Ucrânia envolve a Rússia

Vaticano pela primeira vez alvo de ciberataques

| 1 Dez 2022

Roma vista a partir da cúpula da Basílica de S. Pedro. Foto © Imagem de Domínio Público

 

O portal do Vaticano na Internet e o site Vatican News foram esta quarta-feira, 30 de novembro, alvo de um ciberataque que os tornou inacessíveis por várias horas. Foi a primeira vez que tal sucedeu, segundo disse Matteo Bruni, que dirige a Sala de Imprensa da Santa Sé.

Segundo Matteo Bruni, foi a primeira vez que uma situação deste tipo ocorreu. Registaram-se “tentativas anormais de aceder ao site”, que esteve inoperacional numa boa parte da tarde. “Investigações técnicas estão em andamento”, de acordo com o porta-voz, que não acrescentou mais informações.

As atenções e atribuições viraram-se, de imediato, para a Rússia. Não porque existam indícios ou provas de envolvimento, mas por associação a factos recentes que levaram o Kremlin a fazer uma crítica contundente do Vaticano.

De facto, na entrevista ao Papa Francisco, publicada no último domingo pela revista America, dos Jesuítas norteamericanos, a dada altura, é-lhe perguntado porque se tem recusado a nomear quem são os agressores, na guerra da Ucrânia.

A resposta é clara: “Quando falo da Ucrânia, falo de um povo martirizado. Se existe um povo martirizado, existe alguém que o martiriza. Quando falo da Ucrânia, falo de crueldade porque tenho muitas informações sobre a crueldade das tropas que lá chegam. Geralmente os mais cruéis são talvez as pessoas que sendo da Rússia, não são da tradição russa, como os chechenos, os buriates, etc. Certamente o invasor é o Estado russo. Isso é muito claro. Às vezes tento não especificar, mas condenar em termos gerais, para não ofender, embora se saiba quem estou a condenar. Não é necessário colocar o nome e o sobrenome.”

E acrescentou, mais adiante: “A posição da Santa Sé é buscar a paz e buscar um entendimento. E a diplomacia da Santa Sé está a mover-se nessa direção e, claro, está sempre disposta a mediar.”

As declarações receberam um protesto do Kremlin e resposta pronta de representantes das minorias citadas pelo Papa e, sobretudo, da porta-voz do Ministério russo dos Negócios Estrangeiros, Maria Zakharova: “Isto já não é russofobia, é uma perversão num nível que nem consigo nomear. (…) Somos uma família com buriates, chechenos e outros representantes do nosso país multinacional e multiconfessional”, acrescentou.

Quanto ao cibertaque aos sítios do Vaticano na Internet, foi o embaixador da Ucrânia junto da Santa Sé, Andrii Yurash, a comentar: “Os terroristas entraram hoje em sítios da cidade do Vaticano”, ilustrando as palavras com pequenas bandeiras da Rússia.

 

Há menos países a aplicar a pena de morte, mas número de execuções foi o mais elevado em quase uma década

Relatório 2023

Há menos países a aplicar a pena de morte, mas número de execuções foi o mais elevado em quase uma década novidade

A Amnistia Internacional (AI) divulgou na madrugada desta quarta-feira, 29 de maio, o seu relatório anual sobre a aplicação da pena de morte a nível mundial, que mostra que em 2023 “ocorreram 1.153 execuções, o que representa um aumento de mais de 30 por cento em relação a 2022”, sendo que “este valor não tem em conta os milhares de execuções que se crê terem sido realizados na China”. Este “foi o valor mais alto registado” pela organização “desde 2015, ano em que houve 1.634 pessoas executadas”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão

Ataques sucedem-se

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão novidade

O recente ataque a um cristão falsamente acusado de ter queimado páginas do Corão, por uma multidão muçulmana enfurecida, no Paquistão, desencadeou “uma nova vaga de terror” contra a minoria religiosa no país. Depois deste incidente, que aconteceu no passado sábado, 25 de maio, já foram registados outros dois ataques devido a alegados atos de “blasfémia” por parte de cristãos.

A memória presente em pequenas tábuas

Museu Abade de Baçal

A memória presente em pequenas tábuas novidade

“Segundo uma Promessa” é o título da exposição inaugurada a 18 de maio no Museu Abade de Baçal, em Bragança, e composta por uma centena de pequenos ex-votos, registados em tábuas, que descrevem o autor e o recetor de vários milagres, ao longo dos séculos XVIII e XIX. “O museu tem a obrigação de divulgar e de mostrar ao público algum do património que está disperso pela diocese de Bragança-Miranda”, disse ao 7MONTES Jorge Costa, diretor do museu.

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This