Vídeoconferência nesta sexta, 19

Traduções do Alcorão em português vistas à lupa

| 18 Jun 21

Mesquita, Alcorão

Pormenor de painel de azulejos na Mesquita Central de Lisboa, representando os atributos de Deus. Foto © António Marujo

 

As traduções do Alcorão em português são o tema da palestra que se realiza nesta sexta-feira, 18, a partir das 18h30, através de videoconferência (endereço para participar: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83658297381).

Mostafa Zekri, membro do Conselho Geral do Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves, é o orador que procurará, a partir dos estudos árabes e islâmicos, a história das traduções do Alcorão para a língua portuguesa, de acordo com uma informação do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, organizado pela linha de investigação da Universidade Lusófona – a entidade organizadora.

O autor abordará as várias traduções e interpretações do livro sagrado do islão, publicadas em Portugal, Brasil e no resto do mundo lusófono. Entre as traduções publicadas em Portugal, estão as de João Pedro Machado, publicada em 1980 pela Junta de Investigações Científicas do Ultramar; a anotada por Suleiman Valy Mamede, editada pelas Publicações Europa-América; e a de Mahomed Yioussuf Adamgy, publicada pelas edições Al Furqán.

A tradição islâmica toma o Alcorão como tendo sido revelado em árabe por Muhammad (Maomé) no século VII. Na conferência, dizem os organizadores, “serão apresentados os contextos históricos, culturais e biobibliográficos em que as traduções surgiram pelos vários tradutores envolvidos” e também “abordada criticamente, e do ponto de vista hermenêutico-religioso, a questão linguística e da ‘não traduzibilidade’ do Alcorão”.

Mostafa Zekri é doutorado em Antropologia Social e História pela École de Hautes Études en Sciences Sociales de Paris. É também professor associado no Instituto Superior Teixeira Gomes, da Lusófona e investigador integrado no Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar, da Universidade Nova de Lisboa.

 

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

O outro sou eu

O outro sou eu novidade

Há tanto que me vem à cabeça quando penso em Jorge Sampaio. Tantas ocasiões em que o seu percurso afetou e inspirou o meu, quando era só mais uma adolescente portuguesa da primeira geração do pós-25 de Abril à procura de referências. Agora, que sou só uma adulta que recusa desprender-se delas, as memórias confundem-se com valores e os factos com aspirações.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This