa ser compreendida por todos, conforme ao Mestre. Pois, muitas vezes, as nossas palavras, os gestos e os rituais são de difícil compreensão para quem não pratica assiduamente. Estamos conscientes disto?

É possível a sinodalidade quando se perdeu a confiança? E a sinodalidade é um erro?

Assembleia começa no Vaticano

É possível a sinodalidade quando se perdeu a confiança? E a sinodalidade é um erro?

Perante uma centena e meia de outros jovens, Sara Paci, francesa de 20 anos, tem uma pergunta simples: “É possível a sinodalidade quando se perdeu a confiança?” Quatro dias depois, a pouca distância daquele local, outra centena e meia de pessoas, na maioria mais velhas, reúne-se para uma sessão em que o Sínodo que nesta quarta-feira, 4, se inicia em Roma e o Papa Francisco são o alvo das críticas.

Os participantes do Sínodo estão mais abertos, compreensivos e amigos… Ou pelo menos era essa a intenção do retiro que fizeram

Juntos durante três dias

Os participantes do Sínodo estão mais abertos, compreensivos e amigos… Ou pelo menos era essa a intenção do retiro que fizeram

Só faltou o Papa. De resto, todos os membros, delegados e convidados especiais para a XVI Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, que começa esta quarta-feira, 4 de outubro, estiveram juntos em retiro espiritual na Fraterna Domus, em Sacrofano, 32 km a norte de Roma. Chegaram na noite de 30 de setembro, depois de terem participado na vigília ecuménica que teve lugar na Praça de São Pedro e ficaram até ao final do dia desta terça-feira, 3 de outubro. O retiro incluiu missa diária, orações comunitárias e individuais, trabalhos de grupo e momentos de silêncio, mas o que mais marcou estes três dias foram as seis meditações guiadas pelo padre dominicano Timothy Radcliffe (a ele ‘encomendadas’ pelo Papa), que desafiou todos os participantes a libertarem-se dos medos e arriscarem fazer “amizades improváveis”. Nunca ninguém disse que seria fácil, mas neste dias Radcliff garantiu que vai valer a pena o esforço.

Como o “Cântico das Criaturas” se colou ao corpo de João e foi da rua de Assis no século XIII para a Praça de São Pedro

O português que cantou na vigília ecuménica

Como o “Cântico das Criaturas” se colou ao corpo de João e foi da rua de Assis no século XIII para a Praça de São Pedro

O Cântico das Criaturas está-lhe “colado ao corpo”. Pelo facto de ter sido composto por Francisco de Assis no dialecto local da Umbria, o poema é claramente um “cântico da rua”. E quando João Maria Carvalho se viu sozinho a cantá-lo na Praça de São Pedro, perdeu a noção do espaço: entre o seu quarto em Benfica (Lisboa) e a praça, com o Papa Francisco e outros 19 líderes cristãos a assistir, “a diferença é quase nenhuma”.

Cinco cardeais conservadores interpelam o Papa sobre questões presentes no Sínodo

Usando o processo de ‘dubia’

Cinco cardeais conservadores interpelam o Papa sobre questões presentes no Sínodo

Nas vésperas da assembleia sinodal (que se inicia a 4 de outubro), cinco cardeais da ala mais imobilista da Igreja Católica tornaram públicas as perguntas que enviaram ao Papa Francisco sob a forma de dubia. Homossexualidade, ordenação de mulheres e a própria autoridade da assembleia sinodal são alguns dos pontos sobre os quais, ao expor a sua perplexidade sobre o que vem sendo dito, os cardeais fizeram doutrina e pressionaram Francisco para lhes dar uma resposta do tipo “sim”, ou “não”. As respostas do Papa não se fizeram esperar e também já foram divulgadas no site do Dicastério para a Doutrina da Fé .

Sínodo de uma Igreja dividida?

Que espero do Sínodo católico? (7)

Sínodo de uma Igreja dividida?

Tenho a perceção que o mesmo irá decorrer no seio de uma Igreja Católica dividida. Dividida entre progressistas e conservadores. Dividida entre ecuménicos e aqueles que querem uma Igreja menos permeável e, se necessário, mais radical para combater outras confissões, outras religiões e costumes que consideram moralmente reprováveis.

Acabar com as exclusões que não têm justificação

Que espero do Sínodo católico? (6)

Acabar com as exclusões que não têm justificação

Há cerca de 30 anos, no âmbito de um curso para jovens, organizado pela Acção Católica Rural, tendo como alvo perto de 50 jovens de várias paróquias da diocese de vila Real, convidámos um casal de divorciados recasados, para nos falarem sobre as suas vivências como cristãos nessa concreta situação. Foram muito bem acolhidos e os jovens apreciaram os seus testemunhos.

Expetativas ou esperança?

Que espero do Sínodo católico (5)?

Expetativas ou esperança?

Para responder à pergunta que espero eu do Sínodo, há talvez que fazer uma destrinça entre o que são expetativas, aquilo que se espera no imediato face ao caminho sinodal até aqui percorrido e às muitas interrogações que persistem, e aquilo que é a nossa esperança, ou seja, o que vai para além dos próximos tempos, o longo caminho a percorrer enquanto povo de Deus, independentemente das decisões, mas com a memória do caminho já percorrido

Réstia de Esperança

Que espero do Sínodo católico? (4)

Réstia de Esperança

As expetativas podem ser muitas e variadas. Situar-se entre teses próximas da Igreja Católica da Alemanha ou resvalar para outros níveis de entendimento, mais retrógrado, como, por exemplo, os assumidos por bispos dos Estados Unidos da América. Os alemães mais próximos do Papa Francisco, mas, ainda assim, em choque com orientações da Santa Sé, enquanto a poderosa hierarquia estadunidense, sempre que pode, não se exime de hostilizar o Santo Padre.

