Em causa transformação em mesquita

Turquia arrisca conflito com Unesco por causa de Hagia Sophia

| 1 Ago 2021

Hagia Sophia. Istambul.

Hagia Sophia. Istambul. Foto António José Paulino

 

O Comité do Património Mundial da UNESCO não concorda com a decisão do governo turco de transformar a igreja de Hagia Sophia, em Istambul, e o mosteiro de Chora em mesquitas. Na sua 44ª sessão, de 23 de julho de 2021, o órgão, que representa 21 países, lamentou a decisão da Turquia, apesar dos repetidos apelos para salvaguardar a condição de museu aberto a todos (no país existem 82.603 mesquitas e apenas 438 museus, 91 dos quais na cidade do Bósforo).

A preocupação deve-se à escassa garantia de uso universal dos dois locais, sujeitos à autoridade religiosa islâmica. O Comité pede ao Governo um relatório sobre a manutenção dos dois monumentos até fevereiro de 2022 para permitir uma avaliação mais aprofundada. Segundo as normas da Unesco, o reconhecimento do bem universal exige que os Estados não alterem o estatuto sobre o valor universal do bem sem diálogo prévio, o que não aconteceu. Isso pode significar a retirada do reconhecimento, com efeitos negativos na imagem do país e nas receitas relacionadas com o turismo. Em outubro de 2020, uma missão da Unesco visitou os dois monumentos.

Andrey Azoulay, diretor-geral da Unesco, disse na altura da visita que “Hagia Sophia é uma obra-prima arquitectónica e um testemunho único do encontro entre a Europa e a Ásia ao longo dos séculos”. “O seu estatuto de museu reflecte a universalidade do seu património e torna-o um poderoso símbolo de diálogo”, referiu. Já Ernesto Ottone Ramirez, subdiretor geral de Cultura, acrescentou que “é importante discutir previamente com a Unesco qualquer decisão de modificação que tenha consequências no acesso físico, na estrutura do edifício, nos bens móveis e na gestão do terreno.”

 

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

Encontro “Cuidar” em Lisboa

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero novidade

“O que encontramos assusta-me: desilusão, depressão, crise existencial, perda de identidade, fim da relação entre presbíteros, perda de confiança na instituição e na hierarquia.” O diagnóstico cáustico é feito ao 7MARGENS pelo padre inglês Barry O’Sullivan, 61 anos, da diocese de Manchester, que estudou o impacto dos abusos sexuais entre os padres não abusadores.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Luz e negrume

Luz e negrume novidade

As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous, estabelece com elas um diálogo em dois poemas traduzidos por João Paulo Costa, investigador na área de filosofia e autor de À sombra do invisível (Documenta, 2020).

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Contributos para o Sínodo (23)

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos novidade

Os leigos devem ser ouvidos nos processos de nomeação de párocos e de escolha dos bispos e a Igreja deve ter uma lógica de reparação da situação criada pelos abusos de menores. Evitar o clericalismo e converter os padres a uma Igreja minoritária, pobre, simples, dialogante, sinodal é outra das propostas do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Hora (Matosinhos).

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma novidade

A saúde mental dos jovens tem-se vindo a tornar, aos poucos, num tema com particular relevância nas reflexões da sociedade hodierna, ainda que se verifique que estas possam, muitas das vezes, não resultar em concretizações visíveis e materializar em soluções para os problemas que afetam os membros desta mesma sociedade. A verdade é que, apesar de todos os esforços por parte dos profissionais de saúde e também das pessoas, toda a temática é, ainda, envolvida por uma “bolha de estigmas”, o que a transforma numa temática-tabu.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This