Sondagem

Só um quarto dos franceses tem uma Bíblia em casa

| 20 Jun 2022

 

Bíblias em diferentes línguas. Foto © Hanaala76

Bíblias em diferentes línguas. Foto © Hanaala76

 

Apenas 27 por cento dos franceses têm uma Bíblia em casa, (eram 37% em 2010 e 42% em 2001) e são os protestantes e evangélicos quem maior importância dão à sua leitura (79% têm-na em casa). Por outro lado, apenas 20 por cento dos franceses sentem que a Bíblia é uma referência cultural presente na sociedade francesa (em 2010 eram 27% a reconhecê-lo).

O decréscimo da importância do livro sagrado dos cristãos na cultura, na sociedade e na prática religiosa em França é revelado por um estudo realizado em março deste ano pelo instituto de sondagens Ifop e revelado este mês pela Alliance Biblique Française.

A importância da Bíblia na sociedade francesa é, porém, sobrevalorizada pelos cristãos: 41 por cento dos protestantes pensam que ela ainda é uma referência cultural presente na sociedade francesa, afirmação partilhada por 42 por cento dos católicos que participam todos os domingos na eucaristia.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Evangelizar nas redes sociais 

Evangelizar nas redes sociais  novidade

  Acolhendo a desafiante exortação do Papa Francisco aos participantes no Congresso Mundial da Signis – Associação Católica Mundial para a Comunicação – que decorre em Seul, de 16 a 19 de Agosto de 2022, decidi-me a revisitar a minha presença nas redes sociais e...

Católicos temem ausência de liberdade no debate de temas cruciais

Contributo dos Bispos Alemães para o Sínodo

Católicos temem ausência de liberdade no debate de temas cruciais novidade

As sínteses das dioceses referem a existência de “dúvidas de que uma reflexão aberta possa ocorrer dentro da igreja” num clima “livre de ansiedade” sobre “os assuntos tabus relacionado com a sexualidade (contraceção, aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo…)”, lê-se no relatório final que a Conferência dos Bispos Alemães (GBC, no acrónimo em língua inglesa) enviou para Roma como contributo para o Sínodo dos Bispos de 2023.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This