Na escola pública em Itália

Supremo admite presença de símbolos religiosos

| 18 Set 21

Crucifixos, Museu de Arte Sacra, São Paulo Brasil.

Foto: Crucifixos, Museu de Arte Sacra, São Paulo Brasil. © Aurelino Rodrigues Filho / Wikimedia Commons

 

O supremo tribunal italiano decidiu esta semana que as salas de aula das escolas públicas podem aprovar a presença do crucifixo porque tal não discrimina ninguém, acrescentando que todos os símbolos religiosos podem ser “bem-vindos”, desde que a sua presença seja decidida de maneira democrática, civilizada e “gentil” pelo conjunto dos alunos e professores.

A informação difundida ontem no jornal Crux reporta-se a um acórdão do supremo tribunal italiano votado a 9 de setembro que proíbe a imposição de quaisquer decisões relativas à presença de símbolos religiosos, assunto sobre o qual se devem buscar “soluções razoáveis” entre as diferentes posições ou convicções das pessoas na comunidade escolar. Ou seja: o respeito pela liberdade de religião de qualquer pessoa impõe que tais decisões nunca resultem de uma “tirania” da maioria ou do poder de veto de um único indivíduo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia

Neste sábado, em dez cidades

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia novidade

Uma “caminhada pela vida” em dez cidades portuguesas é a proposta da Federação Portuguesa pela Vida e da Plataforma Caminhadas pela Vida para este sábado, 22, à tarde, com o objectivo de contrariar o regresso do debate da eutanásia e os projectos de lei de alargamento de prazos no aborto apresentados entretanto no Parlamento pelas duas deputadas não inscritas.

Sínodo em demanda de mudanças

Sínodo em demanda de mudanças novidade

Falo-vos da reflexão feita pelo Papa Francisco, como bispo de Roma, no início do Sínodo, cuja primeira etapa agora começa, de outubro de 2021 a abril de 2022, respeitando às dioceses individuais. Devemos lembrar que o “tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou novo termo a ser usado ou instrumentalizado nos nossos encontros. Não! A sinodalidade exprime a natureza da Igreja, a sua forma, o seu estilo, a sua missão”.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This