Um silêncio para lá das nuvens, há mais de 60 anos

| 13 Mai 2021

apela sacramento fatima (c) Joaquim Franco

A Capela do Santíssimo Sacramento, em Fátima, é conhecida como “capela do silêncio” e está aberta ao público. Foto © Joaquim Franco.

 

Sem pausa, há mais de 60 anos, um grupo de crentes reveza-se, de hora a hora ou de duas em duas horas, para garantir um louvor contínuo na Capela do Santíssimo Sacramento, em Fátima, um espaço procurado não apenas por católicos, mas também por “inquietos”. Na narrativa dos acontecimentos de 1917, conta-se que foi pedido aos videntes, os pastorinhos, que se dedicassem à oração para reparar as ofensas do mundo.

À margem das multidões, dia e noite, há um cíclico movimento discreto de crentes, sobretudo mulheres, que se dirigem à capela, atualmente localizada na galeria dos Apóstolos, um corredor subterrâneo do complexo da Basílica da Santíssima Trindade, no topo oeste do recinto do santuário.

Nesta reportagem, a TVI acompanhou a rotina orante da Congregação das Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora de Fátima, que iniciaram em janeiro de 1960 este lausperene, louvor eterno, e de leigos voluntários que garantem a “corrente de adoração” durante a madrugada.

O espaço está aberto ao público e é conhecido também como “capela do silêncio”. Foi construído de forma a assegurar a insonorização, permitindo uma experiência de isolamento do mundo exterior.

Ali permanece em exposição uma custódia com a hóstia. Na tradição católica, a hóstia, o pão consagrado na eucaristia, é a presença mística de Cristo, que merece a adoração dos fiéis.

“É uma aprendizagem e um desafio”, diz a irmã Apelina Francisco, 28 anos, uma das mais jovens vocações nas Irmãs Reparadoras, acrescentando que o silêncio permite uma “escuta centrada em Deus, para perceber o que vai dentro de nós”.

Já a irmã Amália Saraiva, 58 anos, sente-se “assombrada” de cada vez que entra na capela para a sua hora na perpétua adoração. Até porque, explica, “não vão só os crentes, vão os inquietos, os que procuram um espaço de silêncio”.

Esta dimensão mais transversal da experiência na “capela do silêncio” é reconhecida e incentivada pelo Santuário de Fátima. O padre Joaquim Ganhão fala num espaço onde quem entra pode ter “um encontro, antes de mais consigo mesmo, quase uma terapia pessoal”. Entrar é já “um ato de coragem de parar e de calar, para escutar o silêncio, porque o silêncio fala imenso”, sublinha o responsável pelo setor litúrgico do santuário.

Se as motivações de quem entra são insondáveis, a irmã Amália vislumbra nesta experiência de silêncio a possibilidade de sondar a transcendência, realçando que “cada pessoa procura algo mais perene e isso só mesmo olhando para além das nuvens, para lá do imediato”.

Capela Santíssimo Sacramento, Fátima, Eucaristia,

Capela do Santíssimo Sacramento, em Fátima. Foto © Joaquim Franco, cedida pelo autor.

 

A reportagem “Um silêncio para lá das nuvens”, de Joaquim Franco, com imagem de Romeu Carvalho e edição de imagem de João Pedro Ferreira, pode ser vista nesta ligação.

 

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja

A um mês da ordenação de dois bispos

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja novidade

O patriarca de Lisboa, Rui Valério, escreveu uma carta a convocar “todos – sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas e fiéis leigos” da diocese para estarem presentes naquele que será o “momento raro da ordenação episcopal de dois presbíteros”. A ordenação dos novos bispos auxiliares de Lisboa, Nuno Isidro e Alexandre Palma, está marcada para o próximo dia 21 de julho, às 16 horas, na Igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos).

“Sempre pensei envelhecer como queria viver”

Modos de envelhecer (19)

“Sempre pensei envelhecer como queria viver” novidade

O 7MARGENS iniciou a publicação de depoimentos de idosos recolhidos por José Pires, psicólogo e sócio fundador da Cooperativa de Solidariedade Social “Os Amigos de Sempre”. Publicamos hoje o décimo nono depoimento do total de vinte e cinco. Informamos que tanto o nome das pessoas como as fotografias que os ilustram são da inteira responsabilidade do 7MARGENS.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This