Uma mulher a dirigir a Secretaria da Economia do Vaticano é forte probabilidade

| 30 Abr 19 | Cristianismo, Destaques, Igreja Católica, Newsletter, Últimas, Vaticano/Santa Sé

A acontecer, esta será uma decisão histórica, pois será a primeira vez que uma mulher ocupa um dos cargos mais importantes na estrutura da Cúria Romana. Nomeação pode estar para muito breve.

Claudia Ciocca. Foto ReligionDigital

 

Será uma mulher a nova responsável pela Secretaria para a Economia do Vaticano (SEV), a confirmar-se a notícia do ReligionDigitalno último fim-de-semana e os indícios que saíram de uma reunião do Papa, nesta segunda-feira, 29, com o responsável interino da SEV.A italiana Claudia Ciocca, actual directora da secção de Controlo e Vigilância da instituição, pode ser designada prefeita da Secretaria já nos próximos dias, tornando-se assim uma das pessoas com mais poder de decisão depois do Papa.

Ciocca sucederia, nesse lugar, ao cardeal australiano George Pell, caído em desgraça depois de condenado e a cumprir pena de prisão por abusos sexuais, em Fevereiro (a sentença foi conhecida já em Março), num tribunal australiano.

Esta nomeação, a confirmar-se, fará história, pois será a primeira vez que uma mulher ocupa um dos cargos mais importantes na estrutura da Cúria Romana – depois do secretário de Estado do Vaticano, do coordenador do conselho de cardeais e do responsável do futuro Dicastério para a Evangelização. Aliás, o estatuto da SEV estabelece que o seu responsável responde directamente ao Papa.

Esta nomeação confirma o caminho escolhido por Francisco de nomear progressivamente mais leigos, incluindo mulheres, para lugares de decisão no Vaticano. E vem ao encontro, também, do que prevê o texto da nova Constituição Apostólica da Cúria Romana, a Praedicate Evangelium, conforme outra notícia avançada há dias, no sentido de afirmar essa presença não clerical em lugares de responsabilidade da Cúria.

Já há, no entanto, outras mulheres em cargos destacados do Vaticano: entre outras, a italiana Barbara Jatta dirige os Museus Vaticanos e a eslovena Nataša Govekar é a directora teológico-pastoral do Dicastério para a Comunicação.

Professora na Universidade de Santa Cruz, da Opus Dei, Claudia Ciocca teria, no novo cargo, a tutela, vigilância e controlo da economia e finanças dos dicastérios da Cúria, das instituições relacionadas com a Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano, segundo o próprio documento com que o Papa Francisco criou este novo organismo, em 2014. Esse foi, aliás, um primeiro passo que Francisco tentou dar no sentido da transparência das finanças do Vaticano – o responsável da SEV responde directamente perante o Papa.

 

Ligação à Opus dei é um obstáculo?

A ligação de Ciocca à Opus Dei é um dos elementos que leva a agência Ansa a dizer que haverá ainda resistência de alguns sectores do Vaticano à sua nomeação: a instituição criada por Escrivá de Balaguer ou alguns dos seus membros têm tido na economia da Santa Sé um papel destacado – em alguns casos, precisamente na direcção oposta à transparência e orientações desejadas pelo Papa Francisco.

Ciocca terá sido chamada para o lugar que ocupa pelo padre espanhol Lucio Vallejo Balda, que faz parte da Opus Dei e foi condenado no processo Vatileaks 2 juntamente com Francesca Immacolata Chaouqui. O próprio cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, veria com alguma contrariedade a nomeação de Ciocca, diz ainda a Ansa.

Outros, acrescenta a agência italiana, considerarão Claudia Ciocca “demasiado jovem” para o cargo. Mariella Enoc, presidente do hospital Bambino Gesù, seria outro nome possível para o cargo, mas, ao contrário de Ciocca, como já tem 75 anos, estaria fora da corrida.

