Crime cometido há 40 anos

Tribunal eclesiástico de Barcelona condena padre já reformado por abuso de menor

| 10 Mai 2023

Padre Josep Luís Fernández, condenado por abuso de menores pelo tribunal eclesiástico de Barcelona.  Foto Direitos reservados

O padre Josep Luís Fernández havia sido galardoado com a Creu de Sant Jordi em 2007 pelo seu papel determinante na criação de dois corpos de bombeiros voluntários na região, distinção que lhe foi retirada. Foto: Direitos reservados.

 

O Tribunal Eclesiástico de Barcelona considerou culpado o padre Josep Luís Fernández por ter abusado sexualmente de um menor há mais de 40 anos. O prelado, de 81, foi proibido de realizar sacramentos e celebrar missa, ainda que já não o fizesse por se encontrar reformado, avançou esta quarta-feira, 10 de maio, o jornal Religión Digital.

A vítima, que na altura do crime tinha 16 anos, apresentou queixa em março de 2021. Apesar de os factos relatados já terem prescrito à luz da lei civil, para o direito canónico não existe prescrição. A investigação levada a cabo pela arquidiocese de Barcelona concluiu logo na altura haver “indícios fundados” de que tinha sido cometido o delito, considerando que o padre aproveitou a sua condição sacerdotal e a confiança dos pais do menor para levar a cabo os abusos.

Na sequência das “gravíssimas acusações” de que era alvo, o governo da Catalunha havia já retirado ao padre Josep Luís Fernández a Creu de Sant Jordi, distinção que recebeu em 2007 por ter tido um papel determinante na criação de dois corpos de bombeiros voluntários na região.

 

Bispos espanhóis publicam Instrução sobre abusos sexuais

A Conferência Episcopal Espanhola (CEE) divulgou esta terça-feira uma Instrução sobre o tratamento de casos de abusos sexuais de menores e pessoas vulneráveis, com caráter normativo, concluindo assim um trabalho que havia sido iniciado em 2019.

Citando o Papa João Paulo II, a CEE refere que “não há lugar no sacerdócio para quem abusa de menores”, assumindo o compromisso de “prevenir e, na medida do possível, paliar o terrível mal que deriva das faltas no seio da Igreja”.

A nova Instrução foi apresentada como sinal do “compromisso institucional e normativo” da Igreja Católica em Espanha contra os abusos, visando garantir um “procedimento unitário em todo o território”.

“Tendo em consideração que as condutas que se perseguem não constituem apenas um delito canónico, reafirmamos o princípio de colaboração com a justiça secular, comprometendo-nos a respeitar e, inclusivamente, a alentar que as vítimas exerçam o direito de atuar segundo a sua consciência no que se refere à denúncia perante as autoridades estatais”, pode ler-se no documento.

 

Vaticano não identificou “má conduta ou abuso” por parte de cardeal Lacroix

Investigação suspensa

Vaticano não identificou “má conduta ou abuso” por parte de cardeal Lacroix novidade

A Sala de Imprensa da Santa Sé anunciou esta terça-feira, 21 de maio, que a investigação canónica preliminar solicitada pelo Papa Francisco para averiguar as acusações de agressão sexual contra o cardeal canadiano Gérald Cyprien Lacroix não prosseguirá, visto que “não foi identificada qualquer ação como má conduta ou abuso” da parte do mesmo. O nome do prelado, que pertence ao Conselho dos Cardeais (C9), foi um dos apontados numa grande ação coletiva a decorrer no Canadá, listando supostas agressões sexuais que terão ocorrido na diocese do Quebeque, nos anos 1980.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Prémio de direitos humanos para marroquina Amina Bouayach é “instrumento de propaganda”

AAPSO denuncia

Prémio de direitos humanos para marroquina Amina Bouayach é “instrumento de propaganda” novidade

Amina Bouayach, Presidente do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) de Marrocos, recebeu esta terça-feira, 21 de maio, na Assembleia da República, em Lisboa, o Prémio de Direitos Humanos do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa 2023. Mas a Associação de Amizade Portugal – Sahara Ocidental (AAPSO) considera, no mínimo, “estranha” a atribuição do galardão à marroquina.

Senhora do Rosário: Que batalhas há para vencer?

Senhora do Rosário: Que batalhas há para vencer? novidade

A exposição, intitulada «Mês de Maio. Mês de Maria», que tem por curador o Prof. José Abílio Coelho, historiador, da Universidade do Minho, conta com as principais ‘apresentações’ de Nossa Senhora do Rosário, sobretudo em escultura e pintura, que se encontram dispersas por igrejas e capelas do arciprestado de Póvoa de Lanhoso. Divulgamos o texto, da autoria do Padre Joaquim Félix, publicado no catálogo da exposição  «A Senhora do Rosário no Arciprestado Povoense».

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This