Mensagem para esta sexta-feira

Trabalho digno é o “caminho para a paz e justiça social”, defende MMTC

| 6 Out 2022

 “Num contexto global de inflação desmedida que está a gerar um maior empobrecimento nas famílias trabalhadoras”, as condições de trabalho “não garantem cobrir as necessidades básicas” nem “as necessidades de cuidado pessoal e familiar”, alerta o MMTC. Foto © Prezemek Klos.

 

“Num mundo em conflito, com profundas desigualdades e ambientalmente insustentável, o trabalho digno representa o caminho para a paz e a justiça social”, defende o Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos, na véspera do Dia Internacional pelo Trabalho Digno, que se assinala nesta sexta-feira, 7 de outubro. A mensagem foi divulgada hoje em Portugal pela Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos, no dia em que dinamiza também, pelas 21 horas, uma videoconferência subordinada ao tema “Trabalho digno para todos”.

A conferência, que contará com as intervenções do bispo auxiliar de Braga, Nuno Almeida, e da diretora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Lisboa, Mafalda Troncho, é aberta à participação de todos, mediante inscrição online e será também transmitida através da página de Facebook da LOC/MTC.Portugal.

Na mensagem, o MMTC sublinha que “o acesso ao trabalho por parte de todos é uma prioridade irrenunciável”, porque é esse trabalho que “permite caminhar juntos como povo para uma vida digna”, desde que o mesmo seja “livre, criativo, participativo e solidário”.

No entanto, “muitas pessoas trabalhadoras migrantes ficam excluídas dos direitos laborais e sociais”, denuncia o MMTC, e “as pessoas assalariadas dos serviços essenciais carecem, em demasiadas ocasiões, de suficiente reconhecimento social e de condições de trabalho dignas”.

Atualmente, “num contexto global de subida de preços e de inflação desmedida que está a gerar um maior empobrecimento nas famílias trabalhadoras”, as condições de trabalho “não garantem cobrir as necessidades básicas, nem são compatíveis com as necessidades de cuidado pessoal e familiar”, alerta o movimento.

Entre as soluções propostas, incluem-se o estabelecimento de “um salário universal”,  a “redução do horário laboral”, e “acordos internacionais que reconheçam na prática a prioridade da pessoa e promovam com eficiência a distribuição equitativa dos resultados da atividade económica”.

Citando a mensagem do Papa Francisco para a celebração do Dia Mundial da Paz deste ano, os trabalhadores cristãos sublinham que “é mais urgente que nunca que se promovam em todo o mundo condições laborais dignas, orientadas para o bem comum e ao cuidado da criação. É necessário assegurar e sustentar a liberdade das iniciativas empresariais e, ao mesmo tempo, fomentar uma responsabilidade social renovada, para que o lucro não seja o único princípio regulador”.

“Igualmente, queremos promover a participação e implicação coletiva, também no âmbito da Igreja, na tarefa samaritana de defender condições de trabalho digno”, concluem.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

pode o desejo

pode o desejo novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This