23 de março

Uma Via-Sacra especial em Guimarães

| 3 Mar 2024

Capela de Nossa Senhora da Conceição, em Guimarães. Foto do site da Câmara Municipal de Guimarães

Capela de Nossa Senhora da Conceição, em Guimarães. Foto do site da Câmara Municipal de Guimarães

 

A música de artistas portugueses como Pedro Abrunhosa, Marisa Liz e Tiago Bettencourt integrará uma Via-Sacra especial organizada pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Guimarães, e cujas receitas reverterão para o restauro de uma capela.

Via Crucis – Iter Humanitatis é o título do projeto, que recria o percurso de Jesus Cristo para a Cruz de um ponto de vista moderno. Recorrendo à música, pretende “olhar as dores da humanidade, olhar as dores de Jesus através da música sacra, mas também através da música contemporânea e percorrer o caminho da humanidade”, diz Leonel Cunha, pároco de Nossa Senhora da Conceição (Guimarães) à Rádio Renascença.

A iniciativa está marcada para o próximo dia 23 de março. Os bilhetes custam 7,5 € e a receita irá reverter na totalidade para o restauro da Capela de Nossa Senhora da Conceição, “um património de interesse público que remonta ao século XVI”. A capela, toda revestida a azulejo e talha dourada, é de “uma beleza fenomenal”, diz o pároco, que acrescenta que outro objetivo é a reconstrução do órgão de tubos.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This