Todos com uma kipá na cabeça contra o ódio antissemita

29 Mai 19Judaísmo, Outras confissões - homepage, Religiões, Últimas

Imagem de um vídeo do jornal “Bild” a mostrar como se recorta a kipá. Foto: Direitos reservados

 

Uma kipá na cabeça contra o ódio anti-semita. Essa foi a proposta do jornal tabloide alemão Bild, que na primeira página da sua edição de segunda-feira, 27 de Maio, reproduziu uma foto de um solidéu judaico em tamanho real, que cada pessoa podia recortar para usar na sua cabeça. A ideia era, desse modo, usar a kipá e manifestar assim solidariedade com os judeus, vítimas cada vez mais frequentes de crimes de ódio na Alemanha. A tal ponto que Felix Klein, comissário do Governo alemão para o combate ao anti-semitismo, chegou a aconselhar os judeus a não usarem kipá em lugares públicos.

Na segunda-feira, o Bild, que vende 2,5 milhões de exemplares, escrevia, juntamente com a foto da kipá, conta a TSF:  “Se houver uma só pessoa no nosso país que não possa usá-la sem se colocar em perigo, a única solução é que todos o usemos.” A iniciativa do jornal repetia idênticas mobilizações promovidas em Janeiro e a 25 de Abril, pela comunidade judaica de Berlim, seguidas na altura em várias outras cidades alemãs.

Em Janeiro, um adolescente sírio atacou, num bairro de Berlim, um árabe israelita de 24 anos que tinha uma kipá na cabeça. A chanceler alemã, Angela Merkel, reagiu através de um vídeo, no qual censurava o crime anti-semita e pedia “tolerância zero”, justificando: “Não queremos que volte a acontecer e não vamos permitir que se repita”, referindo-se às perseguições do nazismo alemão contra os judeus, que levaram à II Guerra Mundial e ao Holocausto e ao assassinato de uns milhões de judeus (além de muitas outras pessoas) nos campos de extermínio. “As gerações mais novas devem saber o que a Humanidade foi capaz de fazer no passado, e trabalhar de forma pró-activa para que não se volte a tornar real.”

Ainda de acordo com a TSF, Felix Klein afirmou na CNN que o anti-semitismo “sempre existiu na Alemanha”, mas “agora está a mostrar abertamente a sua faceta mais feia”. E acrescentava: “A palavra ‘judeu’ como insulto não era comum quando eu ia para a escola. Agora é, e até é um insulto em escolas onde não há estudantes judeus.”

O departamento do Governo federal alemão responsável pelo combate ao anti-semitismo foi criado em 2018 e estabeleceu já um sistema nacional de denúncias de crimes de natureza xenófoba contra a comunidade judaica. Um relatório do Ministério do Interior alemão refere que estes crimes aumentaram 20 por cento, em 2018 e os ataques físicos passaram de 37, em 2017, para 62, em 2018.

O ministro Horst Seehofer relatou que 90% dos casos foram protagonizados por elementos de partidos da extrema-direita.

Seehofer afirmou também, em conferência de imprensa realizada já este mês, que esta é “uma realidade com que temos de lidar, especialmente neste país”. Este “é um trabalho para a polícia, mas também para toda a sociedade”, disse, acrescentando não ser “aceitável que os judeus tenham de esconder a sua fé na Alemanha”.

 

“Demonstração patética de falência do Estado de direito”

O responsável pelo departamento de combate ao anti-semitismo, Felix Klein, admitiu: “A minha opinião infelizmente mudou. Já não posso dizer aos judeus que usem kipá, sempre que queiram e em todos os lugares.” Este responsável está interessado em que a polícia e outros responsáveis tenham treino específico contra crimes xenófobos desta natureza. E revelou que há “muita controvérsia entre a polícia e os funcionários do Governo sobre como lidar com o anti-semitismo”: há funcionários que não sabem o que é ou não é permitido.

As declarações de Klein provocaram, no entanto, uma polémica quer no interior da Alemanha, quer no exterior, sobre os limites entre segurança e liberdade religiosa. Michel Friedman, antigo presidente do Congresso Judaico Europeu, criticou as afirmações de Klein, em declarações ao New York Times: “Quando um representante do Governo diz expressa e oficialmente à comunidade judaica que esta não se encontra segura diante do ódio em toda a Alemanha, isso é uma demonstração patética de falência do Estado de direito”, disse, citado na TSF.

