"Momento crucial da mudança"

Caminho sinodal alemão agradece prolongamento do sínodo

| 18 Out 2022

Georg Bätzing e Irme Stetter-Karp foto Synodaler Weg Maximilian von Lachner

O presidente da Conferência dos Bispos Alemães, Georg Bätzing, e a presidente do Caminho Sinodal, Irme Stetter-Karp, aplaudiram a decisão do Papa. Foto © Der Synodaler Weg / Maximilian von Lachner.

 

O anúncio do prolongamento do Sínodo católico até outubro de 2024 “mostra que o Papa Francisco acredita que a sinodalidade é o momento crucial da mudança”, lê-se num comunicado assinado pela presidente do Caminho Sinodal, Irme Stetter-Karp, e pelo presidente da conferência dos bispos alemães, Georg Bätzing, divulgado dia 17 de outubro.

Classificando a decisão papal como “um sinal importante que deixa claro que a Igreja está a enfrentar grandes desafios em todo o mundo e enfrenta-os sublinhando a necessidade de mudança”, os dois responsáveis católicos lembram que o Papa “enfatiza expressamente a participação do povo de Deus”, pelo que assumem que “essa participação não terminou com o processo de consulta de 2021” e concluem afirmando: “No Caminho Sinodal na Alemanha, vivemos a consulta, a cooperação direta, como um momento decisivo de mudança.”

A via sinodal alemã tem provocado vasta controvérsia, quer pela metodologia que tem seguido no seu processo de deliberação quer sobretudo pelas decisões tomadas em matérias como o celibato dos padres, o acesso das mulheres à ordenação, o pedido da revisão da doutrina católica sobre a sexualidade [ver 7MARGENS] e a participação dos batizados no governo das suas comunidades.

Sem referir essas polémicas, o comunicado de dia 17 refere a “resolução” de continuar nesse caminho, mas aproveitando o tempo agora mais estendido para o percorrer com “calma”: “A decisão do Papa ajuda a moldar o processo e assim dar os passos certos com calma e capacidade de decisão. A Igreja na Alemanha quer, com a experiência da sua via sinodal, dar a sua contribuição ao processo mundial. Estamos a avançar resolutamente nesse caminho”.

 

“Romper a espiral da violência” é uma opção, garante o Papa

Segundo dia na RD Congo

“Romper a espiral da violência” é uma opção, garante o Papa novidade

“Esengo – alegria!” Assim iniciou Francisco a sua homilia na missa da manhã desta quarta-feira, 1 de fevereiro, que decorreu no aeroporto Ndolo, em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo (RDC). E a mesma palavra descreve na perfeição o ambiente que se viveu do início ao fim da celebração. Um ambiente pleno de cor, música e dança, em que ressoou a mensagem do Papa: sim, a paz é possível, se escolhermos “romper a espiral da violência”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver

40ª viagem apostólica

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver novidade

O Papa acaba de embarcar naquela que tem sido descrita como uma das viagens mais ousadas do seu pontificado, mas cujos riscos associados não foram motivo suficiente para que abdicasse de a fazer. Apesar dos problemas de saúde que o obrigaram a adiá-la, Francisco insistiu sempre que queria ir à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Mais do que uma viagem, esta é uma missão de paz. E no Congo, em particular, onde os conflitos já custaram a vida de mais de seis milhões de pessoas e cuja região leste tem sido atingida por uma violência sem precedentes, a presença do Papa será determinante para mostrar a toda a comunidade internacional aquilo que ela parece não querer ver.

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This