Um dos elementos que confirmaria que estaria para breve a decisão do Papa seria o de nesta segunda-feira, 29 de Abril, o Papa ter reunido com monsenhor Luigi Mistó, coordenador interino da Secretaria da Economia desde 29 de Junho de 2017, quando o cardeal George Pell pediu dispensa do cargo depois de acusado na Austrália, para se defender das acusações que pendiam contra ele.

Na reunião de ontem, adianta a mesma fonte, o tema da sucessão de Pell e da direcção definitiva do organismo terá estado seguramente na agenda.

Artigos relacionados

“No tempo dividido” – Mistagogia da temporalidade na poesia de Sophia

“No tempo dividido” – Mistagogia da temporalidade na poesia de Sophia

Sophia chegou cedo. Tinha dez ou onze anos quando li O Cavaleiro da Dinamarca, cuja primeira edição data de 1964. É difícil explicar o que nos ensina cada livro que lemos. Se fechar os olhos, passados mais de 30 anos, recordo ainda que ali aprendi a condição de pe-regrino, uma qualquer deriva que não só nos conduz de Jerusalém a Veneza, como – mais profundamente – nos possibilita uma iniciação ao testemunho mudo das pedras de uma e às águas trémulas dos canais da outra, onde se refletem as leves colunas dos palácios cor-de-rosa.

Apoie o 7 Margens

Breves

Papa Francisco anuncia viagem ao Sudão do Sul em 2020 novidade

“Com a memória ainda viva do retiro espiritual para as autoridades do país, realizado no Vaticano em abril passado, desejo renovar o meu convite a todos os atores do processo político nacional para que procurem o que une e superem o que divide, em espírito de verdadeira fraternidade”, declarou o Papa Francisco, anunciando deste modo uma viagem ao Sudão do Sul no próximo ano.

Missionários constroem casa para cuidar e educar as vítimas do terramoto no Nepal

Mais de 400 crianças órfãs, pobres e com debilidades físicas vítimas do terramoto de 2015 no Nepal, residem hoje na casa de crianças Antyodaya em Parsa (centro do país). A casa, que foi construída em 13 de maio de 2017, tem o propósito “de alcançar as crianças mais desafortunadas das aldeias mais remotas, oferecendo-lhes educação e desenvolvimento pessoal”.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Manuela Silva e Sophia novidade

Há coincidências de datas cuja ocorrência nos perturbam e nos sacodem o dia-a-dia do nosso viver. Foram assim os passados dias 6 e 7 do corrente mês de Novembro. A 6 celebrou-se o centenário do nascimento de Sophia e a 7 completava-se um mês sobre a partida para Deus da Manuela Silva.

“Unicamente o vento…”

Teimosamente. A obra de Sophia ecoa. Como o vento. Como o mar. Porque “o poeta escreve para salvar a vida”. Aquela que foi. Que é. A vida num ápice. Luminosa e frágil. Do nascente ao ocaso. Para lá do poente. Celeste. Na “respiração das coisas”. No imprevisível ou na impermanência. A saborear o que tem. A usufruir do que teve. Na dor e na alegria.

Cultura e artes

Trazer Sophia para o espanto da luz

Concretizar a possibilidade de uma perspectiva não necessariamente ortodoxa sobre os “lugares da interrogação de Deus” na poesia, na arte e na literatura é a ideia principal do colóquio internacional Trazida ao Espanto da Luz, que decorre esta sexta e sábado, 8 e 9 de Novembro, no polo do Porto da Universidade Católica Portuguesa (UCP).

As mulheres grávidas e o olhar feminino sobre a crise dos refugiados

Uma nova luz sobre a história dos refugiados que chegam à Europa, evitando retratá-los como “heróis ou invasores”. Francesca Trianni, realizadora do documentário Paradise Without People (Paraíso sem pessoas, em Inglês), diz que o propósito do seu filme, a exibir nesta quinta-feira, 31 de outubro, em Lisboa, era mostrar a crise dos refugiados do ponto de vista feminino.

Sete Partidas

Visto e Ouvido

Agenda

Parceiros

Fale connosco