Atividades abertas a todos

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra

| 23 Fev 2024

Seminário Maior de Coimbra, fachada principal. Foto © Clara Raimundo

O Seminário Maior de Coimbra acolhe na próxima semana duas atividades de participação gratuita e abertas a todos. Foto © Clara Raimundo/7MARGENS

 

Empenhado em ser “um lugar onde a Cultura e a Espiritualidade dialogam com a cidade”, o Seminário de Coimbra acolhe, na próxima segunda-feira, 26, a atividade “Humanizar através do teatro – A Importância da Compaixão” (que inclui a representação de uma peça, mas vai muito além disso). Na terça-feira, dia 27, as portas do Seminário voltam a abrir-se para receber o biólogo e premiado fotógrafo de natureza Manuel Malva, que dará uma palestra sobre “Salvar a natureza”.

A primeira atividade está a cargo do Movimento Cívico Humanizar a Saúde em Coimbra e começa às 21 horas, com a atuação do InterDito, “um grupo de expressão dramática da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra que tem como missão contribuir para um mundo melhor e mais criativo”, adianta o Seminário em comunicado enviado ao 7MARGENS. A seguir, haverá um tempo para testemunhos, comentários do público e um “exercício final” surpresa. “É um convite, que a todos é feito, para uma ‘viagem’ que vai da narrativa à ação compassiva”, acrescenta a nota.

Na palestra do dia seguinte, que faz parte do ciclo “Pontes de Vista” iniciado em outubro, será possível conhecer melhor, a partir das 21h15, o trabalho do biólogo e fotógrafo de natureza Manuel Malva, particularmente no âmbito da associação da qual é vice-presidente, a Milvoz. Trata-se de um grupo de proteção e conservação da natureza, criado em maio de 2019, que nasceu da vontade de um conjunto de cidadãos de dar voz e representar o património natural da região de Coimbra, zelando pela sua preservação. Entre os projetos desenvolvidos por esta associação, inclui-se a criação das bio-reservas da Senhora da Alegria, da Serra da Pescaria, da Morena e do Vale da Aveleira. 

Ambas as propostas do Seminário de Coimbra para a próxima semana são de participação gratuita e todos estão convidados.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This