Nomeada pelo Papa Francisco

Teóloga leiga é a nova chefe de gabinete da Comissão Pontifícia para a América Latina

| 31 Ago 21

emilce cuda, foto direitos reservados

A nomeação de Emilce Cuda foi vista na Argentina como um sinal da luta de Francisco contra o clericalismo e como um importante passo para aumentar a presença das mulheres na hierarquia da Igreja. Foto: Direitos reservados.

 

Prosseguem as nomeações de mulheres para cargos importantes na Cúria Romana: Emilce Cuda, professora de Teologia na Pontifícia Universidade Católica da Argentina, foi a escolhida pelo Papa Francisco para ocupar o cargo de chefe de gabinete da Comissão Pontifícia para a América Latina, assumindo funções esta quarta-feira, 1 de setembro.

A sua nomeação foi vista na Argentina como um sinal da luta de Francisco contra o clericalismo e como um importante passo para aumentar a presença das mulheres na hierarquia da Igreja, referia esta terça-feira o National Catholic Reporter.

Autora do livro “Para Leer a Francisco – Teología, Ética y Política”, Cuda, 55 anos, é conhecida como “a mulher que saber ler o Papa Francisco”.

A teóloga é ainda descrita como possuindo “um dom para promover o diálogo” e “construir pontes”, tendo sido bastante próxima do padre jesuíta Juan Carlos Scannone, um dos fundadores da Teologia do Povo e da Filosofia da Libertação.

Para secretário da comissão foi escolhido Rodrigo Guerra López, um mexicano professor de Filosofia, também ele leigo.

A Comissão Pontifícia para a América Latina é um organismo da Cúria Romana criado em 1958, tendo como principal função aconselhar e ajudar as Igrejas naquela região e fazer a ligação entre estas e o Papa.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia

Neste sábado, em dez cidades

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia novidade

Uma “caminhada pela vida” em dez cidades portuguesas é a proposta da Federação Portuguesa pela Vida e da Plataforma Caminhadas pela Vida para este sábado, 22, à tarde, com o objectivo de contrariar o regresso do debate da eutanásia e os projectos de lei de alargamento de prazos no aborto apresentados entretanto no Parlamento pelas duas deputadas não inscritas.

Sínodo em demanda de mudanças

Sínodo em demanda de mudanças novidade

Falo-vos da reflexão feita pelo Papa Francisco, como bispo de Roma, no início do Sínodo, cuja primeira etapa agora começa, de outubro de 2021 a abril de 2022, respeitando às dioceses individuais. Devemos lembrar que o “tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou novo termo a ser usado ou instrumentalizado nos nossos encontros. Não! A sinodalidade exprime a natureza da Igreja, a sua forma, o seu estilo, a sua missão”.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This