Deixem o Espírito Santo falar às Igrejas

Que espero do Sínodo católico? (3)

Deixem o Espírito Santo falar às Igrejas

Está prestes a iniciar-se o Sínodo sob o lema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. Muitos têm dito que este será o acontecimento que maior marca deixará no pontificado de Francisco. Mesmo que não se chegue a recolher os frutos desejáveis deste Sínodo e do que se há de realizar no próximo ano, está criada uma dinâmica de sinodalidade, em algumas das nossas Dioceses e comunidades cristãs que já é irreversível.

O 7MARGENS no Sínodo católico em Roma

Editorial

O 7MARGENS no Sínodo católico em Roma

Houve quem já comparasse a importância da assembleia sinodal da Igreja Católica, que na próxima quarta-feira, 4, se inicia em Roma, à que teve o II Concílio do Vaticano (1962-65): tal como então, estamos diante de uma assembleia magna que pretende traçar um diagnóstico do actual estado da Igreja e apontar caminhos de futuro ao nível da comunhão, participação e missão.

Servir sociedades destroçadas

Que espero do Sínodo católico? (2)

Servir sociedades destroçadas

Espero que esta Assembleia-Geral seja um sinal de grande abertura para continuarmos a caminhar juntos. Que seja uma etapa de onde saiam um renovado entusiasmo e novos desafios para mais um ano de encontros, reflexão, propostas e concretizações por parte de grupos de católicos em todo o mundo. Que seja um momento de espanto para crentes e não crentes: “tanta coisa os separa, tantas opiniões opostas, tantos modos diferentes de expressar a fé e, no entanto… tanta vontade, tanto gosto, tanta certeza em permanecerem juntos”.

Dois bispos da China continental entre os participantes do Sínodo

Lista final divulgada

Dois bispos da China continental entre os participantes do Sínodo

Dois bispos da China foram adicionados à “lista completa e definitiva” de participantes na primeira sessão da assembleia do Sínodo sobre a Sinodalidade, divulgada esta quinta-feira, 21 de setembro. O cardeal Luis Ladaria, que concluiu recentemente o seu mandato como prefeito do Dicastério para a Doutrina da Fé, já não estará presente, ao contrário do que havia sido anunciado em julho.

Movimento católico quer “narrativa completa” do dia da Ressurreição

22 de julho, festa de Santa Maria Madalena

Movimento católico quer “narrativa completa” do dia da Ressurreição

Para celebrar a figura de Santa Maria Madalena como primeira testemunha da Ressurreição de Jesus e como “apóstola dos apóstolos”, o Papa Francisco elevou a memória desta importante mulher dos evangelhos à categoria de “festa”, celebrada a 22 de julho, com dignidade idêntica às festas dos apóstolos e evangelistas. Alguns setores católicos entendem que se deve ir mais longe, tirando consequências deste exemplo quanto ao lugar que as mulheres ocupam e deveriam ocupar na vida atual da Igreja.

O que não é sinodalidade

O que não é sinodalidade

Desde que começámos a falar em “sinodalidade” na Igreja Católica que este termo saltou para o comum das reflexões quotidianas e, tendo um sentido oposto aos poderes do clericalismo, que se tentou e tenta – na minha opinião – o essencial de viver em comunhão, de viver em Sínodo.

Os mais de 260 participantes no Sínodo dos Bispos já têm rosto… e destacam-se as mulheres

Publicada a lista de presenças

Os mais de 260 participantes no Sínodo dos Bispos já têm rosto… e destacam-se as mulheres

O Vaticano anunciou esta sexta-feira, 7 de julho, a lista dos participantes no Sínodo dos Bispos de outubro próximo, segunda fase do processo sinodal que envolve a Igreja Católica a todos os seus níveis. Depois de ter introduzido modificações significativas na natureza e número dos que podem ser participantes e votar, o Papa, que preside ao Sínodo, apresentou os mais de 260 participantes das diferentes partes do mundo.

Em busca de escutadores de histórias

Em busca de escutadores de histórias

Dos documentos saídos da etapa diocesana preparatória para o Sínodo [da Igreja Católica] de 2024 que consegui ir lendo, e das várias discussões e depoimentos que fui ouvindo, atordoou-me muito o vazio e ensurdeceu-me deveras o silêncio em relação ao que considero ser a provocação central do Evangelho, a saber, a hospitalidade incarnada, concreta, pessoalizada e actuante no mundo, qual sal da terra, qual luz do mundo, qual fermento da massa.

Prémio Arcoíris atribuído a Cristina Inogés

Dia 29 de junho, em Madrid

Prémio Arcoíris atribuído a Cristina Inogés

A comunidade cristã LGTBI+H Crismhom de Madrid atribuiu o seu Prémio Arcoíris à colunista do 7MARGENS, a teóloga Cristina Inogés Sanz, pelo seu trabalho no sentido de “ajudar a dar visibilidade às pessoas LGBTQI+” ao longo do processo sinodal. O prémio foi-lhe atribuído em conjunto com Marisol Ortiz e a irmã Maria Luisa Berzosa da mesma equipa sinodal que procurou estimular esta comunidade de pessoas a participar no Sínodo da Igreja Católica sobre a sinodalidade.

Agenda dos bispos dos EUA não inclui o Sínodo

Assembleia plenária

Agenda dos bispos dos EUA não inclui o Sínodo

“Espantoso: A próxima assembleia dos bispos dos EUA não vai discutir o atual Sínodo do Papa Francisco”. Assim titulava recentemente o jornal National Catholic Reporter, a propósito do encontro da primavera do episcopado dos estados Unidos da América que decorre na cidade de Orlando, na Florida, desta quarta-feira, 14 até sexta-feira, 16 de junho.

