Fundação AIS

Violência contra cristãos cresce no Burkina Faso

| 28 Jul 2022

Rua principal da cidade de Fada N’Gourma. Foto © Martin Wegmann Baliola, CC BY-SA 3.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0>, via Wikimedia Commons.

Rua principal da cidade de Fada N’Gourma, no Burkina Faso. Foto © Martin Wegmann Baliola, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons.

 

Cinco paróquias no Burkina Faso encerraram por completo as suas atividades, de ameaças de novos ataques por grupos extremistas, na Diocese de Fada N’Gourma, situada na região oriental deste país da África ocidental. E o seminário de San Kisito teve de ser transferido para a capital regional, por razões de segurança.

Segundo um relato da diocese remetido à Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), esta região tem estado na mira nos últimos seis meses de grupos radicais islamistas. Na informação divulgada dá-se conta que os roubos e os assassinatos “aumentaram significativamente” ao longo do ano, com destaque para as referidas cinco paróquias de um total de 16. 

A aldeia de Bourasso, em Nouma, no noroeste do país, sofreu um brutal ataque no domingo, 3 de Julho, quando 14 pessoas foram mortas em frente à igreja, um dos mais graves incidentes de que há registo em tempos recentes, divulgou a AIS. Nesse domingo, homens armados entraram na aldeia já de noite, transportando-se aos pares, em motos, e dispararam sobre as pessoas que estavam reunidas em frente ao largo da igreja. “Foi aterrador”, descreveu à Fundação AIS um sacerdote que, por questões de segurança, não pode ser identificado. “Depois, foram para o centro da povoação e mataram outras 20 pessoas, entre elas muitos cristãos e seguidores da religião tradicional africana.”

Já noutras sete paróquias, explicou a AIS, a atividade da Igreja está muito condicionada porque “os grupos armados bloqueiam a maioria das estradas, controlam as rotas terrestres e têm destruído as redes de comunicação”. Por causa disso, os padres da diocese têm estado impossibilitados de viajar e de contactar com os seus paroquianos. Nas aldeias da diocese, a circulação de pessoas é muito limitada também.

A situação tem-se agravado desde setembro de 2021, com apenas um terço do território diocesano acessível ao trabalho pastoral da Igreja, o que correspondia a 155 das 532 aldeias. Em abril deste ano, o número de aldeias acessíveis já havia decrescido para apenas 29.

A violência deste terrorismo que se reivindica do islão afecta o Burkina Faso desde 2015. Com o agravamento das condições de segurança, muitas pessoas têm abandonado as suas casas e as suas aldeias, refugiando-se nas localidades onde há uma presença mais visível do exército, como é o caso de Matiakoli, cuja igreja paroquial passou a encher-se de fiéis aos domingos.

 

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças

Este fim de semana, em Roma

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças novidade

Foi há pouco mais de cinco meses que, para surpresa de todos, o Papa anunciou a realização da I Jornada Mundial das Crianças. E talvez nem ele imaginasse que, neste curto espaço de tempo, tantos grupos e famílias conseguissem mobilizar-se para participar na iniciativa, que decorre já este fim de semana de 25 e 26 de maio, em Roma. Entre eles, estão alguns portugueses.

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral”

Susana Réfega, do Movimento Laudato Si'

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral” novidade

A encíclica Laudato Si’ foi “determinante para o compromisso e envolvimento de muitas organizações”, católicas e não só, no cuidado da Casa Comum. Quem o garante é Susana Réfega, portuguesa que desde janeiro deste ano assumiu o cargo de diretora-executiva do Movimento Laudato Si’ a nível internacional. Mas, apesar de esta encíclica ter sido publicada pelo Papa Francisco há precisamente nove anos (a 24 de maio de 2015), “continua a haver muito trabalho por fazer” e até “algumas resistências à sua mensagem”, mesmo dentro da Igreja, alerta a responsável.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja”

Terminou a visita “ad limina” dos bispos portugueses

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja” novidade

“Penso que estamos a mudar o paradigma da Igreja”, disse esta sexta-feira, 24 de maio, o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), numa conversa com alguns jornalistas, em plena Praça de S. Pedro, no Vaticano, em comentário ao que tinha acabado de se passar no encontro com o Papa Francisco e às visitas que os bispos lusos fizeram a vários dicastérios da Cúria Romana, no final de uma semana de visita ad limina.

O mundo precisa

O mundo precisa novidade

O mundo precisa, digo eu, de pessoas felizes para que possam dar o melhor de si mesmas aos outros. O mundo precisa de gente grande que não se empoleira em deslumbrados holofotes, mas constrói o próprio mérito na forma como, concretamente, dá e se dá. O mundo precisa de humanos que queiram, com lealdade e algum altruísmo, o bem de cada outro. – A reflexão da psicóloga Margarida Cordo, para ler no 7MARGENS.

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Testemunho de uma judia-americana que abandonou Biden

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Esta é a história-testemunho da jovem Lily Greenberg Call, uma judia americana que exercia funções na Administração Biden que se tornou há escassos dias a primeira figura de nomeação política a demitir-se de funções, em aberta discordância com a política do governo norte-americano relativamente a Gaza. Em declarações à comunicação social, conta como foi o seu processo interior e sublinha como os valores do judaísmo, em que cresceu, foram vitais para a decisão que tomou.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This