Iniciativa interconfessional

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

| 15 Out 2021

associacao turismo religioso timor-leste foto Arlindo SoaresUSAID Tourism For All Project

No lançamento da associação estiveram líderes religiosos, representantes da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento, e  altos responsáveis do Governo. Foto © Arlindo Soares / USAID Tourism For All Project.

Acaba de nascer a Associação de Turismo Religioso de Timor-Leste (ATRTL), numa cerimónia realizada na última terça-feira, dia 11, na catedral da Imaculada Conceição, em Díli. O lançamento da iniciativa, que envolve todas as religiões do país, ocorreu no aniversário da data da visita do Papa João Paulo II àquele território, quando este se encontrava ainda ocupado pelo poder indonésio. O processo da sua criação, que decorria desde 2018, envolve as confissões católica (maioritária), protestante, muçulmana, hindu e confucionista.

O objetivo da associação, segundo a agência noticiosa UCA News, é promover o turismo religioso no país e contribuir para a diversificação da sua economia.

O ato fundador juntou líderes religiosos, representantes da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento (USAID), que patrocinou o surgimento da nova entidade, e  altos responsáveis do Governo, que subsidiou os primeiros passos.

Os próximos passos para a associação de turismo incluem uma pesquisa nacional de atrações turísticas baseadas na fé e hospitalidade e treino de guias turísticos para jovens.

Os preparativos para formar a associação estavam em curso desde 2018, com o apoio da USAID, por meio do projeto Turismo para Todos. Através dele, os líderes religiosos do país criaram um grupo de trabalho para explorar o potencial de turismo baseado na fé e, posteriormente, organizaram uma conferência internacional de turismo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This