O Instrumentum Laboris “será um texto curto”

Relator do Sínodo dos Bispos

O Instrumentum Laboris “será um texto curto”

O Instrumentum Laboris que vai ser divulgado no mês de maio “será um texto curto” dirigido aos participantes na primeira sessão do Sínodo sobre a sinodalidade, para ajudar a que “os membros do Sínodo se possam expressar”, favorecendo “a partilha e a participação”, esclareceu o cardeal Jean-Claude Hollerich, relator-geral da assembleia sinodal.

Questões e prioridades para assembleia sinodal conhecidas a 20 de abril

Grupo constituído pela secretaria-geral

Questões e prioridades para assembleia sinodal conhecidas a 20 de abril

A secretaria-geral do Sínodo anunciou que um grupo de peritos dos cinco continentes vai iniciar esta quarta-feira, dia 12 de abril, a reflexão para definir as questões e prioridades que deverão constar do Instrumentum Laboris, documento de trabalho para a primeira sessão da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para o Vaticano de 4 a 29 de outubro de 2023.

Secretaria-Geral do Sínodo incentiva a concretização imediata das “reformas sinodais”

Etapa continental terminou a 31 de março

Secretaria-Geral do Sínodo incentiva a concretização imediata das “reformas sinodais”

A conclusão, a 31 de março, da etapa continental da consulta sinodal “não significa o fim do processo sinodal para o Povo de Deus; significa, pelo contrário, deixar às comunidades locais o desafio de pôr em prática essas ‘reformas sinodais’ no quotidiano da sua ação eclesial e no reconhecimento de que muito do que foi discutido e identificado até agora a nível local não requer o discernimento da Igreja universal, ou a intervenção do magistério de Pedro”, escreve a secretaria-geral do Sínodo dos Bispos em nota divulgada ao final do dia de sexta-feira, 31 de março.

Igreja Católica de França terá assembleia sinodal cada três anos

Bispos reestruturam conferência episcopal

Igreja Católica de França terá assembleia sinodal cada três anos

Os bispos franceses anunciaram um vasto conjunto de iniciativas e linhas de ação com vista a combater os abusos sexuais na Igreja. Ano e meio depois da apresentação do relatório sobre o tema, os bispos abriram a assembleia da Conferência Episcopal (CEF) à participação de representantes dos fiéis. Uma assembleia sinodal realizar-se-á de três em três anos, em torno de matérias relevantes para a vida da Igreja e da sociedade.

Vaticano quer debater no Sínodo bênção de casais do mesmo sexo  

Ecos da decisão da Igreja Católica alemã

Vaticano quer debater no Sínodo bênção de casais do mesmo sexo  

A realização de cerimónias de acolhimento e bênção de casais homossexuais foi aprovada por esmagadora maioria de dois terços quer por bispos quer por leigos na sessão final do Caminho Sinodal da Igreja Católica alemã, que terminou no último sábado, dia 10. Contudo, de Roma já chegou o recado de que o assunto terá de ser objeto de conversações entre as duas partes, dado estar em causa uma posição oficial da Igreja contrária à medida.

Igreja Católica: e agora?

Igreja Católica: e agora?

A Igreja Católica portuguesa tem, e agora ainda mais, o dever de dar um contributo para a reforma necessária, levando ao Sínodo, com clareza e verdade, as principais preocupações dos católicos portugueses que a própria Conferência Episcopal Portuguesa resumiu no Relatório de Portugal ao Sínodo 2021-2023. (Opinião de Ana Bessa)

Um sínodo católico vivido em contexto de religião minoritária

Médio Oriente

Um sínodo católico vivido em contexto de religião minoritária

O compromisso “de viver como uma Igreja sinodal” significa empenhar-se em “aprender da escuta da palavra de Deus e da leitura dos sinais dos tempos” para “renovar a sua missão”. As palavras são do cardeal maronita Mar Beshara Boutros Al-Rahi, na abertura da assembleia da fase continental do Sínodo sobre a sinodalidade, que aconteceu esta segunda-feira, 13, no Líbano.

Uma ponte que se agita. Reflexões sobre o sínodo

Uma ponte que se agita. Reflexões sobre o sínodo

Participei nas discussões da assembleia continental na qualidade de presidente da Federação Internacional das Universidades Católicas, instituições que por missão e identidade estão na linha da frente de um diálogo com a modernidade, inspirado pelos valores do humanismo cristão. (Opinião de Isabel Capeloa Gil, Reitora da Universidade Católica Portuguesa)

Cristina Inogés Sanz: O abuso de poder é a raiz de todos os outros, incluindo o abuso sexual

Segunda parte da entrevista ao 7Margens

Cristina Inogés Sanz: O abuso de poder é a raiz de todos os outros, incluindo o abuso sexual

O abuso de poder é a raiz e o tronco a partir do qual saem os ramos de todos os outros que conhecemos, diz a teóloga espanhola Cristina Inogés Sanz. Nesta segunda parte da entrevista ao 7MARGENS, aborda-se a formação afectiva do clero e da relação com as mulheres, o acolhimento de pessoas LGBTI, o Sínodo e o que se espera do Papa, depois da morte de Ratzinger.

Cristina Inogés Sanz: É preciso ser criativo para alargar o lugar da mulher na Igreja

Teóloga do Sínodo católico fala ao 7M

Cristina Inogés Sanz: É preciso ser criativo para alargar o lugar da mulher na Igreja

“O lugar da mulher na Igreja, que é dado pelo baptismo, permite-nos ser tão criativos” como foram os primeiros cristãos na adaptação que fizeram do credo, para serem ouvidos pelos gregos e romanos. A ideia é de Cristina Inogés Sanz, teóloga espanhola que integra a comissão metodológica do sínodo católico. “E isso não irá destruir os fundamentos do cristianismo. Pelo contrário, permitirá que esteja mais presente no mundo real”, defende, nesta entrevista ao 7Margens.

Tomáš Halík: “A Igreja precisa de aliados, se souber abordá-los sem arrogância”

Assembleia continental do Sínodo

Tomáš Halík: “A Igreja precisa de aliados, se souber abordá-los sem arrogância”

Se a Igreja quer contribuir para a transformação do mundo, tem de se transformar a si mesma de modo permanente, afirmou o teólogo e filósofo checo Tomáš Halík, numa “introdução espiritual” aos trabalhos da assembleia continental europeia do Sínodo católico sobre a Sinodalidade, que decorre durante esta semana em Praga, na República Checa.

Assembleias continentais do Sínodo esta semana em Praga e Fiji

Igreja Católica

Assembleias continentais do Sínodo esta semana em Praga e Fiji

Na República Checa e nas ilhas Fiji arrancaram este domingo, com uma celebração da Eucaristia, as assembleias sinodais de âmbito continental da Europa e da Oceânia, tendo por referência um documento que sintetizou a auscultação das bases da Igreja Católica, que decorreu nos primeiros meses do ano de 2022, intitulado “Alarga o espaço da tua tenda”.

Um bispo, um padre e duas leigas na delegação portuguesa

Assembleia europeia do Sínodo

Um bispo, um padre e duas leigas na delegação portuguesa

A delegação portuguesa à assembleia continental europeia do Sínodo que vai decorrer em Praga de 5 a 12 de fevereiro é composta pelo bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), pelo padre Manuel Barbosa, secretário da CEP, e por Carmo Rodeia e Anabela Sousa, que fazem parte da equipa sinodal nacional. A informação foi divulgada esta quinta-feira, 2 de fevereiro, em nota enviada às redações.

Bispos espanhóis divulgam documento para etapa continental

Síntese sinodal apresentada em Madrid

Bispos espanhóis divulgam documento para etapa continental

Reforçar “o acolhimento nas nossas comunidades, em particular daqueles que se sentem excluídos pela sua origem, situação afetiva, orientação sexual, ou por outros motivos”, aprofundar “a corresponsabilidade real e efetiva do povo de Deus, superando o clericalismo, que empobrece nosso ser e nossa missão” e promover “o papel da mulher na Igreja e favorecer a sua plena e igual participação em todos os níveis da vida eclesial e, em particular, no governo das instituições” são três das sete “prioridades específicas” traçadas pelos bispos espanhóis para as próximas assembleias sinodais.

Vaticano pede aos bispos que não instrumentalizem as assembleias continentais do Sínodo

Carta assinada por Grech e Hollerich

Vaticano pede aos bispos que não instrumentalizem as assembleias continentais do Sínodo

Os cardeais Mario Grech e Jean Claude Hollerich, secretário-geral e relator-geral do Sínodo, escreveram uma carta aos bispos do mundo inteiro partilhando algumas considerações que estes deverão ter em conta nas assembleias continentais que se aproximam. Na missiva, divulgada esta segunda-feira, 30 de janeiro, no site do Sínodo, pedem em particular que não instrumentalizem esta nova fase, nem descurem aquela que foi “a consulta do Povo de Deus” realizada na primeira etapa.

Prior de Taizé: este Sínodo é uma aventura muito bela

Oração ecuménica no Vaticano

Prior de Taizé: este Sínodo é uma aventura muito bela

Acho muito belo que a Igreja Católica inicie um sínodo sem saber qual será o resultado final. É uma aventura; mas a própria Igreja é uma aventura” – disse o irmão Alois, prior de Taizé, na entrevista que deu a quatro jornais europeus sobre a oração ecuménica que decorrerá na Praça de São Pedro na véspera da abertura da primeira assembleia-geral do Sínodo.

Os ucranianos cantaram e a unidade entre cristãos até parece ser mais fácil

Encontro de Taizé em Rostock

Os ucranianos cantaram e a unidade entre cristãos até parece ser mais fácil

Mário Reis nunca tinha ouvido um aplauso tão longo em toda a sua vida, em nenhum dos concertos aos quais foi até hoje, em nenhuma das peças de teatro às quais assistiu, nem tão-pouco no final de algum discurso que tenha escutado. No dia em que ouviu esse aplauso, ou melhor, nessa noite, Mário não estava em nenhum espetáculo ou conferência inspiradora: estava numa oração ecuménica, mais propriamente no Encontro Europeu de Taizé, que decorreu de 28 de dezembro a 1 de janeiro na cidade de Rostock, numa das regiões mais secularizadas da Alemanha.

Família é tema que preocupa a Igreja africana em caminho sinodal

Encontro com jornalistas

Família é tema que preocupa a Igreja africana em caminho sinodal

África, um dos continentes onde a Igreja Católica mais cresce, em número de fieis e em dinamismo, apresentou-se esta terça-feira, 17 de janeiro, num encontro com jornalistas, tendo em vista o sínodo que terá a sua assembleia continental no início de março próximo. Com a presença de representantes de quase todas as conferências episcopais regionais africanas, o encontro, que o 7MARGENS acompanhou por videoconferência, permitiu evidenciar preocupações e contributos próprios que serão objeto de partilha e diálogo no plano da Igreja universal, a partir de outubro, em Roma, quando abrir a primeira sessão do Sínodo dos Bispos.

