A carta que te devo

(*) Na morte de Maria da Glória Fernandes, missionária da Boa Nova, aos 95 anos, em vinte e quatro de abril de dois mil e vinte e quatro, no Seminário de Cucujães.   Chamavas-me «meu querido “filho”», como se fosse mesmo de verdade. E sabes que eu adorava esse...

Pin It on Pinterest