Nepal

Sobrevivência do clero ficou mais difícil com pandemia

| 31 Out 21

Vigário apostólico do Nepal pediu ajuda para os 31 sacerdotes existentes no país, especialmente os que estão colocados nas paróquias mais pobres e distantes. Foto © ACN/Portugal.

 

A pandemia do coronavírus afetou profundamente o Nepal, dificultando ainda mais a vida do clero católico, num país que é maioritariamente hindu, com cerca de 66% dos cerca de 30 milhões de habitantes, e no qual a comunidade cristã não ultrapassa os 4,2%. 

Segundo a Fundação AIS, a sobrevivência do clero era já problemática no dia-a-dia, tornou-se ainda mais difícil com as consequências decorrentes da pandemia da covid-19.

Perante esta situação complexa, D. Paul Simick, o vigário apostólico do Nepal, veio pedir ajuda para os 31 sacerdotes existentes no país, especialmente os que estão colocados nas paróquias mais pobres e distantes.

Para o prelado, os estipêndios de missa são uma forma concreta de se auxiliar a Igreja do Nepal nestes tempos mais difíceis marcados pela crise económica. “Os estipêndios de missa são o único meio de apoio aos nossos sacerdotes, às suas necessidades pessoais e médicas e a quaisquer pequenos projetos pastorais ocasionais que possam procurar fazer nas suas paróquias”, explica o vigário apostólico. Para D. Simick, esta ajuda concreta será “uma benção” para a Igreja do Nepal.

 

 

Um caderno para imprimir e usar

Sínodo 2021-23

Um caderno para imprimir e usar novidade

Depois de ter promovido a realização de dois inquéritos sobre o sínodo católico 2021-23, o 7MARGENS decidiu reunir o conjunto de textos publicados a esse propósito num caderno que permita uma visão abrangente e uma utilização autónoma do conjunto. A partir de agora, esse caderno está disponível em ligação própria.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Esta é a Igreja que eu amo!

Esta é a Igreja que eu amo! novidade

Fui um dos que, convictamente e pelo amor que tenho à Igreja Católica, subscrevi a carta que 276 católicas e católicos dirigiram ao episcopado português para que, em consonância e decididamente, tomassem “a iniciativa de organizar uma investigação independente sobre os crimes de abuso sexual na Igreja”.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This