Pandemia

Tragédia no Brasil: mais de 600 mil mortos por covid

| 11 Out 21

Manifestação contra o governo de Bolsonaro, em Campinas (maio de 2021). Foto © Parzeus, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons.

 

O Brasil ultrapassou esta sexta-feira a barreira dos 600 mil mortos por covid-19, tornando-se o segundo país do mundo a passar esse limiar, depois dos Estados Unidos da América. 

Os analistas da situação pandémica no país atribuem pelo menos uma parte destas mortes às políticas do governo Bolsonaro, quer antes da entrada em cena das vacinas quer sobretudo depois.

Os últimos 100 mil óbitos decorrentes da contaminação pelo coronavírus ocorreram desde junho, em cerca de três meses. Os cem mil anteriores tinham sido registados em mês e meio, o que denota que o vírus está a retroceder.

No entanto, especialistas citados pela edição brasileira do El País consideram que a situação só estará controlada quando pelo menos 80 por cento da população tiver sido imunizada com a vacinação completa. Como atualmente essa percentagem vai em cerca de 46 por cento, não será a curto prazo que o Brasil respirará de alívio.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida novidade

Ainda antes de acabar o curso fui à minha primeira entrevista de trabalho “a sério”, numa produtora de filmes num bairro trendy de Lisboa. Roubei um dia à escrita da tese de mestrado, apanhei o comboio e lá fui eu, tão nervosa quanto entusiasmada. O dono começou por me perguntar se fazer cinema era o meu sonho. Fiquei logo sem chão. Sofri, desde muito cedo, de um mal que me acompanha até hoje: sonhava demais e muitos sonhos diferentes.

Papa faz viagem escaldante e talvez leve afegãos para Roma

Francisco no Chipre e Grécia

Papa faz viagem escaldante e talvez leve afegãos para Roma novidade

“A Europa não pode ignorar o Mediterrâneo”, diz o Papa, que inicia nesta quinta-feira uma viagem para recordar a convivência inter-religiosa que Chipre já viveu e a osmose entre o pensamento grego e o cristianismo. Mas Francisco atravessará terreno escaldante, tensões políticas e tragédias humanitárias ao rubro: a última capital do mundo partida ao meio, Grécia e Turquia zangadas, refugiados, migrações, diálogo com os ortodoxos, convivência com os muçulmanos…

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This