Assinado pelo Papa e Imã de Al-Azhar

Timor-Leste pode adotar documento sobre a fraternidade humana

| 30 Abr 2022

José Ramos-Horta, Presidente da República eleito de Timor-Leste. Foto © Gabinete Primeiru-Ministru: S.Exa. Taur Matan Ruak, Public domain, via Wikimedia Commons

José Ramos-Horta, Presidente eleito de Timor-Leste. Foto © Gabinete Primeiru-Ministru: S.Exa. Taur Matan Ruak, Public domain, via Wikimedia Commons

 

O documento sobre a Fraternidade Humana para a Paz Mundial e a Convivência Comum, que foi assinado em 4 de fevereiro de 2019 pelo Papa Francisco, da Igreja Católica, e pelo xeque Ahmed el-Tayeb, Grande Imã de Al-Azhar, em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) pode vir a ser adotado como documento oficial em Timor-Leste.

A sugestão foi lançada este sábado, 30 de Abril, pelo recém-eleito Presidente da República daquele país asiático, José Ramos-Horta, num encontro com o presidente do Parlamento Nacional, Aniceto Guterres Lopes, na sede do parlamento, noticiado pela agência noticiosa de Timor-Leste Tatioli. Ambos viram com bons olhos essa possibilidade.

Este documento, que Ramos-Horta diz ter recebido em mãos do próprio Papa, poderia ser “aprovado pelo Parlamento Nacional para ser incluído no currículo do Ensino Básico e Secundário”. O Presidente eleito vê-o como um texto de referência para a abordagem de assuntos como religião, etnia, classe social e tolerância política na sociedade, em contexto escolar.

Recentemente, aquando do segundo aniversário da assinatura do documento, o secretário-geral da ONU, António Guterres, declarou: “Estou grato aos líderes religiosos de todo o mundo que vêm dando as mãos para promover o diálogo e a harmonia inter-religiosa. A declaração ‘Fraternidade Humana pela Paz Mundial e a Convivência Comum’ – co-autoria de Sua Santidade o Papa Francisco e Sua Eminência o Grande Imã de Al-Azhar Xeque Ahmed El Tayeb – é um modelo de compaixão e solidariedade humana”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses

Sucedendo a José Diogo Ferreira Martins

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses novidade

A psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da direção nacional da Associação dos Médicos Católicos Portugueses (AMCP). A médica, que trabalha na Casa de Saúde do Telhal (Sintra) e é uma das responsáveis pelo Gabinete de Escuta do Patriarcado de Lisboa, foi eleita por unanimidade no passado sábado, 13 de abril, para o triénio 2024-2026.

Cristianismo e democracia

Cristianismo e democracia novidade

Em tempo de comemoração dos cinquenta anos da revolução de 25 de abril, penso dever concluir que o maior legado desta é o da consolidação do Estado de Direito Democrático. Uma consolidação que esteve ameaçada nos primeiros tempos, mas que se foi fortalecendo progressivamente. Esta efeméride torna particularmente oportuna a reflexão sobre os fundamentos éticos da democracia. [Texto de Pedro Vaz Patto]

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Alfredo Teixeira em conferência dia 16

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Podem algumas canções de intervenção ligadas à Revolução de 25 de Abril de 1974 relacionar-se com o catolicismo? O compositor e antropólogo Alfredo Teixeira vai procurar mostrar que há uma “afinidade” que une linguagem bíblica e cristã à música de Zeca, José Mário Branco, Lopes-Graça, Adriano Correia de Oliveira, Sérgio Godinho e outros.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This