Saúde afetada por covid-19

Trinta mil crianças africanas morrem de cancro durante pandemia

| 15 Ago 2021

    Crianças na República Central Africana. Foto © ACN Portugal.

 

Cerca de 30 mil crianças na África subsariana morreram de cancro durante a pandemia de covid-19, de acordo com estimativas divulgadas pelo gabinete regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

As medidas drásticas de prevenção e propagação do coronavírus, e um maior foco dos sistemas de saúde na resposta à pandemia, levaram a interrupção de outros serviços essenciais de saúde no continente.

O rastreio e tratamento do cancro, incluindo cancros infantis, foram afetados de forma especialmente aguda, relatam os serviços de informação das Nações Unidas.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This