Sínodo da Igreja Católica 2021-23

Inquérito 7M sobre o Sínodo 2023 (4)

Entre a esperança e a decepção

Na sequência do inquérito sobre o final da fase diocesana do Sínodo em Portugal, feito pelo 7MARGENS, publicámos já comentários do franciscano capuchinho Fernando Ventura, da professora de Ética e teóloga Teresa Martinho e do teólogo e antropólogo Alfredo Teixeira. Fica a seguir o comentário da irmã Julieta Dias, da congregação do Sagrado Coração de Maria.

Inquérito 7M sobre o Sínodo (2)

Arquivar o Povo De Deus

Foi com choque e tristeza que li no 7MARGENS que “a quase totalidade das dioceses portuguesas decidiu divulgar apenas as sínteses diocesanas do processo sinodal em curso na Igreja Católica”. Diz ainda a notícia que “os contributos recebidos de paróquias, grupos, movimentos, comunidades religiosas ou pessoas individuais” não serão divulgados. Apesar de, por exemplo, na diocese de Aveiro se dizer que “o documento com a síntese diocesana será (…) o documento base para programar o próximo ano pastoral”, a diocese da Guarda afirma que “poderia ser falta de respeito o seu uso [dos contributos de grupos] sem consentimento dos mesmos intervenientes)”, pelo que “estes relatórios serão arquivados na Cúria diocesana”. O objetivo destas reflexões é que elas se difundam, que se pense em conjunto, não que processos sãos, participados, salutares, eclesiais, sejam arquivados.

Inquérito 7M sobre o Sínodo

E a escuta dos de fora?

Noto pelo menos uma falta de referência à “escuta e participação”, nas palavras do Papa, “dos de fora, dos da periferia”. Eventualmente terão sido ouvidos, mas à primeira vista, fica a sensação de que na maioria dos casos, senão na quase totalidade, os que foram “ouvidos” foram os “de dentro”, os de sempre.

Diocese de Abidjan

75% dos jovens e 80% dos adultos participaram no Sínodo

“Em termos estatísticos, posso dizer que 75% dos jovens e 80% dos adultos participaram das consultas sinodais na nossa diocese”. A afirmação refere-se à diocese de Abidjan, na Costa do Marfim, e pertence ao padre Hippolyte Agnigori, responsável pela equipa que ali está a coordenar o Sínodo sobre a sinodalidade.

Brasil

500 bispos na reunião da CNBB para falar sobre o Sínodo

478 bispos participaram ontem, via on-line, no primeiro dia da 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros (CNBB) que se prolonga até dia 29 de abril e tem como tema central “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, o mesmo tema do Sínodo de 2023, convocado pelo Papa Francisco.

Perdermo-nos em Deus como antídoto ao “burnout”

Há quem pense que o percurso sinodal da Igreja Católica representa um desafio para uma evangelização nova por andarmos a competir com o Facebook. Talvez seja por isso que muitas pessoas acreditem que “se não os podes vencer, junta-te a eles”.

Assinada por 74 bispos

Nova carta aberta contra recomendações da via sinodal alemã

A via sinodal alemã expressa a “tentativa da Igreja neste país enfrentar as causas sistémicas dos abusos sexuais e do seu encobrimento que causaram sofrimento incalculável a tantas pessoas dentro e através da Igreja”, escreveu a 13 de abril o presidente da Conferência Episcopal Alemã, o bispo Georg Bätzing, em resposta às críticas da carta aberta de 74 prelados divulgada no dia anterior.

Processo sinodal em França

Calendário vai até 15 de junho

Em França, o prazo para entrega das reflexões diocesanas sobre o documento preparatório do Sínodo dos Bispos 2021-2023 termina no domingo 15 de maio. As sínteses, de acordo com notícia do La Croix de 11 de abril, serão trabalhadas por uma equipa nacional liderada pelo bispo de Troyes, Alexandre Joly.

[Olhar de teóloga]

O grande inquisidor

  A lenda de 'O Grande Inquisidor', de F. Dostoievski, está inserida na sua grande obra Os Irmãos Karamazov, e é uma parábola que alude à fé e ao ateísmo, que sempre andaram de mãos dadas neste magnífico autor. O texto narra o aparecimento de Jesus Cristo no...

