Declaração de Abu Dhabi

Timor-Leste adota texto endossado pelo Papa

| 17 Mai 2022

papa francisco com ramos-horta foto fb ramos-horta

Papa Francisco recebeu Ramos-Horta, em outubro de 2021, na qual o bispo de Roma ofereceu ao presidente timorense uma cópia do documento. Foto do Facebook de Ramos-Horta.

 

Timor-Leste é o primeiro país do mundo a adotar um documento endossado pelo Papa que promove a paz e a harmonia entre cristãos e muçulmanos.

Segundo a agência asiática UCA News, todos os 60 deputados deste país do sudeste asiático, concordaram na sessão plenária de 12 de maio em adotar o documento sobre Fraternidade Humana para a Paz Mundial e a Convivência, que o Presidente recém-eleito José Ramos-Horta espera implementar o documento no currículo escolar e, assim, contribuir para manter a harmonia e a paz interreligiosa.

O documento, que busca promover uma “cultura de respeito mútuo” entre cristãos e muçulmanos, na descrição da agência, foi assinado em 4 de fevereiro de 2019 pelo Papa Francisco e Ahmed el-Tayeb, o grande imã de Al-Azhar, em Abu Dhabi, durante a visita papal aos Emirados Árabes Unidos. Por isso, o documento também é conhecido como a Declaração de Abu Dhabi.

Ramos-Horta tem pressionado ativamente os legisladores para a sua adoção. O presidente deste país de maioria católica também discutiu isso com o ex-primeiro-ministro Mari Alkatiri, um muçulmano, na reunião que mantiveram os dois a 28 de abril. “Timor-Leste será o primeiro país do mundo a adotar o documento no currículo escolar”, afirmou o novo Presidente. “Ele ensinará às crianças em idade escolar sobre religião, etnia, classe social e tolerância política na sociedade.”

Para Ramos-Horta, é importante para Timor-Leste, como país maioritariamente católico na Ásia, manter a sua reputação “de um país livre de violência motivada pela religião”.

O presidente do Parlamento, Aniceto Guterres, anunciou também que se reuniria com o encarregado de negócios da nunciatura apostólica em Díli, monsenhor Marco Sprizzi, para apresentar o decreto sobre a adoção da Declaração de Abu Dhabi.

Já o franciscano Roberto Fernandez, professor da Escola São Francisco de Assis, em Fatuberliu, distrito de Manufahi, a cerca de 190 quilómetros a sul de Díli, disse que a adoção do documento “é o passo certo para afirmar a posição de Timor-Leste como um país amante da paz”. “Estamos prontos para implementá-lo aqui… O princípio é que Timor-Leste precisa de continuar a ser um lar seguro para todos, especialmente para todas as religiões.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This