Tragédia em Myanmar: arcebispo diz que trabalhadores foram enterrados por uma “avalanche de injustiça”

| 6 Jul 20

deslizamento terras mina myanmar extracao jade, Foto Myanmar Fire Services Department

Além de terem ficado sepultados na mina, o arcebispo diz que os trabalhadores “foram enterrados por uma avalanche de injustiça”. Foto do Myanmar Fire Services Department

 

O arcebispo de Yangon, Myanmar, manifestou a sua indignação face a mais um acidente nas minas de jade do país, que vitimou na passada quinta-feira 172 trabalhadores, soterrados por um deslizamento de terras. O cardeal Charles Bo atribui a culpa à negligência e ganância das empresas a operar no local.

Além de terem sido soterrados pela lama da montanha, “foram enterrados por uma avalanche de injustiça”, denunciou este sábado, 4 de julho, o principal líder católico de Myanmar, citado pelo Religión Digital. “Foram sacrificados no altar da avareza, pela total negligência e arrogância das empresas que continuam a desumanizar os pobres do país”, afirmou.

O acidente aconteceu na manhã de quinta-feira, quando os mineiros procediam à extração de jade, de que Myanmar é o maior produtor mundial. Os trabalhadores teriam sido alertados pelas autoridades para não entrarem nas minas devido às tempestades que têm afetado a região de Hpakant, junto à fronteira com a China.

Em abril do ano passado, pelo menos 54 pessoas morreram na sequência de um deslizamento de terras numa outra mina de Hpakant. Em 2015, a ONG Global Witness tinha já alertado para as condições precárias em que trabalham os mineiros da extração de jade, uma indústria que em 2014 terá rendido 31 mil milhões de dólares.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Egipto

Bahá’ís sem cemitério em Alexandria

As autoridades locais de Alexandria recusaram a possibilidade de um cemitério próprio para egípcios que não pertencem a uma das três principais religiões monoteístas. Já há vários anos que os egípcios que pertencem à fé bahá’í têm lutado para ter um espaço para enterrar os seus mortos em Alexandria, a segunda maior cidade do país. No entanto, essa possibilidade foi agora negada, noticia o La Croix International (ligação exclusiva para assinantes).

Afeganistão

Talibãs obrigam mulheres a cobrir-se

O Ministério afegão para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício colocou cartazes por toda a capital, Cabul, ordenando às mulheres que se cobrissem. “O que eles estão a tentar fazer é espalhar o medo entre as pessoas”, disse uma estudante universitária, defensora dos direitos das mulheres.

Eurostat

Desemprego dos jovens portugueses mais distante da média da UE

A percentagem de jovens portugueses com menos de 25 anos encontrava-se nos 22,4 por cento em novembro de 2021, segundo dados que o Eurostat acaba de publicar. Essa percentagem representa uma ligeira melhoria relativamente ao mês homólogo do ano anterior, mas revela igualmente um fosso maior face à média da União Europeia.

Alianças evangélicas

O apelo à paz no Cazaquistão

A Aliança Evangélica Mundial e a Aliança Evangélica da Ásia Central vieram expressar uma grande preocupação com a atual agitação política e social no Cazaquistão, pedindo o fim imediato da violência e do incitamento à violência.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Uma Teofania nos corações humanos novidade

A Epifania é celebrada pelas Igrejas Ortodoxas a 6 de Janeiro no calendário Juliano (19 no calendário Gregoriano), 12 dias após a Festa do Natal. A banalização da festa do Natal inscreveu-a no imaginário do espírito humano, sobrevalorizando-o e operando a sua dessacralização em detrimento do Espírito de Deus.

2022: aprender a construir a paz

A Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial da Paz de 2022 é expressão de um momento muito forte que atravessamos, numa transição de incerteza e perplexidade. Guerras e conflitos, pandemias, doenças, alterações climáticas, degradação ambiental, fome e sede, consumismo, individualismo, em lugar de partilha solidária – eis o conjunto de preocupações que dominam este início de 2022. Nestes termos, o Papa propõe-nos três caminhos para uma Paz duradoura.

“Matar os nossos deuses” – a propósito do Dia Mundial da Religião

Celebra-se neste terceiro domingo de janeiro o Dia Mundial da Religião, que promove a ideia da compreensão e a paz entre todas as religiões. Através de uma série de eventos realizados em todo o mundo, os seguidores de todas as religiões são incentivados a conhecer e a aprender mais acerca das outras religiões e respetiva fé. Reconhecendo-se que, durante séculos, as diferentes religiões e credos lutaram muitas vezes entre si, ignorando muitos dos seus valores comuns, torna-se, pois, necessário que se trabalhe em prol de um entendimento pacífico entre todos.

Cultura e artes

Carta a Filémon

A liberdade enquanto caminho espiritual

A Epístola a Filémon – um dos mais pequenos escritos do Novo Testamento – constitui o estímulo e o contexto para uma bela reflexão sobre a vivência da liberdade enquanto caminho espiritual. Adrien Candiard – dominicano francês a residir na cidade do Cairo – consegue em breves páginas apresentar um exercício de leitura rico e incisivo sobre a qualidade da vida cristã, mantendo um tom coloquial próprio do contexto de pequenos grupos nos quais este livro encontrou a sua origem.

O filme de Almodóvar

As dores para dar à luz a verdade

Fique dito, desde já, que estamos perante um dos melhores e mais amadurecidos filmes de Almodóvar. Intenso como outros, magnificamente construído e filmado como é habitual, talvez mais profundamente moral do que muitos, Mães Paralelas é um filme tecido de segredos íntimos e dolorosos, à volta da maternidade, mas também da Guerra Civil espanhola. No centro, esplendorosa, está Penélope Cruz.

Uma história de salvação, um núcleo palpitante

Nesta belíssima obra agora disponível, James Dunn – biblista britânico que dedicou a sua vida ao estudo da história do primeiro século do Cristianismo – proporciona ao leitor uma viagem através dos diversos escritos do Novo Testamento, neles buscando os traços da mensagem e da vida de Jesus.

Sete Partidas

Ser pai no inverno da Estónia

Estou a viver na Estónia há oito anos e fui pai recentemente. Vim para aqui estudar e, como acontece a muitos outros portugueses espalhados por esse mundo, apaixonei-me por uma mulher deste país, arranjei trabalho, casei e o mais recente capítulo da minha história é o nascimento do meu filho, no mês de dezembro de 2021.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This