Uma mulher a dirigir a Secretaria da Economia do Vaticano é forte probabilidade

| 30 Abr 19

A acontecer, esta será uma decisão histórica, pois será a primeira vez que uma mulher ocupa um dos cargos mais importantes na estrutura da Cúria Romana. Nomeação pode estar para muito breve.

Claudia Ciocca. Foto ReligionDigital

 

Será uma mulher a nova responsável pela Secretaria para a Economia do Vaticano (SEV), a confirmar-se a notícia do ReligionDigitalno último fim-de-semana e os indícios que saíram de uma reunião do Papa, nesta segunda-feira, 29, com o responsável interino da SEV.A italiana Claudia Ciocca, actual directora da secção de Controlo e Vigilância da instituição, pode ser designada prefeita da Secretaria já nos próximos dias, tornando-se assim uma das pessoas com mais poder de decisão depois do Papa.

Ciocca sucederia, nesse lugar, ao cardeal australiano George Pell, caído em desgraça depois de condenado e a cumprir pena de prisão por abusos sexuais, em Fevereiro (a sentença foi conhecida já em Março), num tribunal australiano.

Esta nomeação, a confirmar-se, fará história, pois será a primeira vez que uma mulher ocupa um dos cargos mais importantes na estrutura da Cúria Romana – depois do secretário de Estado do Vaticano, do coordenador do conselho de cardeais e do responsável do futuro Dicastério para a Evangelização. Aliás, o estatuto da SEV estabelece que o seu responsável responde directamente ao Papa.

Esta nomeação confirma o caminho escolhido por Francisco de nomear progressivamente mais leigos, incluindo mulheres, para lugares de decisão no Vaticano. E vem ao encontro, também, do que prevê o texto da nova Constituição Apostólica da Cúria Romana, a Praedicate Evangelium, conforme outra notícia avançada há dias, no sentido de afirmar essa presença não clerical em lugares de responsabilidade da Cúria.

Já há, no entanto, outras mulheres em cargos destacados do Vaticano: entre outras, a italiana Barbara Jatta dirige os Museus Vaticanos e a eslovena Nataša Govekar é a directora teológico-pastoral do Dicastério para a Comunicação.

Professora na Universidade de Santa Cruz, da Opus Dei, Claudia Ciocca teria, no novo cargo, a tutela, vigilância e controlo da economia e finanças dos dicastérios da Cúria, das instituições relacionadas com a Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano, segundo o próprio documento com que o Papa Francisco criou este novo organismo, em 2014. Esse foi, aliás, um primeiro passo que Francisco tentou dar no sentido da transparência das finanças do Vaticano – o responsável da SEV responde directamente perante o Papa.

 

Ligação à Opus dei é um obstáculo?

A ligação de Ciocca à Opus Dei é um dos elementos que leva a agência Ansa a dizer que haverá ainda resistência de alguns sectores do Vaticano à sua nomeação: a instituição criada por Escrivá de Balaguer ou alguns dos seus membros têm tido na economia da Santa Sé um papel destacado – em alguns casos, precisamente na direcção oposta à transparência e orientações desejadas pelo Papa Francisco.

Ciocca terá sido chamada para o lugar que ocupa pelo padre espanhol Lucio Vallejo Balda, que faz parte da Opus Dei e foi condenado no processo Vatileaks 2 juntamente com Francesca Immacolata Chaouqui. O próprio cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, veria com alguma contrariedade a nomeação de Ciocca, diz ainda a Ansa.

Outros, acrescenta a agência italiana, considerarão Claudia Ciocca “demasiado jovem” para o cargo. Mariella Enoc, presidente do hospital Bambino Gesù, seria outro nome possível para o cargo, mas, ao contrário de Ciocca, como já tem 75 anos, estaria fora da corrida.

Um dos elementos que confirmaria que estaria para breve a decisão do Papa seria o de nesta segunda-feira, 29 de Abril, o Papa ter reunido com monsenhor Luigi Mistó, coordenador interino da Secretaria da Economia desde 29 de Junho de 2017, quando o cardeal George Pell pediu dispensa do cargo depois de acusado na Austrália, para se defender das acusações que pendiam contra ele.

Na reunião de ontem, adianta a mesma fonte, o tema da sucessão de Pell e da direcção definitiva do organismo terá estado seguramente na agenda.

Artigos relacionados