Medalhas de honra e mérito

Tolentino Mendonça, Sara Tavares e Maria João Quadros distinguidos pela Câmara de Lisboa

| 28 Mar 2024

Tolentino Mendonça na cerimónia de doutoramento honoris causa na Universidade de Aveiro, 15 dezembro 2023. Foto © UA (1)

Tolentino Mendonça na cerimónia de doutoramento honoris causa na Universidade de Aveiro, a 15 de dezembro de 2023. Foto © UA 

 

A Câmara Municipal de Lisboa atribuiu esta quarta-feira, 27 de março, a Medalha de Honra da Cidade ao cardeal José Tolentino de Mendonça e a Medalha de Mérito Cultural a Título Póstumo à cantora Sara Tavares e à fadista Maria João Quadros.

A proposta para atribuição da Medalha de Honra da Cidade a Tolentino Mendonça foi apresentada pelo presidente da câmara, Carlos Moedas, e aprovada por unanimidade, com os votos a favor dos 17 membros da câmara. “Com uma imensa capacidade de diálogo através da cultura e das artes, agrega consensos, pelas suas qualidades pessoais e humanas, pelas elevadas responsabilidades que tem assumido é uma personalidade portuguesa de expressão universal, com reconhecidos contributos em prol da paz e do desenvolvimento”, sublinha o texto da proposta, citado pela Renascença.

Também por unanimidade, a câmara aprovou a atribuição da Medalha de Mérito Cultural a Título Póstumo à cantora Sara Tavares, que nasceu em Lisboa e faleceu no passado dia 19 de novembro, aos 45 anos. “Sara Tavares foi uma artista que se pautava pela entrega, simplicidade e humildade, fazendo da música uma autêntica linguagem universal, na qual a diversidade e o entrosamento culturais representavam, em simultâneo, uma tónica dominante e uma das suas mensagens essenciais. Com uma carreira invulgar e uma voz mágica, Sara Tavares morreu cedo demais”, lê-se no documento.

Com um voto em branco e 16 a favor, o executivo decidiu ainda atribuir a Medalha de Mérito Cultural a Título Póstumo à fadista Maria João Quadros, que nasceu em Nampula, Moçambique, em 1950, e faleceu em Lisboa, a 8 de dezembro de 2023, aos 73 anos. “Com atividade artística intensa em casas de fado, clubes e festas de caridade, Maria João Quadros possui vários discos editados, nos quais abundam letras da autoria do poeta e letrista Tiago Torres da Silva”, refere a proposta, indicando que a fadista acabou por “influenciar gerações mais recentes do fado, que muito aprenderam e cresceram com a sua presença, com a sua forma de ser e estar”.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This