Vacinas: Criticar sem generalizar

| 11 Fev 21

Vacina. Covid

Vacina contra a covid. Foto Wladimir B/Bigstock.com

 

No fim do ensaio do coro por zoom ficámos alguns minutos na conversa. Uma das colegas anunciou muito satisfeita que o pai, de 92 anos, vai ser vacinado amanhã. Mora na zona de Frankfurt. Outra disse que os pais e os sogros, também nonagenários, só vão receber a vacina em Março. Moram em Brandeburgo. Já a minha sogra, no sul da Alemanha, está a poucos dias de receber a segunda dose, apesar de ser uma jovem de oitenta e poucos anos. É estranho assistir a esta disparidade entre as Länder.

Alguns colegas de coro começaram a falar dos espertinhos – como o político que se ofereceu (juntamente com os seus próximos) para tomar as vacinas que se iam estragar, argumentando que assim davam um bom exemplo aos renitentes. Cada pessoa tinha um caso para contar. E eu ouvia, divertida.

Aparentemente, na Alemanha também há muitos espertalhões. A grande diferença em relação ao que vejo em Portugal – e isso impressionou-me realmente – é que falavam deles como casos individuais. Reprovavam, mas não generalizavam. Nenhuma daquelas pessoas concluiu, com base nestes casos, que “este país é só corrupção” ou “estamos entregues à bicharada”.

Uma das frases que ouço frequentemente na Alemanha, quando se conhecem casos de alguém que se desvia dos valores comuns desta sociedade, é: “nós não somos assim”. Mesmo que um ou outro descarrile e se afaste do que é considerado por todos como o caminho certo, a comunidade sabe quais são os seus valores e tem brio em respeitá-los. Os prevaricadores não são nem espelho da sociedade nem exemplo que desculpa os erros dos outros. São prevaricadores.
E isso é dito com todas as letras, como um veredicto que os deve cobrir de vergonha.

Já em Portugal: li algures que, juntando os casos de sujeitos que abusaram do seu poder para serem vacinados antes dos outros e os casos de decisões precipitadas devido à urgência, como foi o daquela padaria, houve até agora 300 casos de vacinas que foram dadas sem respeitar as prioridades.

300 casos em 400.000 [dados de 9 de Fevereiro].

Isso quer dizer que mais de 99,9% das vacinas foram dadas respeitando os critérios de prioridade. Mas o que ouço a muitos portugueses – nas redes sociais e na vida real – é o escândalo por causa das vacinas desviadas, e que “este país é só corrupção” e que “estamos entregues à bicharada”.

Que é como quem diz: self fulfilling prophecy em português.

 

Helena Araújo é autora do blogue Dois Dedos de Conversa, de onde este texto é reproduzido, actualizando os dados do numero de vacinas administradas a 9 de Fevereiro.

 

O outro sou eu

O outro sou eu novidade

Há tanto que me vem à cabeça quando penso em Jorge Sampaio. Tantas ocasiões em que o seu percurso afetou e inspirou o meu, quando era só mais uma adolescente portuguesa da primeira geração do pós-25 de Abril à procura de referências. Agora, que sou só uma adulta que recusa desprender-se delas, as memórias confundem-se com valores e os factos com aspirações.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados

Líbano tem novo Governo

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados novidade

O novo Governo do Líbano, liderado pelo muçulmano sunita Najib Mikati, obteve nesta segunda-feira, 20 de setembro, o voto de confiança do Parlamento. A nova estrutura de Governo reflete na sua composição a variedade do “mosaico” libanês, nomeadamente do ponto de vista das diversas religiões e confissões religiosas, mas os siro-católicos dizem ter sido marginalizados.

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos

Cinema

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos novidade

Falling, que em Portugal teve o subtítulo Um Homem Só, é a história de um pai (Willis) e de um filho (John) desavindos e (quase) sempre em rota de colisão, quer dizer, de agressão, de constante provocação unilateral da parte do pai, sempre contra tudo e contra todos.

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação”

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação” novidade

No dia 1 de setembro começou o Tempo da Criação para diversas Igrejas Cristãs. Nesse dia, o Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu e o Arcebispo de Canterbury Justin assinaram uma “Mensagem Conjunta para a Protecção da Criação” (não existe – ainda – tradução em português). Talvez tenha passado despercebida, mas vale a pena ler.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This