No La Croix International, o Presidente israelita, Reuven Rivlin, manifestou-se “chocado” com as palavras de Klein, que dessa maneira se curvava perante os racistas, acusou. “Os temores sobre a segurança dos judeus alemães são uma capitulação ao anti-semitismo e uma admissão de que, novamente, os judeus não estão seguros em solo alemão”, disse. “Nós nunca iremos submeter-nos e esperamos e pedimos aos nossos aliados que ajam da mesma maneira.” E Richard Grenel, embaixador norte-americano na Alemanha, interveio no debate, através da sua conta no Twitter, argumentando que o posicionamento deveria ser o contrário: usar a kipá e mobilizar outras pessoas a fazer o mesmo.

Interior da Sinagoga de Bordéus. Foto © Eduardo Jorge Madureira

 

O crescimento do anti-semitismo não é um exclusivo da Alemanha e há casos registados em vários países da Europa. Em França também se verificaram incidentes que incluíram vandalismo em cemitérios judaicos, insultos nas ruas e outros ataques – em 2018, o aumento do número de casos foi na ordem dos 74%.

Claudi Vanoni, um dos mais importantes especialistas em anti-semitismo na Alemanha, diz, em declarações à AFP citadas na TSF, que essa atitude continua “profundamente enraizada” na Alemanha. “O anti-semitismo sempre esteve presente. Mas penso que, recentemente, se tornou novamente mais gritante e agressivo.”

Na Alemanha há cerca de 200 mil judeus, muitos deles originários da Europa Oriental e da Rússia, de onde chegaram depois do fim da União Soviética.

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

Carlos Farinha Rodrigues destaca importância da “economia de Francisco” novidade

A mensagem do Papa sobre a economia assenta no “combate às desigualdades e exclusão social”, na “dignidade do trabalho” e nas “preocupações com a casa comum”, diz o economista Carlos Farinha Rodrigues, em declarações à Ecclesia, a propósito de um debate sobre o encontro “A Economia de Francisco”, que decorrerá no próximo ano.

Duches para crianças pobres de Roma com apoio do Papa novidade

A Esmolaria Apostólica, que coordena as iniciativas caritativas do Papa, irá apoiar um projeto de banhos solidários para crianças pobres de Roma, já a partir desta quinta-feira, 19 de setembro. A iniciativa surge da associação italiana de médicos voluntários, a ‘Medicina Solidária’. “Estamos em guerra contra a pobreza”, afirma Lucia Ercoli, médica e presidente da associação, que gere seis consultórios itinerantes, também com o apoio da Esmolaria Apostólica.

John Kerry quer políticos a acelerar combate à emergência climática

O ex-secretário de Estado dos EUA, John Kerry, quer uma mobilização global dos governantes para acelerar o combate às alterações climáticas. Durante o encontro “O Futuro do Planeta”, organizado em Lisboa pelas Fundações Oceano Azul e Francisco Manuel dos Santos, o antigo candidato à presidência dos Estados Unidos afirmou que os governos mundiais têm atuado de forma irresponsável no cumprimento do Acordo de Paris, de 2015.

Bispos sul-africanos querem proteger mulheres contra homicídios

Os bispos católicos da África do Sul aconselham o Governo a agir contra a violência dirigida a mulheres e meninas, após uma série de mortes e violações que causaram revolta no país, que tem um dos maiores índices de homicídios do mundo: 3000 mulheres mortas em 2018 e 58 assassinadas diariamente.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

O Brexit dos pobres novidade

Um Brexit puro e duro deixará um rasto de destruição nas vidas e famílias por todo o Reino Unido. Foi isso que a Igreja de Inglaterra disse, procurando ser fiel à sua responsabilidade profética.

Não aos casamentos prematuros: não andemos à deriva

As “tradições” acima narradas já tiveram o seu tempo. Devem ser abolidas, sendo importante que se encontrem rituais de passagem alternativos, que marquem a transição de rapariga para mulher, sem colocarem em causa a sua dignidade, nem o fundamento de se destacar que existe uma distinção clara entre o estado de uma menina e o de uma mulher.

