Suíça aprova em referendo a proibição do rosto velado no espaço público

| 8 Mar 2021

Woman_wearing_battula niqab Irão

Mulher com uma tradicional battula, por cima do seu niqab, no sul do Irão. Foto © CC 2.0/Wikimedia Commons

 

A extrema-direita tomou a iniciativa e os cidadãos suíços, por escassa maioria, votaram favoravelmente, este domingo (7 de março) a proibição do uso do niqab (véu que esconde o rosto), com algumas exceções, como, por exemplo, locais de culto.

A medida, apresentada como forma de combater o “islão radical” e o “extremismo”, foi apoiada pelo partido populista de direita UDC, por setores feministas e parte dos eleitores da esquerda, conseguindo aprovação na maioria dos cantões. Países europeus como a França, Bélgica, Dinamarca e Áustria já tomaram medidas semelhantes.

Os opositores a este referendo aduziram várias razões. O Governo federal e o Parlamento opuseram-se, argumentando que “o problema [que o referendo pretendia resolver] não existe”. A solução, caso a consulta popular tivesse recusado a iniciativa, passaria por obrigar as pessoas a mostrarem a cara, sempre que as autoridades o exigissem, para fins de identificação. Outros opositores consideraram o texto da proposta “racista e sexista”, considerando inaceitável que o Estado passe a definir que roupas são ou não são aceitáveis.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Desarmar-se

Desarmar-se novidade

Sinto-me um pouco embaraçada. Perguntam-me: como correu o encontro com os meus amigos no Porto e, afinal de contas: o que é isto de “Juntos pela Europa”? O que é que 166 pessoas de 19 países diferentes, de 45 movimentos e comunidades de oito igrejas, podem fazer em conjunto, quando “os semelhantes atraem os semelhantes” e a diversidade é raramente – ou talvez nunca – uma força de coesão? E sem falar das diferentes visões geopolíticas, culturais, históricas, confessionais e, além disso: o que farão agora os russos e os ucranianos, que também estiveram presentes?

Francisco pede “pessoas dispostas a comprometer-se com o bem comum”

O Vídeo do Papa

Francisco pede “pessoas dispostas a comprometer-se com o bem comum” novidade

A 12ª edição de “O Vídeo do Papa” de 2022 acaba de ser publicada e nela Francisco destaca as organizações de voluntariado, e todas as pessoas nelas envolvidas, pelo seu empenho na promoção humana e no bem comum. Na sua intenção de oração, o Papa exorta-os a continuar este trabalho, atuando “não só para as pessoas, mas com as pessoas”, sendo “artesãos da misericórdia”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This