Vaticano abre curso à distância sobre sinodalidade para todos

No primeiro semestre de 2023

Vaticano abre curso à distância sobre sinodalidade para todos

O Centro Evangelii Gaudium do Instituto Universitário Sophia promove em 2023 um curso sobre a sinodalidade que será possível ouvir em língua portuguesa. A conferência introdutória está a cargo do cardeal Mario Grech, secretário-geral do Sínodo, e será difundida a 17 de janeiro. Sucedem-se três módulos ao longo dos meses seguintes. O curso é aberto à participação de qualquer batizado.

Assembleia continental do Sínodo vai mobilizar perto de 600 pessoas na Europa

De 5 a 12 de fevereiro, em Praga

Assembleia continental do Sínodo vai mobilizar perto de 600 pessoas na Europa

Foi oficialmente apresentada esta quarta-feira, 14 de dezembro, em Roma, a próxima etapa do processo sinodal 2021-2024 na Europa. Trata-se da assembleia continental, que terá lugar em Praga, de 5 a 12 de fevereiro de 2023, e na qual participarão perto de 600 pessoas em representação das 39 conferências episcopais que integram o Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE).

Bispos alemães insistem na sua agenda de “temas fraturantes”

Visita 'ad limina' ao Vaticano

Bispos alemães insistem na sua agenda de “temas fraturantes”

Sem eufemismo nem tibiezas, os bispos alemães expuseram à Cúria romana, durante os cinco dias da sua visita ad limina, os temas sobre os quais o caminho sinodal alemão tomou decisões que nem todos eles aceitam – poder na Igreja e participação dos fiéis; leitura dos sinais dos tempos; reavaliação da doutrina sobre homossexualidade; e acesso da mulher aos ministérios.

De pastoral para pastoral

[Olhar de teóloga]

De pastoral para pastoral

Estamos de parabéns! Terminou a fase diocesana do Sínodo, mas não o Sínodo em si, e começamos o caminho com tudo fresco na cabeça. Aquilo que dissemos nos grupos e que foi recolhido nas sínteses diocesanas e nacionais está disponível para refrescar a memória. A nossa voz soou clara, com conteúdo e força.

Abusos, sínodo e JMJ em debate na assembleia de bispos em Fátima

Entre 7 e 10 de novembro

Abusos, sínodo e JMJ em debate na assembleia de bispos em Fátima

Os bispos portugueses estarão reunidos a partir da tarde desta segunda-feira, 7, e até à próxima quinta-feira, em Fátima, para uma nova assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP). Entre os temas em agenda incluem-se a Jornada Mundial da Juventude 2023, e a participação na etapa continental do Sínodo 2021-2024. Será também feito um ponto de situação sobre o processo de “proteção de menores e adultos vulneráveis”.

Sínodo católico: cinco meses para definir prioridades

Editorial 7M

Sínodo católico: cinco meses para definir prioridades

A respiração das igrejas locais chegou ao Sínodo e este propõe que em cada continente se indiquem as experiências novas e iluminadoras que valorizam, as questões e interrogações a enfrentar e as ações prioritárias. O texto da Etapa Continental abre o tempo da concretização, ao jeito de um Concílio Vaticano II, parte 2. E é feliz no modo como o faz.

Tensões, preocupações e pedidos de mudança unem católicos do mundo inteiro

Divulgado documento da etapa continental do sínodo

Tensões, preocupações e pedidos de mudança unem católicos do mundo inteiro

Foi publicado esta quinta-feira, 27, o Documento de Trabalho da Etapa Continental do Sínodo (DEC), que servirá de “quadro de referência” para os trabalhos da segunda etapa do caminho sinodal lançado pelo Papa Francisco em 2021. Nele, sobressaem tensões, questões e pedidos de mudança transversais aos fiéis de todos os continentes. Entre os principais motivos de preocupação estão a falta de participação dos “exilados da Igreja”, os contínuos problemas relacionados com escândalos de abusos (sexuais e não só), as disputas litúrgicas e o clericalismo.

Bispos latino-americanos agradecem “decisão ousada” de ampliar o Sínodo

Um novo modo de ser Igreja

Bispos latino-americanos agradecem “decisão ousada” de ampliar o Sínodo

O presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), o bispo Miguel Cabrejos, reagiu com alegria ao anúncio do Papa de prolongar o Sínodo sobre a Sinodalidade até 2024, reconhecendo que se trata de “uma decisão ousada na medida em que enfatiza a necessidade de priorizar o processo, mais do que o evento sinodal”, e de garantir que toda a Igreja é envolvida, e “não apenas a Assembleia Sinodal”.

Papa alarga Sínodo para duas assembleias e mais um ano

“Mudanças profundas” à vista

Papa alarga Sínodo para duas assembleias e mais um ano

O Papa Francisco anunciou que o Sínodo católico sobre a sinodalidade terá duas assembleias decisórias e não apenas uma: a primeira em Outubro de 2023, que estava já prevista, e a segunda em Outubro de 2024. Foi o próprio Papa quem o disse, na sua alocução do Ângelus deste domingo, 16 de Outubro, com a Secretaria do Sínodo a confirmar a notícia pouco depois, acrescentando algumas razões para a resolução.

Sinodais a irradiar 

Sinodais a irradiar 

O processo e o caminho estão apenas no início. Avancemos com confiança, guiados e animados pelo Espírito Santo e não nos deixemos parar pelo cansaço, desalento ou retardar dos frutos. Irradiemos o estilo sinodal. A renovação da Igreja está a urgir e transformação e a humanização da cultura é premente.

Tecnologia: do centro e das margens

Tecnologia: do centro e das margens

Para sair do centro para a periferia, não basta uma conversão espiritual, é necessária uma revolução tecnológica, que não é digital. Porque quem usar na periferia as técnicas do centro pode acabar eletrocutado, perdão, sociocutado.

Conservadores e progressistas na fronteira do diálogo

Conservadores e progressistas na fronteira do diálogo

Assusta assistir à apropriação política e ideológica da vida da Igreja. Sejamos claros: não existe nada de mal na definição de uma doutrina que oriente a vida da Igreja. O problema está em subordinar a vida da Igreja a uma doutrina, seja ela qual for. Não pode haver uma apropriação de algo tão sério como a vivência comunitária da fé em nome de ideologias e devaneios. Não pode o sínodo ser declaração da abertura de uma guerra pelo controlo da Igreja.

Igreja sinodal, luz a irradiar 

Igreja sinodal, luz a irradiar 

A Igreja sinodal vai crescendo na cultura da solicitude, na prática do discernimento, na valorização da dimensão integral do ser humano: conhecimento, experiência, afectos, vontade; em ordem a avaliar cada decisão e a promover o bem pessoal integrado no bem comum.

“O que diz o Espírito às igrejas”

“O que diz o Espírito às igrejas”

Só agora a hierarquia eclesiástica entendeu que, para o seu sínodo (clerical), o Espírito Santo poderia querer dizer-lhe alguma coisa pela voz dos leigos. Antes, pressupunha-se que o Espírito Santo só chegaria à Igreja por mediação clerical.

Diocese de Braga retoma assembleias sinodais

Carta pastoral do arcebispo

Diocese de Braga retoma assembleias sinodais

A Arquidiocese de Braga tem já marcada uma segunda assembleia sinodal para dar continuidade a alguns aspetos da síntese diocesana. Terá lugar em Guimarães, em 26 de novembro próximo. A confirmação acaba de surgir na primeira carta pastoral do arcebispo José Cordeiro, na qual a sinodalidade é, precisamente, o ponto mais destacado.

Bispos respondem a críticas ao “Relatório de Portugal ao Sínodo”

Após reunião em Fátima

Bispos respondem a críticas ao “Relatório de Portugal ao Sínodo”

Os conteúdos do Relatório de Portugal ao Sínodo 2021-2023 “não foram inventados” pela comissão criada pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) para a sua redação, esclareceu em comunicado divulgado esta terça-feira, 13, o padre Manuel Barbosa, secretário e porta-voz daquele organismo. Esses conteúdos “encontram-se nos documentos” enviados pelas diferentes dioceses e “é importante ouvi-los, discerni-los, completá-los ou reformulá-los, mas não descartá-los”, sublinhou.

O segundo passo

O segundo passo

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) divulgou o Relatório de Portugal para o Sínodo 2021/2023. Pouco tempo depois, surge uma Carta Aberta (CA) com vários signatários cujo primeiro nome é conhecido na sociedade portuguesa a criticar o tom negativo do texto e que esquecia o que de positivo faz, também, parte da vida da Igreja.

Igreja sinodal na sociedade secular

Igreja sinodal na sociedade secular

O diagnóstico está feito. É preciso ser consequente. A experiência sinodal abre caminhos. A sociedade secular espera os contributos dos cidadãos cristãos para fomentar a humanização integral. 

E se a Jornada Mundial da Juventude for um vazio?

3ª de 3 pequenas crónicas sinodais

E se a Jornada Mundial da Juventude for um vazio?

Pensando na JMJ, não esperaria que ela reproduzisse as preocupações da minha juventude mas legitimamente esperaria encontrar um pequeno conjunto de ideias arrebatadoras que funcionassem como motivação e mobilização dos jovens. Temos que compreender a JMJ como um evento de massas mas, ainda assim, não é razoável que ela se quede pela competição dos números (estabelecer recordes de presenças: 2 milhões, 2 milhões e meio, como temos ouvido ao bispo responsável) ou por uma triste insipiência de conteúdos.

Formação sinodal

Formação sinodal

O nó górdio da Igreja está no desafio de desatar os nós da instituição para lançar as pontes de união indispensáveis para vivermos em comunhão missionária. Esta dinâmica passa necessariamente pela formação sinodal como tem sido atestado pelos relatos diocesanos.  

Grupo de cristãos critica Relatório de Portugal ao Sínodo

Em carta aberta

Grupo de cristãos critica Relatório de Portugal ao Sínodo

O Relatório de Portugal ao Sínodo 2021-2023, recentemente publicado, “sublinha os aspetos negativos [da Igreja] e ignora os positivos”, esquece, “senão mesmo discrimina”, os santos e mártires que a constituem, e não refere “a mais importante expressão da fé católica em Portugal: Fátima”. Estas são algumas das críticas apontadas por “um grupo de cristãos” numa carta aberta divulgada esta semana e cujo primeiro subscritor é o padre do Opus Dei Gonçalo Portocarrero de Almada.

Cristãos polacos sentem a sua Igreja como velha, tímida e clerical

Participação sinodal abaixo dos 0,5 por cento

Cristãos polacos sentem a sua Igreja como velha, tímida e clerical

A síntese polaca refere a perceção dos poucos católicos que participaram no processo sinodal de que a sua Igreja é “velha, tímida e cansada”, “uma concubina do Estado”, “algo para as gerações mais velhas” e está “desapegada da vida”, sintetizou, de acordo com o site católico The Pillar de 24 de agosto, o arcebispo Stanisław Gądecki, presidente da Conferência Episcopal daquele país.

Que faremos deste texto?

Editorial 7M

Que faremos deste texto?