Iniciativa mundial

Inquérito às mulheres católicas sobre o Sínodo

Professoras e investigadoras de três países estão a recolher opiniões  de mulheres católicas de todo o mundo, de modo a poderem elaborar uma apresentação o mais representativa possível à XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, com o tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão.”

Uma cultura sinodal leva tempo

A escuta sinodal continua e tem prazo. Mas se a sinodalidade deveria ser o modo de sermos Igreja, quando terminar o Sínodo dos bispos sobre esse assunto e passarmos a outro, deixará de haver escuta sinodal?

Encontro 7MARGENS é hoje

Como estamos de Sínodo?

O encontro de leitores do 7MARGENS sob o tema “Como estamos de Sínodo?” decorre hoje, segunda-feira, 14 de março, a partir das 21h00. A troca de impressões sobre o caminho percorrido, as esperanças perdidas e as expectativas em aberto pelo processo sinodal terá lugar via zoom.

Encontro 7MARGENS

Como estamos de Sínodo?

Cinco meses após a abertura do Sínodo dos Bispos 2021-2023, o 7MARGENS convida os seus leitores para uma troca de impressões, de experiências e ideias sobre o caminho percorrido, as esperanças perdidas e as expectativas em aberto.

Carta do arcebispo Gadecki ao bispo Bätzing

Bispo polaco acusa bispos alemães de se afastarem do Evangelho

O presidente da conferência episcopal polaca, arcebispo Stanislaw Gadecki, divulgou uma carta aberta que endereçou a 22 de fevereiro ao seu homólogo alemão, o bispo Georg Bätzing, e na qual afirma que “tendo em conta os frutos” da via sinodal alemã “tem-se a impressão de que o Evangelho nem sempre tem estado na base da reflexão” feita pelos participantes.

Inquérito online

Jesuítas querem saber o que pensam os jovens sobre a Igreja

Se tens entre 15 e 35 anos, podes responder a um inquérito dinamizado pelo site dos Jesuítas Ponto SJ, que pretende saber o que pensas sobre a Igreja Católica. O formulário já está acessível desde esta quarta-feira, dia 23,  ficando disponível até 23 de março. Se estiveres fora dos limites etários ou conheceres potenciais interessados, podes sempre dar a conhecer esta oportunidade de participação.

Repensar o modelo da Igreja a partir da realidade

Confesso que não me tenho sentido entusiasmado com o dinamismo sinodal em curso na Igreja em Portugal, apesar de ainda haver muito caminho por andar. A minha pouca motivação vai mais longe, pois estende-se aos objetivos do próprio Sínodo. Não tenho dúvidas que esses objetivos correspondem aos anseios do Papa Francisco e eu estou, incondicionalmente, solidário com ele. Por isso, não deixarei de dar o meu modesto contributo.

Sínodo 2021-23

“Desorientação” e “medo” entre clero, leigos receiam não ser tidos em conta

Há uma “desorientação manifestada por alguns membros do clero” em relação ao Sínodo da Igreja Católica 2021-23 convocado pelo Papa Francisco e esse é um desafio recorrente. Além disso, há também algum “medo e a reticência entre alguns grupos de fiéis e entre o clero”, bem como “uma certa desconfiança entre os leigos que duvidam que o seu contributo venha realmente a ser tido em conta”.

Um Sínodo para todos

Ultimamente, na minha comunidade, o Sínodo da Igreja Católica sobre a sinodalidade tem sido tema recorrente das nossas conversas. Cada uma de nós (somos cinco) vai vivendo esse caminho de maneiras diferentes, nos grupos que acompanha, na paróquia e nas conversas com outros. A partir da (ainda) pequena experiência que temos, vão surgindo diferentes formas de encarar este caminho sinodal.

O Sínodo dos Bispos não é o sínodo da Igreja

Está a Igreja Católica Romana a caminhar para mais um Sínodo dos Bispos, a acontecer em 2023, e para isso toda uma máquina funciona no sentido da obtenção de mais diretivas ao serviço do Evangelho. Vamos lá lembrar o que está a acontecer: já não é a primeira vez que se realiza um Sínodo dos Bispos para refletir sobre algumas questões colocadas, sem que, no entanto, se sintam alterações substantivas ao funcionamento da Igreja, dando vitalidade ao seu caminhar.

