"Grupo Wagner"

União Europeia aprova sanções contra mercenários russos

| 14 Dez 2021

Mercenários russos em Bri, na República Centro-Africana. Foto © Rui Araújo

 

O Conselho de Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) adoptou um conjunto de sanções contra pessoas e entidades ligadas ao Grupo Wagner. Esta empresa paramilitar de mercenários russos tem sido acusada pela UE de desenvolver actividades militares ilegais e de violar direitos humanos, nomeadamente em vários países de África onde tem actuado. 

“O ‘Grupo Wagner’ recrutou, treinou e enviou agentes militares privados para zonas de conflito em todo o mundo para alimentar a violência, pilhar recursos naturais e intimidar civis em violação do direito internacional, incluindo o direito internacional dos direitos humanos”, diz a resolução dos ministros da UE, aprovada nesta segunda-feira, 13, citada pelo jornal espanhol ABC.

A organização é considerada também como uma extensão oficiosa da Rússia em vários conflitos. Na República Centro-Africana, como o repórter Rui Araújo contou recentemente num trabalho publicado pelo 7MARGENS, dados internacionais apontam para a presença de 1700 paramilitares do Grupo Wagner, suspeitos de praticar vários crimes. 

Além da RCA, o grupo teve uma presença importante na Líbia, Síria e Ucrânia, recorda o Público. E esteve também envolvido na primeira fase de combates aos terroristas em Cabo Delgado (Moçambique), mas a operação correu mal e o Governo de Filipe Nyusi acabou por contratar uma empresa sul-africana. Entre as formas de actuação do grupo, está o estabelecimento de acordos com empresas ou governos locais, como aconteceu no caso de Moçambique.

Entre as oito pessoas alvo das sanções, estão o fundador e responsável do grupo na Ucrânia, Dimitri Utkin. A organização é financiada por Yevgeny Prigozhin, um empresário próximo do Presidente russo, Vladimir Putin. As sanções incluem a proibição de viagens individuais e o congelamento de activos na UE.

Com esta decisão, os 27 pretendem obstar a que o grupo estenda a sua “influência maligna noutros locais, especialmente na região do Sahel” e especificamente no Mali, onde há actualmente uma missão militar francesa e da União. Citado no ABC, o Presidente francês Emmanuel Macron anunciou que se as actuais autoridades malianas permitirem a sua presença, as tropas francesas irão retirar-se do país. 

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This