O Relatório de Portugal para o Sínodo 2021/2023, elaborado pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) é um documento corajoso. Poucas instituições de importância significativa terão alguma vez, em Portugal, trazido a público uma imagem tão crítica, realçando tantos aspetos negativos de si próprias.

Poliedro pastoral

Poliedro pastoral

O sonho de uma Igreja missionária capaz de construir pontes e não muros pode refletir-se através de uma figura apresentada pelo Papa Francisco: o poliedro… Esta figura orienta-nos para saber que ser Igreja em saída significa ir em busca de todas as partes, a fim de...

Cristãos fora da Igreja

[Olhar de teóloga]

Cristãos fora da Igreja

Há já mais cristãos fora do que dentro da Igreja? Poderá haver alguém que acredite sem saber que acredita? O título de um jornal poderá ajudar algumas pessoas a descobrirem a sua fé incipiente? São perguntas que convinha que fizéssemos, pois as respostas às perguntas anteriores são: Sim, sim e sim.

Igreja irlandesa quer dialogar com a cultura dominante

Síntese do Sínodo

Igreja irlandesa quer dialogar com a cultura dominante

O encontro e diálogo com a cultura dominante “exige que a Igreja esteja aberta a considerar o que tem valor nas novas normas da sociedade e o que é válido na crítica que esta faz à Igreja”. Este é um dos focos que a Igreja da Irlanda aponta como dificuldade e como desafio para o seu futuro, no documento-síntese nacional para o Sínodo sobre a Sinodalidade.

A Igreja quer ouvir-te

A Igreja quer ouvir-te

Este convite chega-me do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam). Fico surpreendido, tanto mais que vem acompanhado pelo nome do Papa Francisco. Desperta o meu desejo constante de acompanhar e viver o que acontece na Igreja Católica. Por isso resolvi dar-lhe resposta, que partilho neste artigo.

Católicos temem ausência de liberdade no debate de temas cruciais

Contributo dos Bispos Alemães para o Sínodo

Católicos temem ausência de liberdade no debate de temas cruciais

As sínteses das dioceses referem a existência de “dúvidas de que uma reflexão aberta possa ocorrer dentro da igreja” num clima “livre de ansiedade” sobre “os assuntos tabus relacionado com a sexualidade (contraceção, aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo…)”, lê-se no relatório final que a Conferência dos Bispos Alemães (GBC, no acrónimo em língua inglesa) enviou para Roma como contributo para o Sínodo dos Bispos de 2023.

Igreja precisa de discutir “racismo, questões de género e clericalismo”

Sínodo na Costa do Marfim

Igreja precisa de discutir “racismo, questões de género e clericalismo”

Os católicos da Costa do Marfim pedem à Igreja em geral que se empenhe em mais “discernimento” em várias questões dolorosas – como racismo, questões de género e clericalismo – na próxima etapa do processo sinodal. Os líderes da Igreja na nação da África Ocidental fazem o apelo na síntese nacional recentemente publicada sobre as consultas sinodais que foram realizadas nas suas 15 dioceses católicas.

Escuta sinodal revela desafios sociais

Igreja na Índia

Escuta sinodal revela desafios sociais

A Igreja Católica de Rito Latino da Índia vai reunir-se de 26 a 28 de julho em Bangalore para rever a síntese nacional do Sínodo que será enviada a Roma como parte da jornada mundial convocada pelo Papa Francisco que terá o seu momento final em outubro de 2023.

Reino, sim

A propósito da consulta sinodal

Reino, sim

Seria muito triste que, depois de termos colocado no centro do nosso olhar precisamente aquilo que Jesus colocou no centro do seu olhar ‒ um Reino de paz e de justiça sem verdugos ou vítimas, mas apenas ‘agapê’ (C. Spicq) ‒ voltássemos, neste século XXI, a olhar apenas para o nosso umbigo…

Para uma Igreja renovada

Para uma Igreja renovada

Foram momentos de muita esperança os que se viveram na Igreja Católica nos últimos meses, a nível universal, desafiados que foram todos os seus fiéis, sacerdotes e leigos a efectuarem uma reflexão sobre os caminhos que se viveram anteriormente, olhar para tudo o que foi feito e discernir aquilo que a Igreja, no seu conjunto, quer para o futuro. No fundo, tentar perceber, sob o impulso do Espírito Santo, o que é que a Igreja quer ser no meio da sociedade em que está inserida, de que forma pode continuar a sua missão de evangelizar, tudo em busca da criação de um mundo melhor para toda a humanidade.

O reino da dispersão

O reino da dispersão

Que fácil é o caminho que leva à dispersão e ao alheamento nos tempos de hoje. Somos sistematicamente distraídos com questões menores e reflexões superficiais, para não falar da facilidade com que nos deixamos engolir pelas solicitações de toda a parte. Não damos tempo à oração e à proximidade com Deus e isso leva-nos à dispersão. Só com paciência e procura conseguimos ouvir a Sua voz e deixar que o Espírito nos guie.

Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal

Intervenção de Borges de Pinho na CEP

Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal

Há quem continue a pensar que sinodalidade é mais uma “palavra de moda”, que perderá a sua relevância com o tempo. Esquece-se, porventura, que já há décadas falamos repetidamente de comunhão, corresponsabilidade e participação. Sobretudo, ignoram-se os princípios fundacionais e fundantes da Igreja e os critérios que daí decorrem para o ser cristão e a vida eclesial.

