Visado falou com pais dos alunos

Vaticano arquivou caso do padre do Colégio S. Tomás, em Lisboa

| 8 Fev 2023

fachada do colegio s tomas

O padre agora ilibado exercia funções de capelão no Colégio São Tomás, em Lisboa, e foi com alunos desta escola que constituiu um gripo no WhatsApp, onde partilhava imagens e vídeos obscenos. Foto © 7Margens.

 

A Santa Sé arquivou o processo canónico relativo ao envio de mensagens através da rede WhatsApp que envolvia o padre Duarte Andrade e Sousa, de Lisboa. Apesar de nenhum dos pais dos alunos que integravam o grupo de mensagens ter sido ouvido por responsáveis da diocese, fonte do Patriarcado garante que o próprio padre falou com todos os pais dos alunos que integravam o grupo de WhatsApp, depois de o caso ter surgido, em Junho.

Em comunicado enviado ao 7MARGENS, o Patriarcado confirma o arquivamento canónico do processo. Fonte da diocese lisboeta diz que os seus responsáveis remeteram ao Ministério Público (MP), em Portugal, e ao Dicastério da Doutrina da Fé (DDF), no Vaticano, os elementos considerados pertinentes para o caso. Em Novembro, o MP arquivou o processo, depois de, segundo o comunicado referido, ter analisado todas as mensagens “juntas aos autos (…) não resultando das mesmas qualquer conteúdo que, por si, seja susceptível de enquadrar o ilícito criminal de importunação sexual, ou outro…”

Agora, foi o DDF, do Vaticano, que decidiu no mesmo sentido do arquivamento. No domingo, o bispo auxiliar de Lisboa, Américo Aguiar, responsável da Fundação JMJ e da comissão diocesana de Protecção de Menores, deslocou-se à paróquia de Nossa Senhora do Carmo, na zona do Lumiar, onde presidiu à celebração da missa.

Fontes presenciais contaram ao 7MARGENS que o bispo anunciou que o padre estava bem e tinha sido ilibado pelo Vaticano das acusações que contra ele tinham surgido e que levaram à sua suspensão das funções de capelão responsável do 2º ciclo do ensino básico que ocupava no Colégio São Tomás, situado nas proximidades daquela igreja. O grupo de alunos envolvidos na rede WhatsApp incluía, no entanto, sobretudo jovens do secundário.

As mesmas fontes referiram ainda que o bispo declarou que, apesar de ilibado, o padre tinha tido comportamentos impróprios e condenáveis, dos quais se arrependera. Em causa, recorde-se, estava o facto de alguns pais terem descoberto imagens obscenas (incluindo vídeos) nos telemóveis dos filhos, num grupo de WhatsApp que o padre mantinha com alunos do colégio. Na altura, o bispo Américo Aguiar falou com a reitora do colégio, Isabel Almeida e Brito. Em Julho, quando o facto foi noticiado, a responsável da escola disse ao 7MARGENS que o próprio assumira o que sucedera e disse que deixaria de aparecer no S. Tomás.

Agora, de acordo com o comunicado, o padre Andrade e Sousa “está a ser acompanhado para, paulatinamente, se reintegrar no exercício da sua missão como presbítero do Patriarcado”. Neste momento, sabe o 7MARGENS, o padre está a trabalhar num serviço diocesano e a colaborar numa paróquia da cidade. Neste último caso, o Patriarcado, apesar de questionado, não esclareceu se ele está sujeito a algumas medidas cautelares limitadoras de contactos ou movimentos. Uma fonte da diocese apenas se referiu a este tempo como um “caminho das pedras” que o padre Duarte está a fazer, depois do que aconteceu.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses

Sucedendo a José Diogo Ferreira Martins

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses novidade

A psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da direção nacional da Associação dos Médicos Católicos Portugueses (AMCP). A médica, que trabalha na Casa de Saúde do Telhal (Sintra) e é uma das responsáveis pelo Gabinete de Escuta do Patriarcado de Lisboa, foi eleita por unanimidade no passado sábado, 13 de abril, para o triénio 2024-2026.

Cristianismo e democracia

Cristianismo e democracia novidade

Em tempo de comemoração dos cinquenta anos da revolução de 25 de abril, penso dever concluir que o maior legado desta é o da consolidação do Estado de Direito Democrático. Uma consolidação que esteve ameaçada nos primeiros tempos, mas que se foi fortalecendo progressivamente. Esta efeméride torna particularmente oportuna a reflexão sobre os fundamentos éticos da democracia. [Texto de Pedro Vaz Patto]

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Alfredo Teixeira em conferência dia 16

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Podem algumas canções de intervenção ligadas à Revolução de 25 de Abril de 1974 relacionar-se com o catolicismo? O compositor e antropólogo Alfredo Teixeira vai procurar mostrar que há uma “afinidade” que une linguagem bíblica e cristã à música de Zeca, José Mário Branco, Lopes-Graça, Adriano Correia de Oliveira, Sérgio Godinho e outros.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This