Sismo em Marrocos

Trabalhar, rezar e dançar

| 10 Out 2023

Terras berberes do Médio Atlas. Foto © Pedro Mendo.

Terras berberes do Médio Atlas. “A montanha quis dançar o Ahwach connosco”, conta um homem idoso que perdeu grande parte da sua família no terramoto de Haouz. Foto © Pedro Mendo.

 

Dda Hmad é um homem idoso que perdeu grande parte da sua família no terramoto de Haouz… Mostro-lhe o vídeo em que um imã islamista de Marraquexe diz que “o terramoto é um castigo de Deus!”

Dda Hmad ouve com atenção as palavras do imã e responde:

“Ouve, meu filho, talvez este homem seja um imã… Mas o que ele acabou de dizer só pode ser compreendido por pessoas como ele, que lêem livros e não usam o cérebro… Nós não lemos livros… mas comunicamos com a Fonte todas as manhãs e todas as noites…

Eu e todos os membros da minha tribo… passamos o nosso tempo a fazer três coisas… primeiro a trabalhar… depois a rezar, e à noite, depois da oração, dançamos Ahwach* para expressar a nossa gratidão a Deus… e para lhe pedir que nos conceda mais um dia de vida no dia seguinte… Durante séculos… Deus concedeu-nos a vida…

E no dia 8 de Setembro… às 23h11… a montanha quis dançar o Ahwach connosco… e abanou os ombros… e como não se apercebe da presença das pessoas nos seus ombros… fê-lo com tanta força que as nossas humildes casas caíram e milhares de pessoas morreram…

Deus não matou ninguém… não é da sua natureza vingar-se de crianças, mulheres e velhos… é que a montanha dançou um pouco mais forte do que devia… de facto, desde que viu os estragos, continuou a dançar, mas suavemente… o que significa que ouviu os gritos das crianças e das mulheres debaixo dos escombros e está a pedir desculpa…

Por isso, não estou zangado com ela… e vamos continuar como sempre fizemos desde o início dos tempos…

Trabalhando, rezando e dançando… É tudo o que vos posso dizer…”

Azul!**

Ahwach é uma dança Berbere

**“Bom dia”, em tamazigue

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This