Universidade Católica inicia Ano da Laudato Si’ com compromisso de contribuir para “mundo mais inclusivo e responsável”

| 24 Jun 20

Isabel Capeloa Gil: a Universidade Católica quer ser uma “marca distintiva” da proposta católica na sociedade portuguesa, particularmente atenta aos problemas sociais, ambientais, éticos e jurídicos. Foto © Ecclesia/MC

 

A reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), Isabel Capeloa Gil, quer ver a escola a participar “na construção de um mundo melhor, mais inclusivo, mais responsável”, aproveitando o “Ano Laudato Si’’”, um desafio proposto pelo Papa Francisco para assinalar o quinto aniversário da encíclica sobre o cuidado da casa comum.

A iniciativa arrancou esta terça-feira, 23 de junho, com o compromisso assumido pela reitora da instituição: “A Laudato Si’ interpela-nos a ir mais além, a questionar as nossas próprias práticas”, afirmou a reitora, em declarações à agência Ecclesia, assegurando que a UCP pretende ser uma “marca distintiva” da proposta católica na sociedade portuguesa, particularmente atenta aos problemas sociais, ambientais, éticos e jurídicos.

Isabel Capeloa Gil assegurou que a universidade irá “fazer propostas de reformas que tenham viabilidade real no mundo em que vivemos” e procurar contribuir para que, nesse mundo, “as pessoas sintam verdadeiramente que são parte da solução “, construindo “pontes entre aqueles que têm maiores possibilidades económicas e os que não têm”, um “mundo que não deixa ninguém para trás”.

O padre José Manuel Pereira de Almeida, vice-reitor da UCP, sublinhou por seu lado que este é “um ano particularmente relevante para uma viragem” na promoção do “cuidado com a natureza, esta casa comum, e a atenção particular aos pobres”.

Em Portugal, observou o responsável, a UCP pretende ser uma “interlocutora relevante” a respeito de uma encíclica que foi muito bem acolhida, “sobretudo para lá das fronteiras da Igreja Católica”.

Para o vice-reitor da UCP, a Laudato Si’ apresenta-se como uma “oportunidade para transformar as práticas, a vida concreta, o estilo de vida, as opções, as prioridades”.

A sessão de abertura do Ano Laudato Si’ na UCP, que decorreu online, contou com a participação do cardeal Luis Antonio Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos e presidente da Cáritas Internacional, numa parceria com a Cáritas Portuguesa.

O cardeal filipino sublinhou a pertinência da encíclica, com “ensinamentos para todos os tempos” e afirmou a atualidade da mesma perante a “experiência da pandemia” que o mundo enfrenta, refutando a ideia de um mero “documento verde”, e propondo-a antes como “corpo da doutrina social da Igreja”.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Depois de Angola e Polónia

Símbolos da JMJ iniciam peregrinação pelas dioceses de Espanha

Dez jovens da diocese da Guarda irão entregar este domingo, 5 de setembro, os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) aos jovens da diocese de Ciudad Rodrigo (Espanha), local onde terá início a peregrinação dos mesmos pelas dioceses espanholas. O encontro acontecerá na fronteira de Vilar Formoso, pelas 11h, e será seguido de uma celebração de acolhimento na Paróquia de Maria Auxiliadora, em Fuentes de Oñoro, divulgou o gabinete de imprensa da JMJ Lisboa 2023, em comunicado enviado às redações.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação” novidade

No dia 1 de setembro começou o Tempo da Criação para diversas Igrejas Cristãs. Nesse dia, o Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu e o Arcebispo de Canterbury Justin assinaram uma “Mensagem Conjunta para a Protecção da Criação” (não existe – ainda – tradução em português). Talvez tenha passado despercebida, mas vale a pena ler.

Cultura e artes

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror novidade

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

Cinema

Um machado, uma mulher e um cão

Se gosta de cinema e ainda for a tempo, não deixe de ver o filme de Pedro Almodóvar A Voz Humana. É uma curta-metragem (cerca de 30 minutos), complementada por uma entrevista muito interessante e esclarecedora com o realizador e a actriz, Tilda Swinton.

Sete Partidas

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This