Trabalhadores Cristãos reafirmam

“Trabalhar ao domingo não faz sentido”

| 2 Mar 2023

trabalhador no supermercado, foto FG Trade

Para o MTCE, “a liberalização do comércio ao domingo interfere com questões de ordem humana, social, familiar, cultural e religiosa e contraria o bem-estar comunitário”. Foto © FG Trade.

 

Trabalhar ao domingo, se não for “para cuidar de pessoas (crianças, jovens, idosos, famílias…), ou infraestruturas imprescindíveis à vida humana, não faz sentido”, afirma em comunicado o Movimento de Trabalhadores Cristãos da Europa (MTCE) a propósito da jornada mundial de luta pelo “domingo, dia livre de trabalho” que se comemora esta sexta-feira, dia 3 de março.

O comunicado foi elaborado pela LOC/MTC Portugal e defende que “a luta pelo Domingo Livre de Trabalho, mais do que justa, é necessária para que haja vida em família para todos! Para que as famílias, todos os trabalhadores, possam conviver e confraternizar e se construa um mundo mais justo e solidário”.

Os trabalhadores cristãos lembram que na defesa do domingo sem trabalho “compete também aos consumidores, a cada um de nós, fazer opções”, pois, “numa sociedade onde cada vez mais pessoas se mobilizam em torno de ‘Cuidar da Casa comum’, minimizar o consumo do supérfluo parece ser uma medida acertada” e “as nossas opções têm impacto nos decisores das empresas: muitos espaços comerciais fecham ao domingo e não é por isso que perdem viabilidade económica”.

Relembrando a luta dos trabalhadores que levou ao reconhecimento do direito ao descanso e à redução da jornada laboral, o MTCE refere como “a globalização da economia e os novos hábitos de consumo” vierem aumentar a pressão sobre o mundo do trabalho, desorganizando e desestabilizando os horários e os turnos de trabalho.

Para o MTCE, “a liberalização do comércio ao domingo interfere com questões de ordem humana, social, familiar, cultural e religiosa e contraria o bem-estar comunitário, por falta do convívio familiar e de disponibilidade para participar na vida social, cultural e religiosa”. Esta realidade ”desagrega as famílias e a sociedade, individualiza as pessoas, impede a solidariedade, não gera bem-estar, provoca doenças e dificulta a vida comunitária” e, conclui o comunicado, “uma sociedade onde as famílias se não encontram, não dialogam e quase não se ’conhecem’, não tem futuro.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro

Frade morreu aos 85 anos

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro novidade

O último alarme chegou-me no dia 10 de Fevereiro. No dia seguinte, pude vê-lo no IPO do Porto, em cuidados continuados. As memórias que tinha desse lugar não eram as melhores. Ali tinha assistido à morte de um meu irmão, a despedir-se da vida aos 50 anos… O padre Morgado, como o conheci, em Lisboa, há 47 anos, estava ali, preso a uma cama, incrivelmente curvado, cara de sofrimento, a dar sinais de conhecer-me. Foram 20 minutos de silêncios longos.

Mata-me, mãe

Mata-me, mãe novidade

Tiago adorava a adrenalina de ser atropelado pelas ondas espumosas dos mares de bandeira vermelha. Poucos entenderão isto, à excepção dos surfistas. Como explicar a alguém a sensação de ser totalmente abalroado para um lugar centrífugo e sem ar, no qual os segundos parecem anos onde os pontos cardeais se invalidam? Como explicar a alguém que o limiar da morte é o lugar mais vital dos amantes de adrenalina, essa droga que brota das entranhas? É ao espreitar a morte que se descobre a vida.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This