Capelania da Univ. Coimbra: Promover o encontro entre ciência e espiritualidade, entre crentes e não-crentes

Contributos para o Sínodo (25)

Capelania da Univ. Coimbra: Promover o encontro entre ciência e espiritualidade, entre crentes e não-crentes

Organizar iniciativas de diálogo com não-crentes e crentes de outras religiões, abrindo a Igreja à sociedade e fazendo dela um motor do progresso social e da comunhão humana; assumir a dimensão da Sinodalidade como verdadeira abertura ao século XXI; e promover o encontro entre a ciência e a espiritualidade, sempre possível, cria pontes da Igreja com as instituições de Ensino Superior – estas são algumas das propostas da comunidade da Capelania da Universidade de Coimbra, em resposta à maior auscultação alguma vez feita à escala planetária, lançada pelo Papa Francisco, para preparar a assembleia do Sínodo dos Bispos de 2023.

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Contributos para o Sínodo (23)

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Os leigos devem ser ouvidos nos processos de nomeação de párocos e de escolha dos bispos e a Igreja deve ter uma lógica de reparação da situação criada pelos abusos de menores. Evitar o clericalismo e converter os padres a uma Igreja minoritária, pobre, simples, dialogante, sinodal é outra das propostas do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Hora (Matosinhos).

Uma Igreja ferida chamada à conversão

Sínodo em Inglaterra e Gales

Uma Igreja ferida chamada à conversão

A corresponsabilidade entre todos os batizados no governo da Igreja, a valorização do papel da mulher, uma maior atenção aos grupos até agora marginalizados e uma reorientação das prioridades pastorais são alguns dos pontos mais significativos da síntese nacional da Igreja na Inglaterra e em Gales divulgada no sábado, 25 de junho.

Pastoral Familiar de Silvalde: Chegar aos mais frágeis, escutar os de dentro e os de fora

Contributos para o Sínodo (18)

Pastoral Familiar de Silvalde: Chegar aos mais frágeis, escutar os de dentro e os de fora

Chegar às pessoas mais fragilizadas, pobres, marginais ou carecidas de afeto da respetiva freguesia, poder unir esforços e contribuir para minimizar as dificuldades e ajudar a erguer os mais débeis, e procurar chegar a todas as pessoas, crentes ou não, são propostas de um grupo de Pastoral Familiar da Paróquia de S. Tiago de Silvalde (Vigararia de Espinho/Ovar, Diocese do Porto) em resposta à maior auscultação alguma vez feita à escala planetária, lançada pelo Papa Francisco, para preparar a assembleia do Sínodo dos Bispos de 2023. E

Grupo de crentes e não-crentes: Trazer as Margens para o Centro

Contributos para o Sínodo (17)

Grupo de crentes e não-crentes: Trazer as Margens para o Centro

Uma Igreja ousada “na concretização de uma agenda transformadora e na adoção de um novo modelo de funcionamento interno”, que dê atenção aos cinco “P” da Agenda 2030 da ONU (planeta, pessoas, prosperidade, parcerias e paz) e seja uma Igreja Cidadã na inclusão das mulheres, no repensar do internato em Seminários, na abertura da formação a homens e mulheres. Estas são várias das propostas de um grupo de crentes e não-crentes, em resposta à maior auscultação alguma vez feita à escala planetária, lançada pelo Papa Francisco, para preparar a assembleia do Sínodo dos Bispos de 2023.

Era uma vez na Alemanha

Era uma vez na Alemanha novidade

No sábado 3 de fevereiro, no centro de Berlim, um estudante judeu foi atacado por outro estudante da sua universidade, que o reconheceu num bar, o seguiu na rua, e o agrediu violentamente – mesmo quando já estava caído no chão. A vítima teve de ser operada para evitar uma hemorragia cerebral, e está no hospital com fracturas em vários ossos do rosto. Chama-se Lahav Shapira. [Texto de Helena Araújo]

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Estudo apresentado dia 27

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas novidade

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Sessões gratuitas

Sol sem Fronteiras vai às escolas para ensinar literacia financeira

Estão de regresso as sessões de literacia financeira para crianças e jovens, promovidas pela Sol sem Fronteiras, ONGD ligada aos Missionários Espiritanos, em parceria com o Oney Bank. Destinadas a turmas a partir do 3º ano até ao secundário, as sessões podem ser presencias (em escolas na região da grande Lisboa e Vale do Tejo) e em modo online no resto do país.

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra

Atividades abertas a todos

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra novidade

Empenhado em ser “um lugar onde a Cultura e a Espiritualidade dialogam com a cidade”, o Seminário de Coimbra acolhe, na próxima segunda-feira, 26, a atividade “Humanizar através do teatro – A Importância da Compaixão” (que inclui a representação de uma peça, mas vai muito além disso). Na terça-feira, dia 27, as portas do Seminário voltam a abrir-se para receber o biólogo e premiado fotógrafo de natureza Manuel Malva, que dará uma palestra sobre “Salvar a natureza”. 

O princípio de Betânia

O princípio de Betânia novidade

Numa sexta-feira, seis dias antes da Páscoa, no regresso de Jericó para Jerusalém, Jesus faz uma pausa em Betânia, uma pequena aldeia a três quilómetros de Jerusalém que visitava regularmente, sendo amigo da família de Lázaro, Marta e Maria. É que no sábado a lei judaica não permitia viajar. Entretanto, um tal Simão denominado “o leproso” (talvez um dos que Jesus tinha curado) convida-o para um jantar no sábado à noite na sua casa, também em Betânia. [Texto de José Brissos-Lino]

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra

Carta nos dois anos da guerra na Ucrânia

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra novidade

No momento em que passam dois anos sobre a invasão russa e o início da guerra na Ucrânia, quatro académicos do Centro de Estudos Cristãos Ortodoxos da Universidade de Fordham, nos Estados Unidos da América, dirigiram esta semana uma contundente carta aberta aos líderes das igrejas cristãs mundiais, sobre o papel que as confissões religiosas têm tido no conflito.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This