“Vimos do mar e da montanha”, um disco contemporâneo apresentado sábado, 28, em Lisboa

| 27 Nov 2020

 

Vimos do Mar e da Montanha é o título do projecto discográfico que será apresentado neste sábado, 28 de Novembro, às 11h, na Igreja de São Tomás de Aquino (Lisboa). Com edição da Paulus Editora, o disco tem música de Alfredo Teixeira e João Andrade Nunes, e textos de José Augusto Mourão e do Missal Romano, sendo interpretado pelo Ensemble São Tomás de Aquino.

Para poder assistir à apresentação do disco, é necessária uma inscrição para o endereço electrónico da paróquia de São Tomás de Aquino (tel. 217 262 340).

“Deus, nós vimos do mar e da montanha/ e nenhum lugar nos é residência/ porque és tu a nossa morada”, é o poema de José Augusto Mourão que dá título e abre esta obra discográfica.

Na sessão de audição comentada, serão cantadas algumas das composições que integram o disco, um projecto que procura conciliar, de forma criativa, dizem os editores, “a qualidade artística com as exigências próprias da música escrita para a liturgia das comunidades”.

A propósito do disco e da utilização dos poemas de José Augusto Mourão que deles faz Alfredo Teixeira, o cardeal José Tolentino Mendonça escreve que Mourão, que morreu em 2011, foi um profeta da estética. E que um projecto como o deste disco nos faz “compreender do culto pode ser uma grande experiência de cultura”.

No texto de apresentação do cantoral que acompanha o disco, Alfredo Teixeira escreve: “O conjunto de criações musicais que aqui se coligem tem uma característica saliente. Trata-se de música que transporta uma experiência comunitária. Primeiramente, porque quase todos estes cânticos, hinos ou aclamações atravessaram a experiência de diferentes comunidades crentes, habitaram a oração de diversos grupos, transportando, assim, a vida partilhada de todos os que lhes deram voz e ouvido (ou seja, corpo).” (Um excerto alargado do texto pode ser lido na página da Pastoral da Cultura).

Um vídeo de apresentação do disco pode ser visto a seguir.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This