Sínodo 2021-23

Um caderno para imprimir e usar

Depois de ter promovido a realização de dois inquéritos sobre o sínodo católico 2021-23, o 7MARGENS decidiu reunir o conjunto de textos publicados a esse propósito num caderno que permita uma visão abrangente e uma utilização autónoma do conjunto. A partir de agora, esse caderno está disponível em ligação própria.

Oportunidade para a conversão pastoral

Este Francisco parece que adivinha o que poderá acontecer se o Povo de Deus ficar quieto e calado à espera que o clero clericalize todo o caminho sinodal. E está para tal, pelo menos no que se vai passando em Portugal. São os riscos apontados no seu discurso que se tornam factos de formalismos exigentes por parte dos poderes clericais.

Aborto e sinodalidade

Sermões do Vaticano aos bispos dos EUA

Não é comum que um núncio apostólico, ou seja, um diplomata, se torne uma figura de primeiro plano entre os bispos do país em que representa a Santa Sé. Mas, nesta semana, o arcebispo Christophe Pierre (núncio apostólico nos Estados Unidos da América) esteve em foco pelo conteúdo da sua intervenção na assembleia do episcopado daquele país.

Primeira fase prolongada

Pároco italiano lança a proposta de um Sínodo das Crianças

Acaba de surgir na Sicília, Itália, o projeto de lançar um sínodo das crianças. O autor da ideia é o padre Fortunato Di Noto, que alimenta há mais de dez anos o sonho de criar uma dinâmica de escuta dos mais pequenos, como forma de valorizar as crianças enquanto pessoas. A ideia, surgida já com o processo sinodal em andamento, pode ganhar fôlego, agora que a primeira fase do Sínodo foi prolongada até 15 de agosto de 2022.

Sínodo de esperança ou nem isso

Tenhamos esperança de que o Sínodo começado em Portugal e em todas as dioceses do mundo católico-romano não seja um esfrangalhado tecido que nada terá a ver com a vontade indomável de um homem, que se chama Francisco, bispo de Roma e Papa. As primeiras notas não são nada animadoras: basta sentirmos o que a Igreja Católica em Portugal fez com a encíclica Laudato Si’, que simplesmente silenciou e, embora alguns pequenos grupos teimem em levá-la à luz do dia, o clero português, na sua generalidade, não estará para aí virado.

Sínodo em demanda de mudanças

Falo-vos da reflexão feita pelo Papa Francisco, como bispo de Roma, no início do Sínodo, cuja primeira etapa agora começa, de outubro de 2021 a abril de 2022, respeitando às dioceses individuais. Devemos lembrar que o “tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou novo termo a ser usado ou instrumentalizado nos nossos encontros. Não! A sinodalidade exprime a natureza da Igreja, a sua forma, o seu estilo, a sua missão”.

Dioceses portuguesas abriram Sínodo

Escutar sem filtros insatisfações e expectativas do mundo sobre a Igreja

Na Arquidiocese de Braga não haverá assembleias sinodais, mas, em contrapartida, haverá uma forte aposta na multiplicação de pequenos grupos nas paróquias, comunidades e movimentos, com a tarefa de “escutarem o que o Espírito Santo diz à Igreja” através dos seus membros e, também através daqueles que andam longe ou nas suas margens. O Sínodo da Igreja Católica foi aberto solenemente em todas as dioceses do mundo, também em Portugal.

Francisco lança desafios para o Sínodo

À escuta das perguntas, preocupações e esperanças da Igreja e do mundo

Na eucaristia de arranque do Sínodo da Igreja Católica sobre a sinodalidade, o Papa Francisco pede que não se busquem respostas superficiais, pronto-a-vestir, mas que todos se coloquem “à escuta das perguntas, preocupações, esperanças de cada Igreja, de cada povo e nação e também à escuta do mundo, dos desafios e mudanças que ele coloca diante de nós”. E alertou que “o Espírito Santo sopra de modo sempre surpreendente para sugerir percursos e linguagens novos”.

Sinodalidade católica em processo

Papa abre Sínodo em Roma – mas está a maior parte da hierarquia interessada nisso?

