Para “promover um diálogo inclusivo”

Vaticano envolveu-se em novo manual sobre uso ético das tecnologias nas empresas

| 5 Jul 2023

Novas teconologias, computador, pessoas, comunicação

O Vaticano participou com o desejo de “promover um diálogo inclusivo entre o sector tecnológico e a comunidade humana em geral, cujo futuro será moldado de muitas formas pelas decisões tomadas por aqueles que gerem a inovação.” Foto © Miguel Veiga.

 

As indústrias tecnológicas e, em geral, as empresas que recorrem cada vez mais às tecnologias passam a dispor de um manual de práticas éticas, elaborado pelo Instituto de Tecnologia, Ética e Cultura (ITEC) da Universidade de Santa Clara, na Califórnia, em colaboração o Dicastério para a Cultura e a Educação.

O documento, de 140 páginas, intitula-se Ethics in the Age of Disruptive Technologies: An Operational Roadmap (Ética na era das tecnologias disruptivas: um roteiro operacional) e encontra-se acessível online, mediante registo.

O principal objetivo do manual é ajudar as empresas que “desenvolvem, adquirem ou utilizam tecnologias avançadas a compreender os riscos éticos que essas tecnologias introduzem e ajudá-las a implementar a infraestrutura necessária para mitigar esses riscos ao longo do ciclo de vida do produto e do serviço”.

O secretário da secção de Cultura do Dicastério, o bispo Paul Tighe, admite, numa nota introdutória à publicação, que pode ser surpreendente ver o Vaticano associado a uma iniciativa desta natureza e neste projeto. Segundo ele, o manual resulta de “um desejo de promover um diálogo inclusivo entre o sector tecnológico e a comunidade humana em geral, cujo futuro será moldado de muitas formas pelas decisões tomadas por aqueles que gerem a inovação”.

Ethics in tech age, tecnologia,Esse diálogo deve abranger, afirma o bispo, pessoas de diferentes proveniências geográficas e culturais, de diversos credos ou mesmo sem credo, “para que aprendamos juntos a construir um mundo melhor para todos”.

Entre os potenciais destinatários deste instrumento contam-se executivos de topo, consultores jurídicos de empresas, defensores da ética tecnológica, executivos e gestores de recursos humanos e executivos e gestores que supervisionam os ciclos de vida de produtos e serviços.

As questões éticas associadas às estratégias, opções e práticas relacionadas com a inteligência artificial, machine learning, encriptação, segurança e privacidade dos dados e a vigilância digital são objeto de recomendações específicas no manual.

Situações e contextos como a automatização de processos e tarefas; utilização de ferramentas de marketing alimentadas por IA (Inteligência Artificial) ou uso de bases de dados comerciais sobre movimentos físicos e virtuais de clientes (como localização por GPS) são exemplos de terrenos onde podem surgir problemas éticos. Há, por outro lado, questões como recolha e utilização de dados e segurança; condução automóvel automatizada; armamento autónomo; ou desenvolvimento de novos produtos farmacêuticos que suscitam problemas para os quais é necessário ter claros os critérios de discernimento e atuação.

O manual de ética é a primeira publicação do ITEC, uma nova iniciativa do Centro Markkula de Ética Aplicada da Universidade de Santa Clara, uma instituição dos jesuítas. O Instituto, que visa “promover uma reflexão mais profunda sobre o impacto da tecnologia na humanidade”, foi desenvolvido, de resto, com o apoio do Dicastério para a Cultura e a Educação do Vaticano.

 

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão

Ataques sucedem-se

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão novidade

O recente ataque a um cristão falsamente acusado de ter queimado páginas do Corão, por uma multidão muçulmana enfurecida, no Paquistão, desencadeou “uma nova vaga de terror” contra a minoria religiosa no país. Depois deste incidente, que aconteceu no passado sábado, 25 de maio, já foram registados outros dois ataques devido a alegados atos de “blasfémia” por parte de cristãos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

A memória presente em pequenas tábuas

Museu Abade de Baçal

A memória presente em pequenas tábuas novidade

“Segundo uma Promessa” é o título da exposição inaugurada a 18 de maio no Museu Abade de Baçal, em Bragança, e composta por uma centena de pequenos ex-votos, registados em tábuas, que descrevem o autor e o recetor de vários milagres, ao longo dos séculos XVIII e XIX. “O museu tem a obrigação de divulgar e de mostrar ao público algum do património que está disperso pela diocese de Bragança-Miranda”, disse ao 7MONTES Jorge Costa, diretor do museu.

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This