“Unidos contra o Desperdício”: matar a fome com a comida que sobra

| 30 Set 20

Um dos cartazes de divulgação do novo movimento cívico. 

 

Sabia que um terço dos alimentos diariamente produzidos no planeta acaba por ir parar ao lixo, ao mesmo tempo que está a aumentar o número de pessoas e comunidades que passam fome? E que, em Portugal, se calcula que um milhão de toneladas de comida são desperdiçadas?

Foi para combater o problema do desperdício alimentar que foi constituído nesta terça-feira, 29, o Movimento cívico Unidos Contra o Desperdício, que junta a rede de bancos alimentares e outras iniciativas de aproveitamento de comida, entre muitas outras organizações de cariz socio-económico e de interajuda, do setor público e privado.

“Unidos Contra o Desperdício” nasce precisamente no Dia Internacional da Consciencialização Sobre Perda e Desperdício Alimentar, instituído pela assembleia geral da ONU, tendo sido a “primeira vez” que a efeméride foi celebrada no mundo inteiro.

O movimento, diz-se no seu Manifesto, “não visa substituir nenhum ator, dá palco a todos os que lutam ativamente contra o desperdício alimentar e quer tornar habitual o aproveitamento de excedentes, alertar para perdas e desperdícios, incentivar e facilitar a doação das sobras e promover o consumo responsável”.

“Tornar habitual o aproveitamento de excedentes, alertar para perdas e desperdícios, incentivar e facilitar a doação das sobras e promover o consumo responsável” são objetivos do movimento.

 

Esta iniciativa que agora ganha expressão e dimensão em Portugal inscreve-se num grande esforço que vem sendo feito internacionalmente, nomeadamente por iniciativa da FAO (Organização para a Agricultura e a Alimentação) das Nações Unidas.

O paradoxo da fome e destruição, de um lado, e da perda e desperdício alimentar, por outro, tem sido um assunto glosado e refletido pelo Papa Francisco. “É cruel, injusto e paradoxal que hoje haja alimento para todos e que nem todos tenham acesso a eles ou que existam regiões do mundo em que o alimento é desperdiçado, deitado fora, consumido em excesso ou que a comida seja destinada a outros propósitos que não são alimentares”, escreveu, numa mensagem a propósito do Dia Mundial da Alimentação, em 2019.

O Papa denuncia a lógica de mercado que tende a considerar a comida como “mero produto do comércio, sujeito a especulações financeiras e distorcendo o seu valor cultural, social e social, marcadamente simbólico”. “Não nos podemos esquecer – alerta – de que o que acumulamos e desperdiçamos é o pão dos pobres”.

 

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

Vários ataques no Nordeste do país

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria novidade

O último episódio de violência na Nigéria, com contornos políticos, económicos e religiosos, descreve-se ainda com dados inconclusivos, mas calcula-se que, pelo menos, duas centenas de pessoas perderam a vida na primeira semana de Janeiro no estado de Zamfara, Nigéria, após vários ataques de grupos de homens armados a uma dezena de aldeias. Há bispos católicos a sugerir caminhos concretos para pôr fim à violência no país, um dos que registam violações graves da liberdade religiosa. 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Papa doa 200 mil euros para ajudar migrantes e vítimas de tufão

Preocupado com Bielorrússia e Filipinas

Papa doa 200 mil euros para ajudar migrantes e vítimas de tufão novidade

O Papa Francisco enviou uma contribuição de 100 mil euros à Igreja das Filipinas, para ajudar o país asiático a minimizar as consequências do tufão Rai, que segundo dados das Nações Unidas provocou pelo menos 400 mortos, dezenas de desaparecidos, tendo afetado 8 milhões de pessoas em 11 regiões. Quantia equivalente foi destinada aos “grupos de migrantes bloqueados entre a Polónia e a Bielorrússia e em auxílio da Cáritas Polaca para enfrentar a emergência migratória na fronteira entre os dois países, devido à situação de conflito que já dura mais de 10 anos”, informou o Vaticano esta terça-feira, 18 de janeiro.

O Senhor a receber das mãos do servo

O Senhor a receber das mãos do servo novidade

Sendo hoje 6 de Janeiro (19 de Janeiro no calendário gregoriano), no calendário juliano (seguido por grande parte dos cristãos ortodoxos em todo o mundo), celebramos a Festa da Teofania de Nosso Senhor Deus e Salvador Jesus Cristo, isto é, a festa da manifestação ou revelação ao mundo da Sua divindade, no mistério do Seu Baptismo no rio Jordão, das mãos de São João Baptista.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This