Nos Estados Unidos da América

Universidade Franciscana abre portas a estudantes judeus vítimas de discriminação

| 19 Out 2023

Aula na Universidade Franciscana de Steubenville, EUA , Foto Universidade Franciscana de Steubenville

Apesar de ter atingido este ano letivo um número recorde de matrículas, a universidade católica está disposta a fazer as adaptações necessárias para receber estudantes adicionais. Foto © Universidade Franciscana de Steubenville.

 

Com o intensificar do conflito Israel-Palestina, as universidades nos Estados Unidos da América estão a registar “um aumento muito preocupante no antissemitismo e sérias ameaças contra estudantes judeus”, alerta o padre Dave Pivonka, presidente da Universidade Franciscana de Steubenville. Como resposta, a instituição acaba de anunciar a criação de um processo de transferência acelerado para estudantes judeus em risco de discriminação e violência antissemita.

“Com os nossos irmãos cristãos em todo o mundo, estamos a rezar por justiça e paz. Mas com demasiadas universidades a pregar a tolerância e a praticar o preconceito, sentimo-nos compelidos a fazer mais”, explicou o padre Pivonka, em declarações à Catholic News Agency.

Apesar de ter atingido este ano letivo um número recorde de matrículas, a universidade católica está disposta a fazer as adaptações necessárias para receber estudantes adicionais. “A nossa comunidade irá recebê-los com generosidade e respeito”, garantiu Pivonka. “As nossas diferenças religiosas não causarão nenhum conflito. Pelo contrário, na Franciscana, a nossa fidelidade radical a Cristo e à fé católica exige de nós caridade fraterna para com os nossos irmãos e irmãs judeus, como o faz para com todas as pessoas”, assinalou.

A instituição já começou a procurar «apoio da comunidade local para que as necessidades particulares destes estudantes possam ser atendidas, nomeadamente que lhes seja assegurado um local de culto e a possibilidade de manter uma dieta kosher.

Além disso, será dada a estes alunos a opção de frequentar aulas online, no caso de sentirem que essa opção é mais segura.

 

Iniciativa poderá ser alargada a muçulmanos

Stephen Hildebrand, vice-presidente para assuntos académicos e professor de Teologia na Universidade Franciscana de Steubenville, compara a guerra atual ao Holocausto. “A forma como o Hamas foi de porta em porta e executou famílias, simplesmente executou-as, famílias inteiras… A última vez que este tipo de coisa aconteceu foi durante o Holocausto”, afirmou.

“Isso está na cabeça de todos e o mundo não respondeu tão bem na primeira vez. Portanto, adoraríamos que os católicos, a Igreja Católica, as universidades católicas, acertássemos desta vez. Não queremos falhar no nosso amor por eles como fizemos no passado”, destacou.

A iniciativa poderá ser alargada a estudantes muçulmanos, caso se verifiquem situações de discriminação semelhantes. “Na Franciscana, seguimos o ensinamento da Igreja e por isso a nossa fraternidade não se limita aos judeus, claro”, assegurou à Catholic News Agency. “Não tenho visto muita perseguição a estudantes muçulmanos nas universidades americanas, mas se isso se tornar um problema generalizado, espero que respondamos com igual fraternidade”, concluiu.

 

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This