Vaticano saúda festa hindu do Diwali e pede luz da solidariedade no meio da pandemia

| 7 Nov 2020

Festa hindu do Diwali em Lisboa. Foto © Maria Wilton/Arquivo 7M

 

O Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso, do Vaticano, incentivou cristãos e hindus a “unirem” às pessoas de boa vontade para “construir uma cultura positiva e esperança no coração das sociedades”, numa mensagem pela festa do Diwali (ou Deepavali).

“No meio das dificuldades da pandemia de covid-19, que esta festa significativa possa remover as nuvens do medo, da ansiedade e de todo o receio e encher as mentes e os corações com a luz da amizade, da generosidade e da solidariedade”, diz a mensagem.

“Cristãos e hindus: reacendamos um clima positivo e de esperança durante a pandemia da covid-19 e depois” é o tema da 25.ª mensagem para a festa hindu do Diwali, que será celebrada no próximo sábado, 14 de Novembro.

“Este ano, na pandemia da covid-19, queremos partilhar algumas reflexões sobre a necessidade de encorajar um espírito positivo e esperança para o futuro, mesmo diante de obstáculos aparentemente intransponíveis, desafios socioeconómicos, políticos e espirituais, e ansiedade, incerteza e medo generalizados”, lê-se no documento assinado pelo presidente do organismo da Santa Sé, cardeal Miguel Ángel Ayuso Guixot.

“A esperança e o sentido de positividade mais ousados correm o risco de se dissipar nas situações trágicas causadas pela atual pandemia e suas graves consequências na vida quotidiana, na economia, na saúde, na educação e nas práticas religiosas. Porém, é a confiança na Providência Divina que nos inspira optimismo e vontade de trabalhar para reacender a esperança nas nossas sociedades”, acrescenta o texto.

A festa do Diwali, ou festival da luz, dura cinco dias, significa literalmente “fileira de lamparinas de óleo” e pretende assinalar a vitória da luz sobre as trevas, ou do bem sobre o mal, da verdade sobre a mentira e da vida sobre a morte.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco”

Comissões Justiça e Paz da Europa

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco” novidade

“O direito da Ucrânia a defender-se é indiscutível e todos os fornecimentos de armas que permitam a sua defesa no quadro dos imperativos da proporcionalidade e do direito humanitário internacional são legítimos”, diz a plataforma católica Justiça e Paz Europa. No entanto, “os meios militares, por si só, não podem trazer uma paz duradoura”.

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas novidade

O ensino das sagradas escrituras na época de Jesus era uma prática comum entre o povo judeu. Desde cedo, os rabinos ensinavam às crianças a leitura e escrita da Torá e a memorizar grandes porções da mesma. Entre as várias técnicas de ensino, estava a utilização de parábolas.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This