“Todo o mundo é composto de mudança”

Li há dias uma notícia com o título: “Troca de padres não agrada a paroquianos”. Casos como este são excelente ocasião para esclarecer valores ou razões escondidas, concorrendo para o crescimento espiritual de todos (não só dos paroquianos).

Cultura e artes

O coração inebriado de Agostinho, na leitura das “Confissões”

No início, logo depois da primeira peça musical de Rão Kyao, um dos actores declamará: “Quem me fará repousar em ti? Quem fará com que venhas ao meu coração e o inebries para eu esquecer os meus males e te abraçar a ti, meu único bem?” No dia que a liturgia católica dedica a Agostinho de Hipona, 28 de Agosto, no antigo convento de Santo Agostinho, hoje transformado em Museu de Leiria, o Teatro Maizum produz, a partir das 22h, uma leitura encenada das “Confissões”.

Três rostos para a liberdade

De facto, para quem o sabe fazer, o cinema é mesmo uma arte muito simples: basta uma câmara, um ponto de partida e pessoas que se vão cruzando e dialogando. E temos um filme, quase sempre um magnífico filme. Vem isto a propósito do último trabalho do iraniano Jafar Panahi: Três Rostos.

A potência benigna de Dietrich Bonhoeffer

O influente magistério de Dietrich Bonhoeffer, a sua vigorosa resistência ao nazismo e o singular namoro com Maria von Wedemeyer são três momentos da vida do pastor luterano que merecem uma peculiar atenção na biografia Dietrich Bonhoeffer. Teólogo e mártir do nazismo, da autoria do historiador italiano Giorgio Cavalleri. A obra, publicada pelas Paulinas em Maio, permite agora que um público mais vasto possa conhecer aquele que é geralmente considerado como um dos mais influentes teólogos do século XX.

Festa de Maria Madalena: um filme para dar lugar às mulheres

A intenção do autor é dar lugar às mulheres. Não restam dúvidas, fazendo uma leitura atenta dos quatro Evangelhos que Jesus lhes dá o primeiro lugar. A elas, anuncia-lhes quem é Ele, verdadeiramente. Companheiras de Cristo, continuarão a sua missão, juntamente com os homens. Anunciando, tal como eles, a Paixão e a Ressurreição de Jesus Cristo; curando, baptizando em nome do Senhor. Tornando-se diáconos. Sabe-se, está escrito. Mas, nos Actos dos Apóstolos, elas desaparecem sem deixar rasto.

Sete Partidas

Amazónia, um pulmão a proteger

 Nestas últimas semanas, a Amazónia pegou fogo nas redes sociais! “A Amazónia está a arder”! – lia-se por todo o lado, em textos acompanhados de fotos ilustrativas, algumas das quais nem tinham nada a ver com a situação, ou porque eram fotos antigas ou de outras...

Visto e Ouvido

"Correio a Nossa Senhora" - espólio guardado no Santuário começou a ser agora disponibilizado aos investigadores

Agenda

Set
20
Sex
“Um milagre todos os dias” – projecção de filme e debate @ Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)
Set 20@11:15_13:00

O filme, estreado em 2018, foi realizado por Henrique Manuel Pereira e produzido pela Escola das Artes da Universidade Católica. Destaca a vida do Lar das Irmãzinhas dos Pobres, do Pinheiro Manso, inclui mais de três dezenas de depoimentos de residentes, funcionários, religiosas, voluntários e benfeitores.

“Com manifestações de humor e de solidão, de força e de fragilidade, de abnegada dedicação e criativo serviço, tendo por horizonte a ‘última estação da vida’, o filme configura um retrato realista do pulsar da vida daquela que é uma das instituições mais apreciadas e estimadas da cidade do Porto”, lê-se na sinopse.

A projecção será seguida por um debate com a participação do realizador, José Leitão (Centro de Reflexão Cristã), e João Eleutério, professor da Faculdade de Teologia.

Set
21
Sáb
Visitas guiadas ao Convento e Igreja de São Domingos, em Lisboa @ Convento de São Domingos
Set 21@10:00_12:00

As visitas serão acompanhadas pelo arquitecto João Alves da Cunha; haverá duas visitas: às 10h e 11h.

Encontro Também Somos Terra @ Casa de Espiritualidade do Linhó (Irmãs Doroteias)
Set 21@11:00_18:00

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco