Um exercício lento e sólido de teologia bíblica

| 12 Jul 20

No deserto pleno de ruídos em que vivemos – de notícias e conferências, de estradas engarrafadas e redes sociais saturadas –, é possível ver surgirem vozes de pensamento, de sabedoria sobre o que nos rodeia e nos habita. As páginas deste livro constituem uma dessas vozes. Cabe-nos escutá-la.

Biblista já conhecido entre nós, o bispo António Couto oferece-nos nestas páginas o encontro entre a sabedoria bíblica, o pensamento filosófico de inspiração humanista que percorreu o século XX e a falta de horizontes e de compaixão que marca os nossos dias, herdeiros de uma razão fechada em si mesma no sujeito individual, que pensa em si e a partir de si. Com destaque para o filósofo judeu Levinas, o autor dialoga com as pistas do Deus bíblico de graça e de luz geradora, que rompe os nossos ouvidos e olhos fechados para o próximo que nos interpela, fazendo-nos descobrir o seu rosto através da hospitalidade. Tudo se decide na escuta de uma Palavra de esperança, de uma narrativa de responsabilidade, da liberdade gerada pelos apelos que habitam a nossa vida. Páginas intensas, trabalhadas ao longo de anos densamente povoados por leituras e encontros: um exercício lento e sólido de teologia bíblica, unido ao desejo quase maternal de transmitir algo de precioso a um tu que é o leitor.

“Deus entra-nos pela casa adentro, sem bater à porta e sem pedir licença, e elege-nos, sem previamente nos ouvir, marca-nos com uma eleição que não prescreve nunca, confia-nos uma missão que não podemos rescindir, entrega-nos um Amor a que não nos podemos subtrair, dado que o outro por quem sou responsável, o amado, é, para o ‘eu’, único no mundo. Na verdade, compete-nos viver o dia-a-dia, saboreando e respondendo a Deus e ao próximo mais próximo com um amor imenso e intenso, uma liberdade dada, recebida e agradecida.”

Em textos que alternam na dimensão, desde o artigo mais extenso às breves “notas”, o Autor vai fazendo passar diante dos olhos do leitor os paradigmas que, muitas vezes inconscientemente, percorrem e alimentam as nossas opções na moderna sociedade ocidental. A sabedoria bíblica entra, na maioria das vezes, em conflito com estes paradigmas, tal como os longos capítulos imprecatórios dos livros proféticos; mas, no final, tal como a Palavra divina se converte em salvação para um resto que é mediação universal de salvação, também os fios da Palavra geram, hoje, no coração da história, testemunhos de bondade, justiça e esperança. Tal poderá ser, também, o testamento que o Autor, verdadeiro percursor em Portugal dos estudos de teologia e espiritualidade bíblicas, nos lega.

“Sou dos que penso que poucas coisas nos é dado verdadeiramente escolher. Sou cada vez mais levado a entrever que o veio mais fundo e fecundo que vai urdindo a nossa identidade e unicidade – que é aquilo que só eu posso fazer, e ninguém pode fazer em vez de mim –, não depende de nenhuma das nossas escolhas, pois vem de fora de nós, de antes de nós, de antes de a nossa memória registar qualquer sinal, de antes de podermos avançar algum ato meritório, de antes do ventre materno, de antes de antes. Vem do ‘amor fontal’ de Deus, nosso Pai.”

 

Leitura do Tempo em que Vamos, de António Couto
Edição: Aletheia, 140 páginas

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

50 anos da Vigília da Capela do Rato: a paz é possível?

Exposições, colóquios, debates, arte pública e vigília

50 anos da Vigília da Capela do Rato: a paz é possível? novidade

A Vigília da Paz que teve lugar nos dias 30 e 31 de dezembro da 1972 será recordada através de várias iniciativas organizadas pela Comissão das Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, que vão ter lugar durante o mês de dezembro e janeiro, em Lisboa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita novidade

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

De Angola a Timor-Leste

JMJ 2023 promovida nos países da CPLP

  A Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 está a promover o encontro de jovens de todo o mundo com o Papa, que vai decorrer de 1 a 6 de agosto em Lisboa, junto dos países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), durante...

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Não há cerveja no Mundial do Qatar… mas há bagels casher

Iniciativa de dois rabinos

Não há cerveja no Mundial do Qatar… mas há bagels casher

A proibição da venda de bebidas alcoólicas nos recintos desportivos do Qatar tem gerado polémica, e chegou a temer-se que a comida casher (preparada de acordo com as leis judaicas) também tivesse sido banida. No entanto, graças a dois rabinos fãs de bagels e à Qatar Airways (que disponibilizou um espaço para a cozinha), os adeptos de futebol que sejam judeus praticantes não passarão fome durante o Mundial.

É notícia

Entre margens

Sentido e valor da dualidade sexual

Sentido e valor da dualidade sexual novidade

A sociedade edifica-se a partir da colaboração entre as dimensões masculina e feminina. Em primeiro lugar, na sua célula básica, a família. É esta que garante a renovação da sociedade através da geração de novas vidas e assegura o desenvolvimento harmonioso e complexo da educação das novas gerações. Por isso, nunca um ou mais pais pode substituir uma mãe e nunca uma ou mais mães podem substituir um pai.»

Crentes e discípulos

Crentes e discípulos

Apesar de muitos confundirem os dois conceitos, a verdade é que ser crente no Deus dos cristãos é muito diferente de ser um discípulo de Jesus Cristo. Vejamos alguns contrastes entre ambos.

Valores, religiosidade e idade secular

Valores, religiosidade e idade secular

A publicação de Valores e Religiosidade em Portugal – Comportamentos e Atitudes Geracionais (Afrontamento, 2022) do cónego Eduardo Duque constitui oportunidade para refletirmos sobre a necessidade de compreender a importância dos valores éticos e religiosos na sociedade contemporânea. Importa recordar o que Hermann Broch (1886-1951) afirmou sobre o “vazio de valores”, que afeta a sociedade contemporânea e os seus efeitos na fragilização comunitária.

Cultura e artes

A “Castro” e outros clássicos do teatro para descobrir em Lisboa (e no YouTube)

Clássicos em Cena em 7ª edição

A “Castro” e outros clássicos do teatro para descobrir em Lisboa (e no YouTube)

A Castro, de António Ferreira, e outras duas peças clássicas, serão objecto de duas leituras encenadas nas próximas sexta-feira e domingo. As sessões incluem-se no programa da 7ª edição dos Clássicos em Cena, que decorre na Livraria/Galeria Sá da Costa (R. Serpa Pinto, 19, ao Chiado, em Lisboa), com entrada livre, e também no canal do Teatro Maizum no YouTube.

Festival de música sem concertos, mas com “elevações espirituais”

No Vaticano e em Roma, nos 150 anos de Perosi

Festival de música sem concertos, mas com “elevações espirituais”

A 21ª edição do Festival Internacional de Música e Arte Sacra, realiza-se, no Vaticano e em Roma, de 12 a 15 de novembro e, segundo o seu programador, Hans-Albert Courtial, presidente da Fundação Pró Música e Arte Sacra, não terá concertos, mas sim momentos de “elevação espiritual”, de acesso livre e gratuito. Obras de Lorenzo Perosi, de quem se celebram os 150 anos do nascimento, serão tocadas na abertura, já no próximo sábado.

O sentido humanista na obra de José Afonso

Discografia reeditada

O sentido humanista na obra de José Afonso

Tem vindo a ser noticiada a reedição da obra discográfica de José Afonso (1929-1987). De seu nome completo José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, toda a obra se desenrolou e notabilizou sob este nome de José Afonso, entre o familiar e o funcional. A reedição do principal da sua obra constitui uma iniciativa digna de todos os encómios, já que será salvaguardada a qualidade original e a interpretação pessoal do autor.

Sete Partidas

Desobediência

Desobediência

Recentemente fui desafiada a algo que não esperava. Provavelmente deveria começar a ensinar a minha filha a prevaricar, disse-me o meu pai. Foi a palavra escolhida. O sentido era o de rebeldia, de desobediência. Eu fiquei a pensar.

Aquele que habita os céus sorri

servos como o rei

servos como o rei

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, na Solenidade de Cristo Rei, Domingo XXXIV do Tempo Comum C. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 19 de Novembro de 2022.

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This