O Papa abre este sábado em Roma o sínodo em que quer colocar toda a gente a escutar-se e a debater o que deve ser a Igreja e a sua missão na sociedade. Este é o coração da reforma de Francisco, coincidem vários analistas. Mas o processo está atrasado em Portugal (apesar de ter havido um dedo português na escolha do tema), é inexistente no plano dos bispos americanos e quase ignorado em várias partes do mundo.

Inquérito 7MARGENS sobre o Sínodo

1036 vozes que querem ser ouvidas

O inquérito lançado pelo 7MARGENS aos seus leitores obteve mais de mil respostas, ultrapassando as nossas melhores expectativas. A partir desta sexta-feira, 8, começaremos a divulgar a análise das 1036 respostas válidas. Para já, cumpre agradecer a todos os que nos leem e que, antecipando-se a qualquer outra consulta no âmbito do Sínodo que o Papa Francisco abrirá no próximo sábado, se manifestaram preparados e interessados em participar nesse processo de reflexão.

Sínodo, urgência de Participar – sugestões várias

Olhar o outro. Ver o outro. Entender o outro. Escutar. Ajudar. Apoiar. Integrar. Proteger. Não têm fim as palavras aplicáveis ao sentido do Documento Preparatório e ao Vademecum, nesta fase preliminar do Sínodo [da Igreja Católica] que irá marcar um tempo novo, viragem de reflexão e cidadania sobre a Igreja, a diversidade de culturas e realidades na atualidade do mundo. Entre 10 de outubro de 2021, com a presença e presidência do Papa Francisco e até outubro de 2023, um universo de gente participará nesta viragem, revisão de vida.

Manuel Martins, um precursor da Sinodalidade

Escrevo a propósito da partida deste mundo há quatro anos, que se completam hoje mesmo, dia 24, do bispo Manuel Martins. Há seres humanos que não deveriam morrer. Não por eles, mas por nós. Contrariamente ao que é vulgar dizer-se, são mesmo insubstituíveis. A propósito, evoco também a memória de um outro que nos deixou no passado dia 2 de setembro.

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Caminhar juntos, lado a lado, na mesma direcção

Vem aí o Sínodo, cuja assembleia geral será em outubro de 2023, já depois da Jornada Mundial da Juventude, a realizar em Lisboa, no verão anterior. O tema é desafiante: Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão. O documento preparatório veio a público a 7 de setembro e lança as bases de um caminho a percorrer juntos.

Igreja precisa mais dos média do que o contrário

Debate 7M: A Igreja e os média (1)

Igreja precisa mais dos média do que o contrário novidade

Quando se pergunta se em Portugal a relação da Igreja com os média e os jornalistas é boa, uma resposta simplista é sempre uma má resposta, principalmente porque estamos a falar de uma instituição, a Igreja Católica, que por si só é uma multiplicidade de realidades. Para ser honesto, prefiro responder que não há uma resposta, mas muitas respostas, tantas quanto as instituições ou os serviços que constituem a Igreja portuguesa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

… E de novo tostões e milhões!

[Segunda Leitura]

… E de novo tostões e milhões! novidade

Para o sr. Berardo, pelos vistos, um milhão de euros deve ser uma ninharia. Porque ele deve cerca de 900 milhões. Ou seja: gente como nós precisava de viver novecentas vidas para acumular esse montão de notas. E como é que alguém, no espaço de meia dúzia de anos, consegue ficar a dever 900 milhões de euros?… Como?…

O melhor seria

O melhor seria novidade

Tive três filhos e perdi quatro. Por um deles, que não sobreviveu in utero, fui levada para uma ala da maternidade onde havia mulheres com os seus filhos, já nascidos ou prestes a nascer. Havia uma outra ala, a de quem estava para abortar.

A Igreja tem de aprender a prestar contas

Abusos sexuais

A Igreja tem de aprender a prestar contas

Gostaria de falar, em primeiro lugar, acerca da Igreja enquanto instituição de poder, porque essa é uma das maiores premissas que orientam o meu trabalho enquanto jornalista que se dedica à cobertura dos assuntos religiosos e, em especial, ao escrutínio da atividade da Igreja Católica. Que não haja dúvidas: a Igreja é uma instituição de poder.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This